sábado, 1 de outubro de 2011

Trabalho na França e Eu

Hoje estou completando 2 anos de trabalho na mesma empresa! 2 anos sem jamais faltar ao trabalho (nem mesmo por motivo de doença) e sem chegar atrasada!!! Pode parecer bobagem, mas por aqui isso é praticamente uma vitória...
Várias pessoas me perguntam sobre o trabalho na França, ou então se fazem idéias-mil, então desta vez tentarei falar um pouquinho sobre o que tenho percebido nos meus 3 anos por aqui, tendo exercido diversas atividades de trabalho, sendo 2 anos nessa última empresa:

- A jornada padrão de trabalho na França é de 35 horas semanais. Super, não acham? Mero engano... Até hoje nunca conheci ninguém, francês ou estrangeiro, com emprego bom ou emprego "meia-boca" que fique nessas 35 horas... O que acontece muito, mesmo em empresas com excelente reputação, é que a gente tem hora para chegar... mas não tem hora para sair!!! E essas horas raramente são pagas, geralmente são convertidas em folga: mas a gente faz por exemplo 7 horas a mais (o que seria o equivalente a 1 dia de folga), e aí nos dizem que no dia seguinte a gente pode chegar ou sair 1 hora mais cedo, vê se pode?
Lembro que uma pessoa próxima estava trabalhando em uma rede de supermercados com um contrato de 6 horas por semana (5 dias por semana), mas inúmeras vezes ela chegava às 8 h para partir às 14h, mas quando faltavam muitos funcionários ela tinha que ficar até o fechamento às 20h30!!! Ela já saiu de lá e nunca viu um centavo a mais nem recebeu folga... Muita gente tem "medo" de ficar "contando horas", como se diz, e isso é super mal visto no ambiente de trabalho. Então, por medo de perder o emprego, as pessoas vão aceitando essas condições de trabalho muitas vezes deploráveis.
- Quem é cadre (pessoas em cargo de chefia ou de mais responsabilidade) possui normalmente na teoria uma jornada de trabalho semanal de 39h. Mas todos os cadres que conheço, em diferentes domínios, não fazem menos do que 50 horas por semana (o equivamente a 5 dias por semana de 10h de trabalho!). Em recompensa, a lei prevê os RTT (redução de tempo de trabalho), que são dias de folga, que ficam na média de 2 por mês... Ou seja, a criatura trabalha o equivalente a um dia a mais por semana (4 por mês), mas recebe 2... Claro que tudo isso depende de cada convenção. Além disso, quando a lei prevê 1 hora de intervalo para almoço para quem trabalha mais de 6 horas, não é raro que na prática só se faça 30 minutos...
- Geralmente cadre deve respeitar um pré-aviso de 3 meses e um profissional não-cadre, 1 mês. Claro que também pode viariar conforme a convenção ou um contrato personalizado. Pode ser menos, mas já vi gente tendo que cumprir bem mais tempo de pré-aviso!
- Geralmente as equipes de trabalho são reduzidas, o que significa mais trabalho para cada empregado. A organização e hierarquia geralmente é bem enxuta. Por exemplo, se você prestar atenção em uma loja ou restaurante, você vai encontrar bem menos funcionários... E geralmente todo mundo faz tudo, mesmo que cada dia seja organizado de uma forma. Por aqui eles estão a fundo no termo "polivalente".
- Não existe a obrigatoriedade do 13º salário. Pelo que percebi, poucas empresas o fazem, então não é algo comum.
- Os salários na França não  são enormes. O salário mínimo bruto é de 9€ por hora ou 1365€ por mês, o que sobre em líquido em torno de 1065€, já que geralmente são reduzidos 22% de encargos sociais. 
- O imposto de renda não é reduzido automaticamente na folha de pagamento, como no Brasil, mas o trabalhador faz a sua declaração anual e paga de uma só vez (que sufoco!) ou então pode parcelar (fazendo uma simulação e pagando adiantado, ajustando no momento da declaração). Aqui mesmo quem ganha o salário mínimo, se for solteiro e não tiver filhos, já paga imposto de renda!
- Uma pessoa sozinha que vive do SMIC vive relativamente apertado, pois os aluguéis, principalmente na região parisiense, são altíssimos! Mas se for um casal, cada um ganhando o SMIC, aí a situação já é bem mais confortável!
- Outra coisa que reparo é que por aqui todo mundo sempre falta ao trabalho por diversas razões diferentes, mas geralmente está doente! Acho estranho, pois até 3 dias de ausência no trabalho (mesmo justificada, com atestado médico), o empregado não recebe, ou seja, os dias de doença são descontados! A partir dos 3º dia, todos os dias de ausência são pagos. Então mesmo a minha chefe me disse que se for para ficar doente, melhor ficar doente para valer! Então, as ausências são geralmente longas... Fora isso, todo mundo vem trabalhar com uma doencinha leve (gripe mesmo forte e com febre, etc).
- Aqui existe muito contrato temporário, que eu via muito pouco no Brasil (ao menos menos que aqui). Por aqui um contrato por tempo indeterminado (CDI) de tempo completo, dizem que cada vez é mais difícil de conseguir. Tem muito contrato por tempo determinado (CDD) que pode ser de 1 semana a mesmo 12 meses ou mais!!! Sem contar os outros tipos de contratos, que são considerados ainda mais precários e que estão tomando conta do mercado: interim. Eh como se fosse um contrato terceirizado, por agências especializadas: pode ser um contrato pontual de 1 dia ou pode se estender por meses e ser renovado diversas vezes.
Só para se ter uma idéia, nesta empresa em que trabalho comecei com um CDD de 6 meses, ao final do contrato a pessoa voltou da sua licença e não tinha lugar para mim, depois me chamavam como interim toda vez que tinha alguém doente ou em RTT, ou em pequenos CDDs quando alguém saía de férias ou estava de atestado por um período mais longo. Até que quase 1 ano depois, me propuseram um CDI!
Muito complicado?

E para finalizar, todo francês que se preze tem como principal assunto de conversa reclamar do trabalho!!! (acho então que nesse aspecto estou me adaptando bem!)

E por onde você mora, o que mais chama a sua atenção na organização do trabalho?

94 comentários:

Glau Nott disse...

completei 2 anos de trabalho na mesma empresa em setembro, parecido :)
As regras da franca sao semelhantes as daqui.. e realmente esses contratos interim ou q renovam td hora tem demais por aqui oq nao acho justo.
Antes de trabalhar ja sabia que n teria o dindin do passe ou auxilio comida, mas pelo menos ganha-se mais aqui. Soh que tb os impostos sao bem altos principalmente pra quem ganha acima de £60k (axo q eh isso e nesse caso sao 40% do salario de imposto, axo meio terrivel isso..mas anyway
gostei do post :)

Wilma disse...

Quanto mais eu leio sobre a França mais me surpreendo. O que seria SMIC, seria o salário mínimo? Trabalhador francês é desestimulado a trabalhar: não tem jornada respeitada, o que ganha não dá pra se manter, pode ser demitido a qualquer momento e ainda tem que pagar Imposto e casar pra juntar renda!!! Os empregados que tem uma profissão como médico, professor, militar, etc deve ter uma legislação melhorzinha, não é??
Acho bem interessante aqui no Brasil o Fundo de Garantia do trabalhador, é uma poupança forçada que quando se aposenta, ou doença grave, ou se for demitido, tem esse valor corrigido monetariamente, podendo ainda ajudar financiar a casa própria, e os que ganham salário mínimo não pagam Imposto de Renda Anual.

Milena F. disse...

Bem, acho que dei uma visão meio negativa, o que não era exatamente a minha intenção! Mas queria alertar para o fato de que o mundo do trabalho por aqui está longe de ser uma maravilha!

Wilma, o SMIC é sim o salário mínimo. Mas quem tem esse contrato CDI (indeterminado) dificilmente vai ser demitido, então aqui ainda existem pessoas que trabalharam a vida inteira na mesma empresa, que reclamam mas nunca procuram outra coisa pelo conforto! E tenho a impressão que é verdade, os jovens decidem morar junto muito cedo, e muitas vezes pensam sim no lado financeiro "por que continuar pagando cada um o seu aluguel se podemos unir os trapinhos e pagar apenas 1?"
Quem é demitido aqui tem tb uma boa indemização e recebe seguro desemprego por bastante tempo.
Existem outras vantagens para mulheres grávidas e mães, assim como os pais. E na minha opinião, fora a moradia, o custo de vida aqui é bem mais baixo do que no Brasil! Meu marido tem irmão que mora no interior e que praticamente com o salário mínimo compraram casa de 2 pisos com grande jardim, possuem carro e férias no exterior todo ano.
Wilma, tb conheço muito militar com bom emprego e que diz que não consegue adquirir casa própria. O valor básico de uma consulta médica de um generalista é de 23€, então quantos paciientes por dia o mesmo precisa atender para ganhar os honorários dos médicos brasileiros? Você falou em professor, mas funcionário público aqui na França é outra história... Eles possuem muitas vantagens sim que deixam os demais com umacerta invejinha... Meu marido que é professor vive recebendo comentários do tipo: "vcs, funcionários...". Mas nem por isso ele tem 13º salário e não tem ticket refeição.

