quarta-feira, 7 de março de 2012

Igreja da Ressurreição (ou do Sangue Derramado)

Chegando em São Petersburgo, a nossa primeira impressão é que a cidade é linda! Primeira impressão que nos acompanha durante toda a viagem... Tudo lá é grandioso, é esplêndido... Belezas para todos os lados (na arquitetura, nas pessoas, nas roupas...), enormes palácios, parques e estátuas. E no meio disso tudo a gente fica meio perdido, sem saber para onde ir, e com um certo receio de "perder" alguma coisa importante que fica  situada ao lado (o que aconteceu, fazer o quê!).

Algo que nos impressiona muito é a arquitetura das igrejas e templos religiosos, que já estão no imaginário coletivo. E já vou adiantando que tem para todos os estilos e gostos!!!

A mais conhecida dos guias de turismo e que de certa forma representa a cidade aos nossos olhos ocidentais é a Igreja da Ressurreição, também conhecida como Igreja do Sangue Derramado. A Igreja começou a ser construída em 1883 no local exato onde o Czar Alexandre II tinha sido atingido mortalmente 2 anos mais cedo. 










E estilo exterior é neomoscovita, também conhecido como renouveau russo, ou ainda neo-renascença, nada de exatamente novo, mas uma cópia do que já se fazia no século XVII. No alto, 5 grandes bulbos (ou "cebolas"), de alturas e tamanhos diferentes, tão exóticos aos nossos olhos. As cores tardicionais são o branco, azul, verte e amarelo. Dezenas de mosaicos com figuras de santos completam a fachada, o que quebra com o estilo barroco, clássico e neoclássico do resto da cidade. Ela foi totalmente restaurada e reaberta ao público em 1998. 
O interior já é bem diferente, repleto de mármore e toda a iconografia (em mosaico) da igreja ortodoxa que conta a vida de Cristo. 32 artistas trabalharam nos mosaicos do interior, totalizando 12 anos de trabalho. Algumas obras são de extrema maestria, enquanto outras realmente bem simples

Ao lado encontra-se o Museu Russo e os Jardins Mikhaylovskiy, com sua grade em estilo Art Nouveau... S éao metros e mais metros de grades metálicas, tudo feito à mão (!), onde cada motivo vegetal é único. Os jardins são em estilo inglês, restaurado no espírito dos anos 1830. Nessa época do ano só deu para apreciar a neve, as árvores secas e as famílias passeando, mas acredito que na primavera e verão deve ser lindo!



Eu já tinha visitado uma igreja ortodoxa russa quando estive em Biarritz e Genebra e na época fiquei impressionada com os "bulbos/cebolas", assim como com a riqueza da decoração interna, com todo aquele dourado e ícones. A "missa" pode durar horas, os cantos são lindos, mas é claro que não entendi nada... O que sei é que a Virgem Maria é um personagem muito importante e colocado em destaque. Em uma outra igreja que visitamos (falarei mais tarde), nos explicaram que para a Igreja Ortodoxa Russa existem mais de 300 imagens de Maria! Cada uma com um significado e representação diferentes!!!

2 comentários:

Inaie disse...

Eu quero ir! Eu quero ir! Eu quero iiir...

Georgia disse...

Milena, impressiona mesmo tudo isso.

E vc só aproveitando...tá certa.

Bjos