domingo, 27 de novembro de 2011

Genebra em algumas palavras

Apesar dos franceses terem alguns pré-conceitos em relação à Suiça ("não tem nada além de vacas, montanhas e chocolate", "a gente se aborrece por lá") consegui convencer o meu marido a embarcar nessa viagem segura (pois a Suiça não é exatamente a imagem que fazemos de uma aventura) utilizando dois argumentos imbatíveis aqui em casa: "existem muitos museus para visitar e você pode comprar todo o chocolate que desejar". Nada muito difícil.

Genebra é o destino mais simples para quem sai de Paris, com vários trens que nos deixam praticamente no centro da cidade em 3 horas. Além disso, a língua oficial é o francês (mas "todo mundo" lá fala inglês).

Banhada pelo Lago Léman e rodeada de montanhas, o que para mim representa a definição de uma paisagem idílica. 



Infelizmente a nossa viagem ocorreu no mês de novembro que tanto na França quanto na Suiça (pelo que pude perceber!) o Sol tem grande dificuldade em aparecer... Então os 2 dias que passamos em Génève foram de muita neblina, cinzas, o que deixa a cidade, na nossa opinião, com um ar de desolação... O que para mim não deixa de ter o seu charme!
Podemos perceber que a cidade cultiva realmente uma grande qualidade de vida... Se você colocar um tênis e roupa esportiva e não for praticar esportes, provavelmente vai se sentir deslocado na paisagem, pois nas ruas as pessoas são chiques e bem-vestidas.

Uma noite em hotel dá direito a uma carta de transportes, mas a cidade sendo pequena, fizemos praticamente todos os trajetos à pé, já que a maioria das atrações se encontram no centro da cidade, ao redor do lago.

O centro histórico da cidade é um passeio muito agradável, que inclui uma subida a catedral São Pedro, que a partir do século XVI foi templo da Reforma (protestante) e local onde pregava Calvin (lembram das aulas de história?) de 1536 até a sua morte em 1564. Podemos subir ao topo de uma das torres de onde temos uma vista incrível da cidade:




Podemos admirar e visitar a Casa Tavel, a mais antiga casa de Genebra, inteiramente reconstruída pela família após um grande incêndio em 1334 (que destruiu metade da cidade), e que atualmente abriga um museu com antigos objetos da vida quotidiana na cidade.
 A torre faz parte da casa Tavel. O hotel "Les Armures" possui um respeitado restaurante no qual Bill Clinton fez uma refeição e aparentemente apreciou muito. Queriamos muito jantar lá, mas o mesmo estava completo durante todo o final de semana (como praticamente todos os restaurantes da cidade)... Disseram-nos que para conseguir uma mesa sábado à noite as vezes é necessário reservar com semanas de antecedência.

O Hôtel de Ville (quase o nosso equivalente de prefeitura) também é muito bonito! Eh a sede do Conselho de estado e do Parlamento, com seus 100 deputados!


Para quem deseja compreender a história de Genebra, é impossível não ter em mente os conflitos religiosos e a Reforma. Em todos os cantos vemos alusões a esse momento que marcou esse povo. No Parque des Bastions podemos admirar esse Muro dos Reformadores:

 Guillaume Farel, Jean Calvin, Théodore de Bèze e John Knox.

Nesse mesmo parque encontrei meu amigo Jean Piaget de longa data e outras "figurinhas" agradáveis.

 Como em quase todas as cidades da Europa, as cores do outono também caem bem à Genebra!


A Igreja Russa de destaca de longe na paisagem... Interior muito lindo com seus numerosos ícones que vão dos século XVI ao XX. Entrada gratuita, mediante uma oferenda a encargo do doador, e fotos proibidas no interior. Fiéis orando em russo em voz alta (cantando?) praticamente durante todo o dia. Belo espetáculo!



Genebra sendo uma cidade relativamente cara corroborando a sua reputação, essa vaquinha foi uma das únicas coisas que comprei! Quem mereceu o presente foi a minha irmã, que não se separa dela e a apelidou de "vaquinha enfermeira", influênciada pelos colegas também enfermeiros!

 Contando as horas para o próximo destino!

Para viajar sem sair de casa:
A Bela do Senhor, de Albert Cohen. A história começa na genebra dos anos 30. Considerado uma das obras de artes literárias do século XX. para quem gosta de literatura e romances, a ler absolutamente!!!