Tatiana disse...

Caramba Mi, que loucura!! Por isso é que eu gosto daqui...rs(USA), se paga por hora...onde ja se viu trabalhar de graça? Pra isso vou voluntariar onde realmente precisam!!!E olha que eu nasci na França...rs...mas nao gostei desse abuso nao!!!
Beijocas e parabéns pela super disciplina, pessoas como voce sao preciosidades no ambiente de trabalho, o sonho de todos os chefes...rs!!!E bonita então...rs...ó!!!!

Wilma disse...

Oi Milena, obrigada pela sua explicação. Fiquei feliz de saber que pelo menos na França professor é valorizado, isso é o máximo!! Estou pela primeira vez na vida aqui na Europa, comecei por Portugal/Porto e estou vendo uma realidade que é quase de todos os países, muita tecnologia, muitas opções de consumo, muitos avanços mas o ser humano perdido nisso tudo.

Mikelli disse...

caramba, e a gente reclama dos empregos aqui na alemanha...as regras trabalhistas sao bem mais rigidas..tipo, ninguem pode ser demitido sem um aviso previo de 3 meses no minimo. Vc pode ficar ate 3 dias em casa sem atestado médico e nao tem nada descontado do salario. Mas aos pouquinhos as empresas querem acabar com essas segurancas todas tb. Muito interessante saber como as coisas funcionam por ai. bjs!

Rhana P disse...

Muito esclarecedor seu texto Milena pra quem está se preparando para dar seus primeiros passos em solo francês.Valeu,Abraço!

Perfeita Beleza disse...

Nossa que loucura, pelo menos na frança o professor tem valor.

Beijos

Conheça meus blogs:

perfeitabeleza.blogspot.com
borboletandotendencias.blogspot.com

lininhameiaspalavras disse...

Nossa, fiz um comentário gigante e desapareceu...

lininhameiaspalavras disse...

Então vamos lá de novo.
Aqui na Holanda o sistema também é bem parecido, com os contratos temporários e os contratos fixos, ou por tempo indeterminado.
Antes da crise as empresas concediam mais facilmente um contrato fixo, hoje em dia só concedem quando não há mais solução. A lei holandesa prevê que existe um número máximo de contratos temporários a serem concedidos por uma mesma empresa a um mesmo empregado, o número não pode ultrapassar 3 contratos temporários. Depois disso ou renovam, ou te mandam embora. Infelizmente esta última opção tem sido a mais frequente no momento.
Eu tive dois contratos temporários, poderia ter recebido mais um, mas esse mês recebi o contrato permanente!
Em relação às faltas ligadas à doença, aqui também é a mesma coisa, nunca fica-se doente por menos de dois dias, mesmo que seja um simples gripe.
O que eu mais sinto falta aqui na Holanda é do trabalho em equipe, de ver os departamentos se ajudando. Aqui o quadro é super reduzido, hierarquia é bastante simplificada e é cada um na sua, sem essa de ajudar o outro ou participar de atividades interdisciplinares. Cada um no seu mundinho, na sua ilha pessoal.
Já do meu horário não posso reclamar, tenho horário flexível e trabalho de casa às vezes, o que é muito bom!

Beijos!

Milena F. disse...

Tatiana, você tem razão, mas não sei por aí, mas sei que no Brasil existe um regime "horista" e um regime "mensalista". No primeiro, todas as horas são pagas, mas no outro, as vezes a pessoa tem que trabalhar final de semana e feriado... e nada disso conta nas horas. Geralmente são cargos de chefia ou de mais responsabilidade, claro. Nos EUA sempre vejo que pessoas em cargos importantes não têm praticamente dias de folga ou férias...
Já aqui as férias remuneradas são de 5 semanas por ano... Quando estava na universidade, meus colegas estrangeiros falavam que em seus respectivos países as férias eram bem mais curtas...

Milena F. disse...

Wilma, é isso mesmo, você vê... o que eu quis relatar é que muitas vezes é muito diferente do que se imagina...

Mikelli, em uma região francesa chamada Alsace, que fica na fronteira com a Alemanha essa regra alemã dos 3 dias tb é respeitada, pois o território fez parte da Alemanha por muito tempo e depois reanexado. estranho, não, duas leis diferentes no mesmo país? E nessa mesma região as pessoas são melhor reembolsadas pela seguranàa social nos atendimentos de saúde, diferente da regra geral francesa. Mas esses 3 meses de aviso prévio acho exagerado! Pois tem que ser uma via de méao dupla! Ou seja, se a gente não aguenta mais o trabalho, imagina ter que continuar trabalhando por 3 meses? Um já é difícil... E não complica para procurar um outro emprego?

Rhana, são considerações bem gerais, mas dá para ter idéia do funcionamento da sociedade.

Perfeita Beleza, vejo os professores públicos aqui mais valorizados do que no Brasil... Mas por outro lado, aqui sendo o país da greve, o funcionário grevista não recebe pelos dias de greve! No Brasil sempre vi que néao havia perda de salário... geralmente muito tempo após o início da greve ameaçacam cortar os salários... A não ser que a lei tenha mudado!

Milena F. disse...

Lininha, seu recadinho chegou sim, obrigada! Obrigada por compartilhar sobre como se passa na Holanda! Parabéns pelo seu emprego!

Tatiane disse...

Nossa eu ja ia falar sobre os 3 dias, realmente aqui é pago acima disso é declarado como licença médica eu achei que isso fosse na França inteira!
Não reclamo mais da Alsace temos um reembolso de 90% isso é fato mesmo e os 3 dias pagos , vou mudar meu discurso.
Mas Milena quanto as horas a mais são sempre pagas por aqui todo mundo que eu conheço eles dizem que pagam, inclusive a galera faz muita hora extra para aumentar mais ainda o salario, raramente vejo esse dia de folga pode ser que no seu ramo de trabalho seja assim.
Amo a Alsace !!!!

Milena F. disse...

Tatiane, realmente não faz muito tempo que descobri que existe essa diferença entre a Alsace e o restante da França. Claro que existem horas extras sim, meu marido faz e eu tb, mas dificilmente TODAS as horas sao pagas... Ao menos para os cargos de chefia, que como eu disse as horas são mais "teoricas", pois existe uma historia de "forfait jour". E pela lei teoricamente nao se pode trabalhar mais de 10h por dia, nem mais de 48h por semana, mas isso nao pode se estender indefinidamente... E todos esses diretores que viajam a trabalho, com reuniões e viagens mesmo em dias feriados...
Mas eu ainda acho que o trabalhador "horista basico" trabalha por hora mesmo e é pago desta forma, mas quando vc trabalha em outro dominio e tem um projeto para entregar na segunda, pode ficar tralhalhando semanas a fio 12 horas por dia, finais de semana, e nem por isso é pago por isso, pois a obrigação é entregar o projeto, entendeu o meu ponto de vista?

Mirelle Siqueira disse...

Oi Milena,

Maridão ta aqui do meu lado dizendo que todos na empresa dele trabalham exatas 35h por semana, nem um minutinho a mais! E que o chefe tava ate reclamando que eles nao estavam respeitando as pauses do almoço, ou seja, trabalhando ainda menos. O Léo é cadre e realmente trabalha mais de 35h, mas ganha mais ferias por ano, por exemplo 11 dias a mais pelo simples fato de nao ter os horarios dele calculados. Mas ele nao faz 50H/semana nao, no maximo umas 40 e olhe la.

Sobre a parte do "polivalente" acho que isso so vale pra restaurantes ou lojas de departamentos mesmo, pq em empresas nao é o que vejo nao. Eles nao fazem uma virgula a mais do que esta no contrato. Se vc precisa de uma borracha amarela, a mulher te passa pra outro departamento pq ela so é responsavel pela borracha vermelha.

Sobre o salario minimo, como assim o salario aqui na França não é alto? Eh o 4° maior da União européia! Nao que seja maravilhoso, claro ,mas salario minimo nunca é pra ser maravilhoso, é pra ser o minimo mesmo, uma coisa determinada pros patroes nao pagarem menos do que isso. Eu acho o smic muitissimo elevado, comparado aos outros paises Europeus.

quem quiser ver os valores dos outros salarios, ai vai a tabela: http://www.journaldunet.com/management/repere/smic.shtml


vc ta na região parisiense? pq eu acho que por ai as coisas sao beeem diferentes do resto da França, talvez por isso eu tenha ficado tão surpresa com o texto.

bjim!

Milena F. disse...

