quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Aznavour e o Olympia

Essa semana enfim chegou o dia do meu encontro com "Aznavour en toute intimité"* no Olympia!

O primeiro grande momento foi entrar pela primeira vez no Olympia. Quem conhece um pouco da história de Paris ou ao menos assistiu o filme sobre Edith Piaf (com Marion Cotillard) sabe que o Olympia é o mais antigo music-hall de Paris ainda em atividade. Inaugurado em 1893, acolheu espetáculos estilo cancan, depois foi um cinema, até que em 1953 Bruno Coquatrix compra essa sala legendária e a transforma em music-hall. Reformado em 1997, a fachada continua a mesma, mas o interior foi reconstruído de forma idêntica, apenas alguns metros longe da rua. Parece que o que realmente mudou foram os bastidores, mas esses néao tive oportunidade de visitar!


A sala é pequena (o que faz com que os eventos ali sejam relativamente caros), mas pelo que pude perceber todos os lugares são bons, com excelente vista de toda a cena e a acústica é ótima.

Aznavour entrou em cena cantando duas músicas de seu novo disco, depois conversou com o público, explicando rapidamente como iria se desenrolar o show, com algumas novas canções de hoje que serão antigas futuramente, canções de ontem, anteontem e ante-ante-ante-ontem...
Então ele recomeça com "Paris au mois d'août", uma verdadeira emoção para mim, que não consegui controlar as lágrimas.
Durante algumas pausas breves entre uma música e outra ele explica que sua memória não é mais a mesma e que provavelmente ele deverá recorrer ao prompteur em alguns momentos. Confesso que deve ter sido de forma bem discreta, pois não percebemos! Consciente de sua idade (ele não tem mais 20 anos!), ele não tem vergonha de dizer que vai adaptar o show às necessidades da idade avançada: sentar se necessário, ausentar-se alguns segundos para se hidratar, etc.
Ele cantou uma canção mais linda do que a outra, dentre elas "Hier encore, Je voyage (em duo com a sua filha Katia), La Mamma, Les comédiens, La Bohème, Que c'est triste Venise, Sur ma vie, Comme ils disent, Emmenez-moi, Mes emmerdes, Qu'avons-nous fait de nos 20 ans?", dentre outras.
Duas horas de muita emoção, nostalgia e simplicidade, Charles Aznavour em plena forma e com uma voz que continua impressionante. Acompanhado e uma orquestra extrememente competente, eu não poderia ter sonhado com nada melhor!

E você, qual cantor ou grupo você sonha em ver ao vivo?

* nome do espetáculo

Informações práticas:
Aznavour pode ainda ser visto no Olympia até 6 de outubro de 2011, em seguida ele faz uma tournée pela França, que se termina no início de dezembro em Lille. Então quem é fã não pode perder, já que ele deve se aposentar após!

4 comentários:

Fernanda Rodrigues disse...

Deve ter sido um show e tanto! Imagino a emoção de ver de perto e escutar um dos melhores cantores franceses. Queria ter essa sorte :)
Bjs

Mulher de Fases disse...

Que momento mágico, como eu gostaria de também ter assistido há uma apresentacão assim, além de ter sido num lugar histórico!

Celia disse...

Realmente um momento inesquecivel. Imagino a emocao.
Olha, amei Praga. É realmente uma cidade mágica, encantadora. Bj

Milena F. disse...

Meninas, realmente foi muita emoção!!!