12 comentários:

cintia disse...

que lugar maravilhoso. doida pra que a sofia nos deixe viajar de novo! em breve, em breve!

Mulher de Fases disse...

Como uma boa cidade europeia, cheia de museus, arquitetura bem antiga e clássica... Mas concordo que Novembro é mesmo um mës muito cinza, mas mesmo assim deve valer a pena viajar mesmo na neblina e em dias frios!

Mirelle Siqueira disse...

estive em Genebra 3 vezes e nunca consegui escrever um post sobre la pq acho a cidade super sem alma! eh bonitinha e tal, rende boas fotos, mas achei que é um lugar sem coração..rs. sei la como explicar, vc nao sentiu isso não? tipo, nao é aconchegante, é chato! é tipo casa chique daquela tia que mantem todos os moveis cobertos pra nao estragar, dai quando vc vai visita-la nao pode tocar em nada, nao pode sequer sentar no sofa.... rs

bjo!

Georgia disse...

Entao vcs deveriam ter vindo para Düsseldorf. Temos tido dias lindissimos de sol.

Mas devo te dizer que o passeio de vcs ficou muito bom.

Bom fim de semana

Abracos

Sandra disse...

Geneve é caríssima mesmo. E linda! No verão ela é especialmente encantadora. Os suíços da parte alemã não são lá muito fãs de Geneve pois acham que os suíços franceses são "chatos"... vai saber... por aqui também rola esse climinha...rs..

Beth Blue disse...

A cidade parece ser bonita (apesar dos dias cinzentos, mas aqui é a mesma coisa, né?).

Mas pra ser sincera, acho que eu morreria de tédio num país como a Suíça. O que salva são os CHOCOLATES, hehehe ;-)

Milena F. disse...

Cintia, genebra é uma cidade tranquila para lervar crianças, pelo que pude perceber. Daqui há pouco Sofia vai estar sacacoeteando por aí!

Deborah, tb acho que vale a pena, mas prefiro visitar no inverno cidades que na minha opinião combinam com inverno, como a Suiça, Dinamarca, e ainda quero ir à Suécia!!!

Mirelle, creio que entendo o que você quer dizer pois foi a mesma opinião do Sylvain, ele tb acha uma cidade chata... Já para mim, quando eu chego em um lugar, já "viajei" antes por lá, geralmente em um livro, estudando a vida de alguém famoso... E então, quando chego fico tão contente de ver tudo que sempre encontro o lado bom!
Ainda queria muito conhecer Lausanne, Berna, Neuchâtel e Fribourg, mas já estivemos tb em Zurique e maridão não tem nenhuma vontade de voltar à Suiça!

Milena F. disse...

Georgia, ainda não temos viagem programada para Dusseldorf, mas vontade não falta... e não é muito longe! No final do ano estaremos em Munique! Adoro a Alemanha (o pouco que conheço!)

Sandra, ouvi falar dessas diferenças... Como se os suiços de Genebra não fossem suiços... E lá ouvi falar tão mal dos suiços alemães, mas como turista tb fui muito bem tratada em Zurique.

Beth, achei a cidade bonita sim, mas acho que não poderia viver lá de jeito nenhum... 18h de sábado e você não vê praticamente ninguém na rua!!! Ou então passei longe dos bairros animados!

carpe diem disse...

Oi Milena,conheço Genève e acho-a linda !
Vc saberia me informar o nome da árvore dont as folhas jaunies aparecem nas fotos? Estão bem evidentes nas fotos com o cavalo e das estátuas femininas.
Acompanho seu blog mas pouco comento,é minha leitura diária,meu contato com Paris.

Milena F. disse...

Carpe diem, para mim são os Plátanos! Muito comum nos caminhos que levam à serra gaúcha e que aqui vemos em todos os cantos!
Espero que continue encontrando por aqui temas que te interessem!

Gisley Scott disse...

A Europa é linda, mas como vc a apresenta pra gente, acaba sempre dando um tchan a mais! Principalmente pq vc é pra lá de charmosa! Vc está morando no país certo,Milena :)!

Bjos!

carpe diem disse...

Obrigada pela informação.Não sabia que tinha no BR,mas pesquisando no google ,li que tem um plátano bem conhecido em Porto Alegre.Acho esta árvore linda e tenho 2 folhas guardadas.