Mirelle, obrigada pelo comentário, bom saber que existem empresas que ainda respeitam!
Eu não falei que o salário mínimo era "baixo" ou algo do gênero, mas que para uma pessoa sozinha, pagar aluguel e viver de salário mínimo era dificil... E aqui na França as diferenças de salário não são enormes. Por exemplo, no Brasil eu ganhava 7 vezes o salário mínimo da época, mas aqui na França, vou ganhar 20%, 50%, se tiver realmente um poste muito estratégico posso chegar a 3 mil euros como responsável de RH?
Mas 3 mil euros não é a realidade da maioria dos franceses, e mesmo esse valor não é enorme em paris, quando os aluguéis e imóveis são absurdamente caros...
Na Alemanha (que não está na lista) os funcionários da minha empresa ganham mais, mas eu particularmente acho o custo de vida lá mais barato de uma forma geral. Amigos que moraram e moram na Espanha comentam que com 800€ lá dava para fazer muita coisa, mas já aqui em Paris... Esse mês recebi duas grandes contas anuais: 1500 euros de taxe d'habitation e a mesma coisa de taxe foncière... Meus cunhados, por uma casa enorme com jardim na Normandia pagam 200€ de taxas! Imagina a diferença?

Milena F. disse...

Mirelle, esqueci de esclarecer/ falar do polivalente! Só para citar um exemplo, quando a sede da minha empresa mudou para um prédio enorme e chique de 6 andares, até mesmo o PDG guardou suas coisas em caixas e ajudou na mudança... cada setor organizou a sua "bagunça" e ainda tinha ordens de deixar a antiga sala limpa... Então tinha mesmo diretor passando o aspirador!
Em muita empresa, com exceção do diretor, os outros não possuem "secretária", então, se tiver que viajar, é o próprio funcionário que compra a passagem e reserva o hotel (a empresa indica onde) e depois o mesmo é reembolsado ou então pode pedir um adiantamento para essas despesas. Tudo reservadinho e bonitinho apenas quando se trata de uma "grande viagem" ou evento!
A lâmpada queimou? A pessoa que viu que vai trocar... A janela quebrou? A pessoa que vai ligar para a empresa responsável para solicitar a manutenção... O setor vai organizar um evento? Alguém vai ser designado para alugar o local, encomendar os comes e bebes, a decoração...
A primeira vez que tive que organizar um mini-evento, recebi uns móveis desmontados e percebi que era eu e que tinha que montar! Xi, nunca tinha feito isso na vida, e minhas colegas acham supernormal, dizem que desde os 7 anos montavam móveis da Ikea! Recebi um manual até de como fazer as composições de flores, a decoração, montar os móveis e disposicioná-los... Da primeira vez não sabia nem por onde começar e meu marido veio me ajudar após o tabalho a montar os móveis e arrumar as flores! Agora faço sem problemas!!!

Juliana disse...

Oi, tudo bom??

Descobri seu blog agora, pois estou pesquisando sobre a França, penso em morar e estudar aí...

Se fosse possível, gostaria que respondesse algumas dúvidas, já tinha bastante caramilholas na cabeça, após ler seu texto fiquei com mais... rsrs!!

Seguinte, do que se trata esse SMIC?? Nunca ouvi falar nele... *-*

E quem estuda?? Faz faculdade?? As empresas tb obrigam a ficar trabalhando até altas horas, não te liberam não??

Também gostaria de saber mais ou menos o valor das Universidades francesas; já dei uma olhada e vi que não é tão caro, que o difícil mesmo é ENTRAR, mas queria saber se dá pra se MANTER pagando a Universidade, dividindo um apê pequeno com alguém, e pagando esse tal de SMIC que eu nunca ouvi falar... *-*

Desculpe pelo incômodo, agradeço de antemão pela sua atenção...

Se preferir me contatar pelo twitter ou facebook (acho mais fácil), aqui estão os links:

www.twitter.com/petitejuh
www.facebook.com/petitejuh.br

Já tô te seguindo no Face e no Twitter tb... Abraços!! ;)

Juliana disse...

Corrigindo: não achei seus links no Face nem no Twitter... :/

Milena F. disse...

Oi Juliana!
SMIC é o salário mínimo na França... As universidades aqui são todas públicas, não tem mensalidade, mas uma taxa de inscrição anual. Mas as universidades são menos reputadas que as "grandes escolas", essas sim pagas, mas existem bolsas tb! Pelo que eu sei tem muita vantagem para estudante por aqui... Além de bolsa e ajuda no aluguel para os estudantes com menos dinheiro, existe a possibilidade de trabalhar algumas horas por semana para completar a renda. Até onde eu sei, os empregos estudantes séao mais espeitados em termos de horarios, pois o empregado-estudante chega na hora marcada para fazer o seu trabalho pontual e depois vai embora. Existe (se é que existe) bem menos engajamento com a empresa, entende?
Os estudantes, apesar de uma vida um pouco apertadinha, sempre ouvi falar que podem viver bem sim, pois geralmente eles se contentam em morar em um quartinho ou dividir o apto com outras pessoas, o que torna as despesas com moradia bem mais em conta!

Renata Inforzato disse...

Mi,

Essa das horas extras no Brasil é o banco de horas, onde as horas acumuladas podem ser tiradas em folgas ou em dias de férias, mas na prática isso nunca acontece.
Nos meus 13 anos de jornalista lá no Brasil, só trabalhei por contrato e nunca tive as vantagens da CLT. E infelizmente isso tá aumentando. Meu irmão, por exemplo, agora é PJ, paga imposto como empresa, tem deveres de trabalhador e nenhum direito... Na teoria é contra lei, mas ninguém faz nada. O mercado de trabalho lá está totalmente desregulado....
Ah, e uma vez, nesses meus trabalhos de contrato, estava há um ano e meio em uma assessoria de imprensa. Tinha horas ao infinito, pq nos eventos já trabalhei até seis horas da manhã e vários finais de semana. Pois é, e quando disse q ia tirar férias, ele me mandou embora...
bjssss

Enaldo disse...

Estranho, fiquei com a sensação de que a classe média trabalha apenas de 10h às 4h e 30min. Andei muito de manhã cedo, em dias úteis, e não via ninguém.

Agora, de manhã cedo no metrô só se vê os pobres africanos e magrebianos, são os mais explorados.

Milena F. disse...

Enaldo, vc não via muita gente nas ruas pq estavam todos trabalhando!!!
Brincadeira!
Eh verdade que bem cedo pela manhã, lá pelas 5h da manhã, os transportes estão lotados principalmente de imigrantes, que possuem em geral os empregos mais difíceis em que se começa cedo (ou então pq moram muito longe do local de trabalho e precisam sair de casa cedo). Mas lá pelas 7 horas vc já ve os transportes lotados. Vale lembrar que as zonas empresariais de Paris e arredores, com muita concentração de empresas, como La Defense e La Plaine St Denis, não são os lugares em que os turistas visitam muito, ainda mais cedo :)
Uma amiga trabalhou na Virgin MegaStore de La Defense (não a do centro comercial, mas na saída do RER), lá eles começam às 7h e essa hora já é lotado de pessoas que fazem compras antes de ir para o trabalho. E se vc pegar o metro em semana lá pelas 20h vai encontrar muito engravatado voltando para casa! Ou seja, eles não terminam exatamente o expediente às 16h...

Aline Souza disse...

Oie Milena, estava fuçando o seu blog para ler alguns posts para te conhecer melhor e cheguei neste post que achei super curioso. Eu não tinha a mínima idéia de como era o sistema por aí. Olha, aqui no EUA, pelo menos nos lugares que trabalhei, foram em geral bem diferentes. Aqui não existe uma lei que regulamenta tudo como a CLT brasileira, então, cada canto faz as próprias regras. Na primeira clínica que trabalhei o sálario era mensal, e as horas extras não eram exatamente bem controladas. Eu tinha horário para entrar, mas não para sair. Faltar por doença não tinha desconto financeiro, mas era descontado dos seus dias de férias. Hoje recebo por hora, tbm tenho hora para entrar, mas não para sair. Minhas horas extras são pagas como horário de trabalho normal, e tenho uma semana de férias remunerada e uma sem remuneração, que contam para casos de afastamento médico. Meu marido que é residente médico se lasca rsrsr O salário é mensal, e é o mínimo. Ele trabalha uma média de 80 horas por semana, mas muitas vezes chega a ser 100, e ele não ganha nada por estas horas extras (nem folgas). Faltar por doença não causa nenhum desconto, mas geralmente interfere nas férias... Tão interessante ver estas diferenças!! Adorei o post. Bjuss

Rafael Guerra disse...

bonjour Milena!

Parabéns pelo Blog, Eu estou tirando dupla nacionalidade Portuguesa e tenho interesse em passar um tempo na frança estudando Francês e arrumar um trabalha para complementar Renda. Minha duvida é, falando um pouco de francês e com a dupla nacionalidade Portuguesa consigo arrumar trabalho legal ( com contrato de Temporário ) Merci beaucoup

Milena F. disse...

Aline, sempre ouvi falar mesmo que nos EUA tudo é negociado no contrato... Alguns conhecidos americanos, quando eram estudantes trabalhavam em bares ou na construção para ganhar um dinheirinho, e falam que mesmo em casos de acidente de trabalho não podiam nem ir ao médico pois sem seguro saúde a consulta e o tratamento são caríssimos, sem contar que não podiam perder dias de trabalho...

Rafael, sem falar um francês básico fica difícil encontrar um emprego legal, a não ser que seja com brasileiros/portugueses ou em empresas que falam outra lingua (como o inglês) se vc tiver um outro idioma fluente. Tudo vai depender dos seus contatos! tem gente que consegue, mesmo trabalhando na construção, com portugueses, ganhar dinheiro, economizar e viver bem, mas uma boa parte vive como se diz "matando cachorro a grito", vivendo para comer e morando em locais insalubres...

Milena F. disse...

Cadu, seu comentário entrou nos spams e na hora de restaurar, acabei excluindo e não consigo recuperar! Sinto muito, mas pode escrever novamente que tomarei mais cuidado!

c.love disse...

Obirgado pelo post Milena, me ajudou muito a respeito de algumas dúvidas que tinha sobre imposto de renda, isso porque comecei a trabalhar há dois meses e já penso no imposto de ano que vem.
Quanto aos valores de aluguel ainda preciso achar alguém pra morar junto haha não tenho com quem juntar meus trapinhos haha.
Queria conhecer mais brasileiros aqui, pra fazer amizade. Um abraço!

Milena F. disse...

C.love, a declaração é sempre no ano seguinte, então se o salário é alto é bom prever uma reserva para não ser surpreendido com uma soma alta a ter que pagar quase a vista! (pode-se pagar em 3 mensalidades, caso você não mensualize o ano inteiro com antecedência).
Para economizar na moradia é mesmo bom dividir com alguém, pois você deve ter visto que énisso que o dinheiro vai embora, no mais o custo de vida aqui não é muito alto.
Néao consegui acessar seu perfil (se vc tem um disponível), mas vamos mantendo contato (tem a página facebook à direita se vc quiser entrar para nos comunicarmos mais facilmente) e assim posso te apresentar a alguns brasileiros que conheço por aqui, e que não são poucos!!!

Julio P Vicente disse...

Oi Milena, ano que vem pretendo me mudar para Paris (na verdade será Saint-Denis, quero fazer meu mestrado na Universidade que fica lá), e acabei achando seu blog enquanto procurava informações.

Ainda estou inseguro sobre se conseguirei me manter por aí. A Universidade pelo que eu sei, começa só em setembro/outubro, entāo pensei em me mudar no começo do ano para ir me acostumando e conseguir um trabalho. É muito difícil conseguir um primeiro emprego aí? Existe alguma forma de conseguir ajuda pra procurar emprego? Trabalho como designer e fotógrafo aqui no Brasil e faço freelancers além do trabalho fixo, você sabe se seria possível conseguir freelancers por aí? Além disso estarei já formado em publicidade em propaganda quando chegar.

Desculpa o amontoado de perguntas, se puder por favor responder serei muito grato, nāo tenho com quem tirar dúvidas sobre isso.

Obrigado!

c.love disse...

Legal...
não sei porque meu perfil não está funcionando.
Realmente o custo de vida não é muito alto não, mas os alugueis bem complicado, não dá pta morar sozinho, sempre em colocação hehe
Vou te adicionar lá.
Até mais.

Milena F. disse...

Julio, se você vier legalizado pode urilizar todos os recursos disponíveis por aqui para procurar emprego. O problema de quem chega de outro país é chegar sem "recomendações" de empresas e/ou clientes que são reconhecidos por aqui. Sempre facilita quem tem contatos (um bom networking), é isso que vai fazer a diferença na hora de conseguir um emprego, ainda mais para trabalhos de freelancer!!!

c.love, isso mesmo, con,cordo com você! Boa sorte e espero que dê tudo certo!

Anônimo disse...

Ola!
Sou carioca e recebi uma proposta para trabalhar como tercerizado, contrato PJ ( deverei abrir minha própria empresa na França) numa empresa de engenharia em Paris. Não estou conseguindo informaçōes sobre o descontos de impostos neste tipo de contratação. Vc poderia me ajudar? Obrigado Luis

frank guimaraes disse...

Ola Milena,
Estou me aposentando no Brasil.
Quero viver 2 anos na França, mais pelo aspecto cultural e para aprender a lingua mesmo.
Terei renda sufuciente para viver bem aí !!!!
Nao sei se vc pode me ajudar, mas preciso saber Qual o melhor caminho pra mim.
Abs
Frank Guimaraes

Milena F. disse...

Frank, muito interessante o seu projeto!!!

No caso de uma aposentadoria no Brasil e você conseguindo provar rendimentos que permitam viver na França, provavelmente você não terá problemas.

Você tem que pedir um visto na consulado da França mais perto da sua cidade. Trata-se de um visto de VISITANTE.

Você vai ter que escrever uma "carta de motivação" explicando seus projetos (objetivos, duração, garantias), justificar a sua situação econômica no Brasil (aposentadoria, por exemplo)

Melhor se dirigir ao consulado (por e-mail ou telefone, em um primeiro tempo) para saber um pouco mais sobre esse visto.

Boa sorte!!!

Bernardo Camara disse...

Vejo seu post, exposto em total pessimismo, e pergunto a você porque está aí se é tão ruim? O Brasil que é bom não é? rsrsrsrsrs
Estive em Paris e Milão em 2005 ate 2007, e tudo que faço hoje é para voltar, e morar com minha família em Paris. Não voltar no Brasil nem para ir a praia. Aqui o cidadão é tratado como palhaço, na mão de um governo corrupto e de bandidos.
O Trabalho na frança é mais correto e não há lugar para funcionário malandro, diferente do Brasil que o trabalhador é quem manda no patrão. Por isso a diferença socioeconômica entre Brasil e França. Onde há mais seriedade?

Milena F. disse...

Bernardo,
Se você der uma olhadinha no blog, são quase 400 artigos dos quais a maioria sobre a França, e depois me diga se você achou que eu falo do país dessa forma "pessimista".

Minha intenção não era passar uma imagem tão "pessimista" da França, mas simplesmente alertar que aqui também não é um mar de rosas. Existem vantagens e inconvenientes em qualquer lugar.

Mesmo sobre as leis sociais, que sempre me pareceram bem mais avançadas na França, aqui o funcionário doente não recebe os 3 primeiros dias se estiver doente... E em caso de doença mais longa, o salário é reduzido pela metade (uma exceção para a região da Alsace, cujo sistema é diferente).

Outro detalhe é que quando o empregado na França passou o período probatório, ele não pode mais ser demitido, o que faz com que muita gente aproveite para não fazer mais nada...


Mas felizmente existem empresas sérias nos dois países e gente séria e trabalhadora aqui e aí. Espero que você consiga realizar o seu sonho e voltar para a Europa, o importante é conseguirmos estar onde desejamos. Boa sorte!

Andréa Rodrigues disse...

Olá Milena. Tentei te escrever pelo blog mas não consegui e por isso estou te escrevendo por aqui. Estou com uma dúvida e talvez você pode me ajudar. Estou terminando meu doutorado em geografia esse ano no Brasil. No entanto, tenho um namorado francês e estamos querendo viver juntos em Paris. Você acha que com o meu diploma de doutorado eu posso conseguir um poste de professora na França? Será que um Doutorado feito no Brasil é válido para tentar entrar em alguma universidade ou faculdade por aí? Agradeço muito se puder me dar algumas dicas.
Andréa

Ju disse...

Olá Milena! Me disseram que alguns brasileiros estão indo para a França para dar aulas de Língua Portuguesa, vc tem conhecimento disso?
Abc,
Juliane

Fernanda disse...

Milena,
poderia me dar uma de ideia de renda ideal para um casal viver bem em paris? Estou pesquisando para aceitar ou não uma proposta de trabalho. Acima de 5 mil euros líquidos apôs impostos esta ok?

Obrigada!!!!

Milena F. disse...

Andréa, de uma forma geral, para dar aulas nas universidades daqui geralmente é necessário passar por um concurso, que por sua vez exige a nacionalidade francesa ou de um dos países da UE.
Restam as Escolas Superiores que são privadas, ou outros tipos de contratos que não sejam de "titular". Tudo vai depender do seu currículo e se os seus estudos são valorizados por aqui, dependendo da sua área de atuação. Sei que existem diversas áreas na Geografia.

Juliana, sim, tem aumentado a procura pelo aprendizado da língua portuguesa e alguns brasileiros aqui trabalham com isso. Porém, pelo que é do meu conhecimento, geralmente não é o suficiente para se dedicar somente a isso como trabalho, já que com a concorrência (e a demanda) fica difícil conseguir alunos suficientes para viver só disso. Escolas oferecem poucas turmas, e o professor acaba trabalahndo somente algumas horas por semana.

Fernanda, tudo vai depender do seu padrão de vida. Mas de um ponto de vista geral, 5 mil euros por mês, livre de impostos é um salário muito bom aqui na França, mesmo em Paris.

Fabiano Cezar disse...

Ola Milena!!
Acabei de me formar como Engenheiro Agronomo e minha namorada foi estudar ai a uns meses atras por um programa do governo ela só retornara em 2015 e estamos pesquisando juntos se tem alguma maneira pra que eu possa conseguir um emprego em Paris e morar com ela ate quando ela for voltar achei seu blog muito interessante e queria saber se vc poderia de alguma maneira me dar alguma idéia..muito obrigado

Diego Colombo disse...

Olá, Milena. Tudo bem?
Então, moro nos EUA e gostaria de voltar a morar na Europa, pois tenho cidadania italiana e acredito que trabalhar e viver na Europa legalizado poderá ser melhor.. Já morei na Itália, mas não gostei muito.. Gostaria de me mudar para França ainda este ano (metade ou final), inclusive já estou estudando a língua para chegar aí sabendo me comunicar. Você acha que, sabendo Se cominicar, e com a cidadania para trabalhar legalmente, as coisas ficam mais fáceis?
Será que poderia me add no Facebook para que continuemos em contato?

Obrigado :)

flavia disse...

Milena, sou estudante de psicologia e pretendo fazer mestrado e doutorado em paris. Gostaria de informações a respeito da área de psicologia na França: moradia estudantil, melhores universidades, bolsa e auxilio para estudante. Também tenho interesse em saber a média salarial do psicológico e as oportunidades existentes. Caso eu decida ficar quando terminar o doutorado é necessário a validação da minha graduação para que eu possa atuar, ou o doutorado realizado no país basta? Para dar aula nas universidades como a "paris VII" é necessário concurso, e é possível um estrangeiro participar da seleção? Também tenho curiosidade em saber o salário e os benefícios desses professores. Desculp o bombardeio de perguntas! Serei muito grata pela ajuda. Abraços

Milena F. disse...

Fabiano, até onde eu sei, para vir legalmente, somente se vocês fossem casado, ou então você teria que, por sua vez, vir como estudante.
Não conheço muito bem as perspectivas de trabalho de uma forma geral para os engenheiros agrônomos, qual o espaço de atuação de vocês, mas a França deixou de ser há muito tempo um país agrícola. Existe sim MUITOS pequenos produtores pelo país inteiro, mas é bem mais uma agricultura familiar. Eh melhor você pesquisar essa area!

Diego, já conversamos pelo facebook, não hesite se tiver outras questões!!!

Flávia, somos da mesma área, então!!! Você pode fazer um master 2 PROFISSIONALIZANTE em Psicologia, que esse sim autoriza a trabalhar na área aqui na França, mas que geralmente é mais fechado para estrangeiros... Geralmente quem vez estudar aqui faz um master "científico" (pesquisa), que não autoriza a mais tarde trabalhar como psicólogo, e então você teria que passar por todo um processo de validação de sua graduação, que é caro, demorado e complexo.
Infelizmente eu me decepcionei muito com as perspectivas de trabalho em psicologia na França, na prática a área é muito menos desenvolvida e valorizada do que na teoria.
Poucos empregos, geralmente por concursos (e para isso é necessário ter nacionalidade francesa ou de um dos países europeus). Muita gente começa trabalhando em aslos, algumas horas por dia, com salários e condiçéoes precárias.
Quem pode abre um consultório, e de acordo com a reputação pode se dar bem na área.
E para piorar, aqui na França praticamente não existe essa possibilidade de psicólogo atuar em RH ou treinamento, como acontece no Brasil. Aqui se acha que as duas áreas são totalmente incompatíveis e "nada a ver"...
Os professores universitários de uma forma geral têm um bom status de vida e bons salários, mas como eu respondi acima a outra pessoa, é através de concursos...

Maria disse...

Bom dia, sou portuguesa meu marido é brasileiro mas ainda nao tirou ainda a dupla nacionalidade.Dá para ele trabalhar na França com contrato de trabalho de uma firma portuguesa? Estou um pouco confusa pois ouvi dizer que só dá com nacionalidade portuguesa ou francesa.Obrigada.

Milena F. disse...

Maria, se você é portuguesa, vocês residindo na França seu marido tem direito a acompanhá-la e à trabalhar. Mas tem que dar entrada na documentação na prefecture mais próxima de onde vocês moram (ou irão morar). Pode demorar um pouquinho de um lugar a outro, mas ele tem todo o direito.
Um visto de trabalho já normalmente é mais demorado e complicado. O mais simples é ele dar entrada nos papéis através dos laços de casamento.

Bruna Gabriella disse...

Estou pensando em ir embora do Brasil estava pensando em paris mais o custo de vida um pouco elevado nao sei se dou conta nao falo a língua seria um pouco difícil arrumar um emprego rápido ai ? Ja fui pra suíça mais acho q lá o custo de vida é maior que paris ainda gostaria de saber algumas opiniões obrigado

Sasha Leur Sasha disse...

Oi. Meu nome é Sasha, gostaria de saber como eu faço pra ficar tanto tempo na França, nasci em Bordeaux mais fiu registrada no Brasil, gostaria muito de morar ai permanentemente e legalmente tbm, gostaria que vc me desse umas dicas,de como permanecer tanto tempo legalmente.Esperando sua resposta, obrigada.

Anônimo disse...

Oi Milena,leio seu blog a bons anos,e gostaria de retirar algumas duvidas com você.
estou indo cursar minha granduaçao na frança e gostaria de saber se uma Brasileira consegue estagios com facilidade? Geralmente qual a faixa de salario pra quem pode trabalhar no maximo 20h semanais?
Não entendi muito bem esta taxa do imposto de renda que você falou que é 22%. É anualmente ou mensalmente? Grata ate entao
Natalia

Milena F. disse...

Oi Natalia!
Se você estiver estudando aqui na França e tiver um bom nível de francês provavelmente não terá nenhum problema para conseguir um estágio.
Sobre os salários de estágios não estou por dentro, mas já vi 700€ por mês para 35h por semana (durante as féris).
Se for um contrato de trabalho normal, o valor bruto POR HORA é de 9.53€, mas tirando todos os descontos (esses 22% dos quais falei), o que vc recebe é cerca de 7.47€ por hora.
Esses 22% dos quais falei se referem aos encargos trabalhistas/sociais, não inclui importo de renda.
Mas provavelmente trabalhando cerca de 20h por semana e com um salário modesto de estágio ou emprego modesto você não chega a pagar imposto de renda.

Anônimo disse...

Muito Obrigada mesmo por me esclarecer Milena minhas dúvidas em relação aos estágios. Penso em cursar economia na França,porém tenho um receio,os franceses são receptivos nas auniversidades? Ja ouviu algo a respeito,se eles tem programas para estrangeiros etc...
Onde posso me informar sobre se pago ou não o imposto de renda? Sabe sobre algo de revalidação de diploma no Brasil,cursando a graduação ai na França? No meu caaso (Ciencias Economicas)?
Grata pela sua atenção. Grande Beijo, Natalia :)

Anônimo disse...

Oi Milena, ai em Paris ou outras cidades da França nao existem lojas como "poundland" "jumbo" etc? Que são tudo por 1 (libra,euro,reais) por ai? Como se fossem 1,99

Anônimo disse...

Oi Milena, quais as consequencias para quem não pagou imposto de renda quando viveu legal na Franca? Pode pisar na Franca de novo?

Milena F. disse...

Anônimo, poder pisar pode, a não ser que exista um mandado judicial, por exemplo, mas o problema é que se voltar a viver na França, vai aparecer essa divida, com juros e correções monetarias...

dimitri edim disse...

Olá Milena, boa noite.
Li muitos comentários que tem postado anteriormente.
Concordo com vc em quase todos no que diz em relação a trabalho, realmente está muito difícil arranjar aqui. Cheguei na França em Bordeaux no dia 05/08/14 com um diploma de engenheiro civil obtido no Brasil, que aqui foi reconhecido como license ( bac +3), ou seja não consegui trabalho nem como assistente de engenharia ( bac+2), o único trabalho q consegui foi com as vendanges.
Gostaria de conselhos da sua parte em relação a como fazer os devidos contatos, quem procurar, que órgão procurar, para uma orientação a que tipo de trabalho podemos nós candidatar aqui com uma formação dessa ( minha área )??
Pois mesmo para outros trabalhos ( outras áreas ) q pagam o SMIC, eles exigem q o candidato tenha anos e anos de experiência.

Grato,

Dimitri

dimitri edim disse...

Olá Milena, boa noite.
Li muitos comentários que tem postado anteriormente.
Concordo com vc em quase todos no que diz em relação a trabalho, realmente está muito difícil arranjar aqui. Cheguei na França em Bordeaux no dia 05/08/14 com um diploma de engenheiro civil obtido no Brasil, que aqui foi reconhecido como license ( bac +3), ou seja não consegui trabalho nem como assistente de engenharia ( bac+2), o único trabalho q consegui foi com as vendanges.
Gostaria de conselhos da sua parte em relação a como fazer os devidos contatos, quem procurar, que órgão procurar, para uma orientação a que tipo de trabalho podemos nós candidatar aqui com uma formação dessa ( minha área )??
Pois mesmo para outros trabalhos ( outras áreas ) q pagam o SMIC, eles exigem q o candidato tenha anos e anos de experiência.

Grato,

Dimitri

Milena F. disse...

Dimitri, sinto muito que vc esteja sentindo na pele essas dificuldades.
Infelizmente nem sempre os estudos e a experiência que tivemos no Brasil são devidamente avaliadas. Aqui na França geralmente mesmo para empregos considerados simples no Brasil se exige uma formação! Então o estrangeiro que chega, sem o devido diploma e experiências reconhecidos, acaba sendo deixado de escanteio.
Para conseguir um emprego, primeiro vc precisa auto-avaliar as suas competências. O que vc sabe fazer? Fazer um curriculo e carta de motivação bem direcionadas para CADA vaga, e bem escrita ortograficamente.
Você estah inscrito no Pole-Emploi? Muita gente critica, mas o seu conselheiro pole-emploi geralmente estah apto a passar dicas de onde buscar vagas para a sua area.

Boa sorte!!!

Claudia Muniz disse...

Oi Milena!
Que bom, vc ainda responde aqui no blog!
Sou do RJ, arquiteta, formada. Morei em Paris em 2013. Estou voltando agora em 2015. Pretendo ficar 3 meses, arrumar um local pra ficar e trabalhar em qualquer coisa, não necessariamente em minha área. Em junho volto pro BR, pra pegar meu visto e começar meu mestrado profissional.
Você sabe aonde conseguiria algum trabalho temporário? Aonde buscar ou o que fazer? Quero me estabelecer em Paris, sei que é difícil no começo, mas uma hora tudo se ajeita.
Obrigada!
Claudia

Henrique Franco disse...

Olá Melissa, eu estou no terceiro ano do ensino médio e vou completar 18 anos no final do ano. Fiquei sabendo que as universidades são publicas na França, e estou buscando fazer a minha graduação/licence neste país, e se tudo der certo morar ai tbm hehehe. Gostaria de saber como funciona o processo de seleção para estudantes entrangeiros, se eu conseguiria viver apenas com os empregos de
20 horas semanais ou precisaria de algum auxilio, alem de me indicar algum site onde eu possa me informar melhor. Sei que essas minha atitude pode soar inconsequente mas vc nao sabe o quanto que quero isso, nao soh pela experiencia em outro pais e cultura (e que cultura) mas tbm para sair dessa minha zona de conforto em que eu estou, em que tudo eh muito facil e simples, e a vida nao apresenta dificuldades, quero passar perengues na minha juventude, me mudar para um pais em que nao sou fluente na lingua local, ter de trabalhar em empregos (subempregos hehe) e viver com o minimo necessario. Eu desejo muito tudo isso.
Bem, obrigado por ter paciencia para ler tudo, e eu estou esperando ancioso pela sua resposta. :)

Graiella disse...

Oi Milena boa tarde!
Tenho uma duvida, meu esposo ficou tres meses na França e la conseguiu um trabalho de contrato a contratante ate foi a prefeitura pedir autorização e eles aceitaram, mas pedirma pra meu esposo vir ao Brasil pegar o visto de trabalho, agora aqui informaram que tem que a contratante mandar um formulario via consulado e ministério do trabalho aqui pra o Brasil so aasim depois terá uma entrevista pra ver se consegue esse visto, vc sabe me dizer quanto tempo leva esse processo? sabe me dizer se depois que chegar a documentação aqui e fizerm a entrivista podem ainda negar o visto de trabalho, uma vez que a vaga la e de uma profissão de sapataria. obrigada

ingrid moraes disse...

bonjour milena, parabéns pelo blog e pela simpatia e disposição para responder todas as perguntas. no inicio do mes de maio vou com meu namorado morar em Paris, sou recém formada em gastronomia, gostaria de saber se por ser formada tenho alguma vantagem para conseguir emprego em um restaurante, e se você acha que consigo em menos de 3 meses um contrato para conseguir ficar legalmente no pais. Falo inglês fluente e estou estudando francês, ja falo o básico. É comum contratarem estrangeiros nesse tipo de comercio? gostaria de saber se você tem conhecimento sobre o assunto.. obrigada. bjo, bom final de semana

Milena F. disse...

Oi Ingrid, tudo bem?
Nessa area é muito comum ter estrangeiros, mas o mais complicado é que você, pelo seu comentario, parece não ter ainda um documento que permita trabalhar na França. O Visto de trabalho é muito complicado e precisa ser feito no pais de residência, de acordo com as regras não se pode chegar como turista, conseguir um emprego e pedir o visto depois. E a empresa precisa preencher toda uma papelada (e inclui custos e responsabilidades), então geralmente as empresas preferem contratar alguém que jah tem documento no local (estrangeiro ou não).
Melhor se informar no consulado francês no Brasil mais perto da sua casa, eles devem te passar todo o procedimento necessario!

Você leu o comentario da Graiella acima? O marido dela teve que voltar ao Brasil para pedir um visto de trabalho no consulado da França e a empresa que deseja contrata-lo precisa enviar a documentação via consulado e ministerio do trabalho, para entao conseguir uma entrevista no consulado.
Caso contrario seria muito simples, imagina, o mundo inteiro viria para a Europa, conseguiria um emprego e se legalizaria. Infelizmente não é assim e é por isso que existem muitos ilegais.
Boa sorte!

Ana Paula disse...

Millena... Muito legal seu blog!!
Estou estudando a possibilidade de ir fazer um mestrado M2 na França.
Sou formada em Administração e atualemnte faço MBA aqui... O que me preocupa é primeiramente a aceitaçao dos estrangeiros no mercado de trabalho na França. Qual sua experiência em relação a isso?
Outra questão é minha idade... Tenho 27 anos e pretendo ir com 28. Acha que estou muito velha para ingressar no mercado de trabalho por ai?
Minha principal motivação é a crise no Brasil e o fato do meu noivo ter um apartamento em Paris (o pai dele é francês).
Ahh.. Como meu francês é internediário (faço aula particular ha 1 ano) pretendo fazer o M2 em inglês.

Teste do meu blog disse...

Olá Milena
Em que área de atuação você trabalha? Sonho e mudar para a França, tentando transferência para o escritório de Paris da empresa onde trabalho. Confesso que seu post me deixou um pouco assustado. Obviamente que não penso em vida mansa, mas em trabalhar como já trabalho no Brasil (ou seja, muito), mas com educação melhor para meu filho, segurança, qualidade de vida, cultura. Você recomendaria viver em Paris?
Obrigado e um abraço.
FCalvin

Milena F. disse...

FCalvin, recomendo Paris para quem busca cultura, melhor educação para os filhos e qualidade de vida/segurança (mas nesses dois items outras cidades da França seriam mais indicadas, eu adoro Paris, mas os franceses geralmente preferem se mudar de Paris em busca de uma vida mais calma, mais segurança, moradia mais ampla, etc).
Tudo vai depender também da sua area de atuação. Tem como tentar conversar com pessoas da sua empresa que jah moraram em Paris? Geralmente cargos de responsabilidade exigem trabalhar bastante mesmo... Muitos amigos nunca conseguem sair do escritorio antes das 19h30, inclusive uma amiga brasileira veio com a idéia de que trabalhando 35 horas por semana poderia terminar sua jornada às 17h, aproveitar da cidade, etc, mas na realidade foi bem diferente. Ela trabalhava quase todos os dias até às 22h (quando não era mais). Ela trabalha na area de finanças.
Aqui na França se a gente tem um emprego mais "simples", pago de acordo com as horas trabalhadas, na hora H a gente vai embora, ou se fica mais tempo recebe hora extra ou banco de horas. Mas cargos com mais "responsabilidade" (é dificil explicar, aqui existe um termo que que é "cadre", mas não encontrei equivalente em português) não são pagos por hora, mas por dias trabalhados e não se conta horas. Existem folgas previstas por ano (RTT). Tem que ver quais as regras da empresa. Por exemplo se você tiver direito à 12 RTTs por ano (o equivalente a 1 por mês) veja como eles podem ser usados. Na minha empresa eu posso tirar no maximo 3 RTTs juntos (para um amigo é um por mês, outros conseguem acumulhar e pegar 2 semanas de férias). Eu nunca consigo tirar mais do que 4 RTTs por ano devido à atividade da minha empresa que exige a minha presença em periodos estratégicos do ano e o resto no meu caso é pago no final do ano.

Vinícius Cavalcante disse...

Olá Milena, estou indo em Janeiro para Páris, morar e trabalhar. Sou bacharel em Direito, mas antes fui professor no Senac, atuando no seguimento de beleza, sou um excelente cabeleireiro e maquiador. Minha pergunta é: será fácil conseguir trabalhar em um salão renomado em Páris?
Como posso conseguir um emprego em um salão padrão?

Milena F. disse...

Oi Vinicius,
Para trabalhar como cabelereiro na França os diplomas estrangeiros são aceitos (mas se você quiser também pode fazer uma equivalência ou validar seus conhecimentos, se não tiver diploma).
Acredito que se você for um bom cabelereiro pode conseguir trabalho, mas jah não sei te dizer em relação aos salões renomados. Imagino que nos salões renomados exista pouca rotatividade de cabelereiros (que ficam muito tempo no emprego) e assim não tem muita vaga, ou quando abre, elas são bem concorridas. Uma questão de tempo, estar no lugar certo e na hora certa.
Porém sobre a atuação na area do Direito é bem complicado para estrangeiros com diplomas estrangeiros (fora da Europa e Canada).

Boa sorte!

daniele oliveira disse...

Olá Milena! Por favor, uma dúvida... Indo com visto de estudante, poderei trabalhar 20 h por semana. Pagarei impostos? Vc comentou que uma pessoa solteira, sem filhos e que recebe salário mínimo paga, mas o fato de estar aí como estudante estrangeira, não muda a questão? Se meu comentário for enviado várias vezes, eh pq cai td hr q clico em publicar... Rs muito obrigada! Daniele

Milena F. disse...

Oi Daniele! Quem trabalha 20h por semana normalmente não paga impostos, a não ser que seja um emprego MUITO bem pago (o que é raro para estudante). Mas você tera todos os descontos "normais" na folha de pagamento. Por exemplo, se o salario for de 10€ por hora, depois dos descontos vai sobrar somente uns 7,80€. Digo isso se for um trabalho "lagalizado", é claro.

daniele oliveira disse...

Oi Milena! Entendi! Esses descontos seriam como o nosso Inss e Fgts daqui? Agora... Suponhamos que eu dê essa sorte de conseguir um bom emprego, legalizado eh claro, a própria empresa me informa nessa
questão de pagamentos de impostos, não é? Obrigada de novo!! ��

Priscila Maurel disse...

Oi Milena! Tudo bem? Estava procurando um site que pudesse me dar uma visão sobre trabalho na França e cheguei até aqui! Gostei muito das suas respostas aqui...
Olha que loucura: sou brasileira, psicóloga, trabalho com RH e fui morar na Austrália há 6 anos atrás. Conheci meu marido, o François, francês de Paris, e decidimos (ainda tento me lembrar pq) morar no Brasil. Na época ele concordou que aqui nós dois teríamos empregos bons...
Bom, o tempo foi passando e agora temos um filho (de 1 ano e 4 meses) e pego pensando em como seria a vida se nós tivéssemos escolhido morar aí... Só que toda vez que toco nesse assunto ele enlouquece: diz que não teremos emprego (eu não faço questão nenhuma de trabalhar como psicóloga - mas gostaria de trabalhar com algo que não seja em restaurantes e faxinas), que não teremos aonde morar, que tudo em Paris é horrível, caro e minúsculo (os pais dele moravam no bairro 12 num apartamento de 2 quartos e varanda lindo! - que ele diz que seria impossível a gente conseguir igual - que as pessoas levam 1 ano em lista de espera pra conseguir uma "kitnet") enfim, às vezes acho que ele não é francês! Rsrsrs
Eu queria saber de você que mora aí, se é esse horror todo mesmo... Se é tão impossível eu conseguir um emprego e ele também e se é tão impossível conseguir morar bem em Paris... Acho que as vezes ele da uma exagerada pra ficar aqui no Brasil (já que ele adora o clima e a empresa que ele trabalha)...
Obrigada!
Beijos

Milena F. disse...

Oi Priscila, tudo bem?
Para um estrangeiro, sem experiência de trabalho na França e estudos realizados no exterior tudo é mais complicado, mas para um francês geralmente tudo é mais simples. Tudo vai depender, é claro, da area de atuação dele e o nivel de estudos.
Nem tudo é impossivel. Uma amiga brasileira trabalhava como recepcionista e não satisfeita de um cargo de pouca responsabilidade, fez uma formação (remunerada), terminou recentemente e conseguiu um emprego na area. Eu tenho um cargo de responsabilidade em uma grande empresa de cosméticos fran cesa, mas comecei no final de 2009, contratos temporarios e tempo parcial e fui subindo varios degraus da hierarquia até a situação que tenho hoje. Não foi do dia para a noite, mas meu trabalho foi sendo reconhecido.
Morar BEM dentro de Paris mesmo não é tarefa facil, pois tudo é muito caro. O que faz com que muita gente opte pelas cidades ao redor. Existem muitos locais legais e mais baratos! Tenho varios amigos que moram em Issy les Moulineaux, Courbevoie, Ruel Malmaison, Puteaux, Susresnes, St Maur des Fossés, etc, que são lugares legais. São centenas de opções. Sem contar que se for em outras cidades francesas, os aluguéis (e preços de compra) são bem mais em conta, como Lyon, Bordeaux, etc.

Camila Pegado Cortez disse...

Oi, Milena! Td bem?
Meu marido (frances) e eu moramos na Argentina e devido a uma questão familiar ele quer voltar para a França este ano, para Bordeaux.
Ele trabalha na área comercial de vinhos há mais de 10 anos em uma vinícola muito prestigiada de Mendoza.
Eu sou fisioterapeuta fornada no Brasil e to terminando minha carreira em psicologia na Argentina.
Vi que vc comentou que para estrangeiros com diplomas no exterior, o mercado de trabalho é mais difícil.
Vc me aconselharia pegar as equivalências das matérias que faltam e terminar meus estudos na França ou revalidar o diploma?
Existem cursos como os de aconselhamento psicológico ou RRHH que se possam fazer em um tempo mais curto e ajudar na inserção laboral por aí?
Desde já, muito obrigada!

Milena F. disse...

Oi Camila, tudo bem?
Psicologia na França é uma profissão regulamentada e é um pouco complicado para obter a equilavência de diplomas. Geralmente o caminho mais facil é realizar um master 2 profissional aqui na França (para quem jah é licenciado em psicologia), e em 2 anos o diploma sai se o aluno não atrasar.
Sobre fisioterapia, a area é um pouco diferente aqui. O que eu vejo como mais proximo é o trab alho de "kinésithérapeute". Trata-se de um diploma do Estado, e para ingressar em uma das escolas é mediante um concurso e em seguida 3 anos de estudo. Ou seja, os estudos não são realizados nas universidades convencionais, e para uma equivalência é bem dificil.

Porém nem tudo é impossivel. Para quem trabalhou 3 anos ou mais em uma dessas profissões (ou qualquer outra), é possivel validar a EXPERIENCIA. Porém, como se trata se paises diferentes onde fica dificil a França verificar o trabalho realizado na Argentina, você tem que trazer o maximo de documentos possiveis, cartas de recomendação, contratos de trabalho, certificados, etc. Tudo isso para constituir seu dossiê.
Boa sorte!

Camila Pegado Cortez disse...

Oi, Milena!
Muito obrigada pela resposta e pela explicacao.
Ja imaginava que trabalhar em qualquer das 2 areas seria complicado, mas ha muitos anos trabalho com RH e tenho como comprovar essa experiencia. E obviamente seguir estudando e me aperfeicoando na area.

Minhas duvidas seriam:

A) a respeito do dossie que voce comentou: essas cartas de recomendacao devem estar em frances, escritas à mao, em folhas com os logotipos das empresas em que trabalhei ou podem estar escritas em outro idioma, datilografadas e apenas com as referencias dos meus superiores para contatos?

B) sobre aperfeicoamentos em RH: independente da idade se conseguem cursos de curta duracao para ajudar na insercao laboral?

Novamente, muito obrigada!

Milena F. disse...

Camila, seguem as possiveis respostas:
a) melhor que sejam cartas com o logotipo das empresas, diditadas (e assinadas pela pessoa, com numero de telefone e e-mail). Como eles não são obrigados a falar francês na Argentina, pode ser na lingua do pais ou então em inglês, mas depois você vai precisar de tradução.

b) sobre os cursos em RH, a partir dos 26 anos fica dificil conseguir cursos que sejam custeados. Existem instituições reconhecidas, como o CNAM (em RH tenho amigos que estudaram ali).

Anônimo disse...

bom dia!meu nome é valquiria e eu sou técnica em segurança do trabalho,gostaria muito de saber se você tem informações sobre o salário nesta area,eu vou estar dando entrada em minha cidadania européia em breve e gostaria muito de atuar em minha área,agradeço se me responder,obrigada.

atenciosamente: valquiria cruz

Anônimo disse...

Olá Milena tudo bem? Meu marido é formado em marketing e está fazendo licenciatura de português e inglês. Ele já da aula de inglês a 5 anos. Viajou por muitos países inclusive a França, e ficou apaixonado pela França, temos um projecto de ir morar na França, mas, gostaria de saber como funciona a contratação de professor. Vi que o seu marido é professor, poderia me explicar como conseguiu o emprego? E eu estou terminando curso de cabeleleiro, e faço unhas. Temos dois filhos de 2 e 3 anos. Conhecemos uma família francesa que uma vez por ano vem e fica na nossa casa, e temos um amigo brasileiro que casou com uma francesa e em breve vão morar na França. Esses relacionamentos podem me ajudar de alguma forma a morar na França?
Agradeço a atenção.
Sendy

Milena F. disse...

Vanquiria, infelizmente não sei como funciona essa area de trabalho na França.

Sendy
Meu marido é professor, mas ele é francês e passou em um concurso publico (os concursos publicos são reservados aos europeus). Para o seu marido existe a possibilidade do ensino privado.
Infelizmente o fato de ter amigos franceses ou morando legalmente na França não ajuda em nada na hora de obtenção do visto, mas pode ajuda-los na busca de emprego, moradia e socialização.
Boa sorte

Anônimo disse...

Bem, pelos vistos nem todos que vivem em França teem a mesma opinião... eu vivo cá há 3 anos com o meu marido. Sou Auxiliar de Vida e o meu marido Agente de Serviço em empresas diferentes, e todas as horas extras que trabalhamos são-nos pagas a dinheiro... não em folgas... temos cá outros familiares como bastantes amigos e todos dizem o mesmo, não tendo quaisquer problemas! Acho que isso tem mais haver com as leis da empresa e não as próprias leis da França...

Unknown disse...

Oi Milena!

Estou morando na França há um mês e encontrei seu blog, estou adorando!
Deixa ver se eu entendi. Meu marido terá um salário inicial bruto de 1457,55, desse valor desconto de 22% de encargos sociais: 1.136,88.
Em cima desse saldo ainda vai faltar calcular o IR ou é sobre o valor bruto? Qual é a porcentagem do imposto? Onde podemos fazer a simulação para ir pagando adiantado?
Desde já vou agradecendo as dicas!
Beijos, Graciele

Milena F. disse...

Anônimo, tudo depende do tipo de trabalho que você faz. Se for um trabalho pago por hora, sim as horas trabalhadas serão pagas e quando vc termina sua jornada de trabalho vai para casa e não pensa praticamente mais no seu trabalho até o dia seguinte. Mas se você tiver um estatuto cadre ou equivamente, um cargo com mais responsabilidades e com resultados que não podem ser quantificados em horas de trabalho, você não pode simplesmente ir embora e deixar tudo o que falta para o dia seguinte. Estah em plena negociação com um cliente que demora mais do que previsto, vai ter que trabalhar até as 10 da noite, finais de semana, para estudar o caso e apresentar uma nova proposta, pois seu chefe estah cobrando resultados, e mesmo se não é culpa sua, o contrato ainda não foi assinado!

Milena F. disse...

Graciele, você calculou certo com base no salario bruto dele. Para calclar o IR, você pode ir no site oficial dos impostos (www.impots.gouv.fr)e fazer a simulação. Se vocês são duas pessoas a viver por enquanto com esse salario (ou mesmo mais, se tiverem filhos), provavelmente não terão muitos impostos a pagar, talvez sejam até isentos, mas é melhor mesmo calcular para evitar surpresas.

Sabrina Castro disse...

Olha Milena , tudo bem? Estou providenciando minha viagem para França no final de outubro, tenho uma irmã que mora em Paris. Mas ainda não tocamos muito no assunto de travalho por aí! Li seu texto e confesso que me assustou rs a princípio estava pensando em morar no país e nessa viagem que quero fazer eu perguntei para ela se tem como eu conseguir alguma trabalho temporário para me manter mais alguns dias... Ela disse que pode ser como babysistten... Mas não entramos em mérito da questão! O que você acha ? Eu trabalho no Brasil como coordenadora de recursos humanos, amo o que faço, mas gostaria de tentar a vida em outro país!

Milena F. disse...

Oi Sabrina Castro,
A vida de estrangeiros sem "documentos" não é nada facil. Facilita o fato de você conhecer alguém que more aqui e que talvez tenha contatos, mas para trabalho não é simples, pois as empresas pedem os documentos e autorizações de trabalho. O que resta são os trabalhos ditos "informais". Como baba pode ser uma alternativa, mesmo se a maioria dos pais preferem alguém que esteja aqui regularmente para poder declarar no imposto de renda e receber ajudas do governo. Quem não tem papéis acaba trabalhando para outros estrangeiros que também não tem, e ai depende de ter sorte com os seus empregadores (pagamento certinho, condições de trabalho, etc...). Boa sorte!!!

Rodrigo Almeida disse...

Oi Milena, recebi uma proposta da minha sogra para irmos embora para França, e me interessou muito, gostaria de saber quais os requisitos para ocupar cargo público ai na França? caso eu queira prestar um concurso público.

Anônimo disse...

Olá Milena!
O ramo de obras e reformas são bem remunerados na França?

raul cunha santos disse...

Trabalho duas horas por dia na França quanto devo receber por isso no mês

Milena F. disse...

Oi Raquel, tudo depende que qual é o valor por hora estipulado no contrato. Então você tem que multiplicar pelo numero de horas trabalhadas no mês. Esse sera o valor bruto, mas cerca de 22% vai para os encargos sociais, o que entra na sua conta são os outros cerca de 78%. Exemplo: para 10€ a hora, 2h por dia em uma semana se 5 dias representa 10h por semana. Em um mês de 4 semanas, serão 40h, ou seja, 400€ brutos. Retirando os encargos sociais, você vai receber em torno de 312€.

Ruan feeatry disse...

Eu estou querendo ir pra França tbm,a minha irma mora em Paris e ela quer que eu var la com ela. O negocio é que eu faço faculdade aqui mas como eu disse eu quero muito ir pra lá mas pra isso eu tinha que largar a faculdade,e eu tou precisando muito de um trabalho! Então eu quero saber se eu tou fazendo o certo em largar a faculdade aqui e ir pra França com a minha irma? Pois eu acho que um trabalho lá eu posso ajudar os me ajudar e ajudar os meus pais... Obrigado,boa tarde!

Ruan feeatry disse...

Oi,boa tarde! Eu fiz uma pergunta ainda agora pra você mas não sei se foi enviado a msg,então eu vou fazer novamente a pergunta,caso voce receba duas mensagens minha você ja sabe o motivo,então... Assim,eu tenho 22 anos,eu me chamo Ruan,e eu ja fui na França,a minha irma mora em Paris e eu fui visitar la em 2014. Eu gostei muito de lá e a minha irmã me disse que se eu quisesse ir morar lá com ela era so avisar a ela,eu quero muito,muito mesmo,mas a minha duvida é essa: Eu faço faculdade aqui no Brasil mas não trabalho e tou precisando muito de um trabalho pois eu quero muito as minhas coisas sem depender de ninguém,então eu tou pensando em largar a faculdade aqui ir lá pra França ir em busca de um emprego (claro,nao vou pensar em um emprego bom!pois nada começa por cima)mas um emprego que possa me ajudar financeiramente,e claro,eu pretendo conseguir tirar la e até conseguir entrar em uma faculdade. Em relação a isso você acha que seria uma boa escolha de minha parte? E em relação a escola e faculdade,será que eu iria conseguir tbm? Obrigado Milena!

Milena F. disse...

Oi Rodrigo Almeida,
Para prestar concurso publico o candidato precisa ter a nacionalidade de um dos paises membros da Europa, para alguns tem que ser especificamente francês.

Anônimo,
Eh bem caro contratar alguém para obras e reformas, então um bom profissional e com bons contatos consegue se sair bem. Mas também existe bastante concorrência, ainda mais em épocas de crise e desemprego igualmente por aqui.

Oi Ruan Feeatry
Tudo depende do seu projeto de vida e estilo de vida. Algumas pessoas preferem estudar, fazer uma faculdade e conseguir um "bom" emprego no futuro, outras preferem entrar direto no mercado de trabalho. Se a sua irmã mora aqui, ela deve ter te passado algumas informações sobre custo de vida, salarios, etc... Se você vier sem documentos europeus, sera mais um imigrante ilegal vivendo todas as dificuldades, tendo que se contentar com empregos simples indicado por conhecidos, pois não podera procurar emprego livrement, jah que as empresas pedem os tais papéis que atutorizam a trabalhar. Existe a opção de obter um visto de estudante, mas para isso precisa estar matriculado ou ser aceito em uma faculdade (verificar o site "campus france"). Com um visto de estudante o estrangeiro pode trabalhar legalmente em torno de 20h por semana, o que jah ajuda bastante nas despesas!!! Boa sorte!