sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Como aliviar o estresse ?

Um post recente sobre o trabalho na França causou um certo alvoroço por aqui, devido às opiniões contraditórias e formas diferentes de olhar e enfrentar o mundo do trabalho! 

Como vou lendo de todos os lados e depois não lembro mais onde vi, ouvi ou li, queria deixar registrado os dados de 2010 do Instituto de Médecine Enrironnementale trazidos na revista Santé desse mês. De acordo com esse instituto, 61% dos franceses, estressados pelo trabalho, adoecem. E desde 2009, a França é o segundo país que mais consome tranquilizantes por habitantes (só perde para a Espanha). E só no ano passado foram vendidos 84 milhões de caixas de tranquilizantes por aqui.

Por aqui, quem fala em estresse no trabalho lembra de cara a onda de suicídios que assolaram o Centro de Pesquisas Renault nos últimos anos, e não eram de funcionários de "baixo escalão" não, mas de engenheiros qualificados e com bons cargos. Além desta conhecida empresa, a France Telecom também foi tocada por  sequências de suicídios. Nos dois casos, testemunhas, colegas e famílias relatam o extremo extresse em que viviam essas messoas nos últimos meses, a desvalorização, a sobrecarga de trabalho que os "obrigava" a trabalhar à noite, finais de semana e feriados... 

Bem, não estou a esse ponto, mas felizmente estou aliviada após quase uma semana de estresse no tarbalho. Minha chefe de folga até ontem, eu tinha a impressão de que o trabalho não andava entre minha colega e eu. Ela não tomava nenhuma iniciativa para começar as atividades que possuem prazos definidos (e curtos), mas ficava inventando e dando idéias que não cabem no contexto e querendo fazer do seu jeito. 

Quarta-feira cheguei (depois dela, pois também termino após ela) e a mesma tinha feito tudo ao contrário do que eu tinha explicado. Perguntei se ela não tinha entendido as ordens deixadas pelos superiores e/ou a minha explicação/definição de tarefas, no início ela disse que não tinha entendido... Depois ela mudou de discurso e disse que achava melhor do jeito dela. 

Eu disse que não era o momento para fazer "do jeito dela" sem consultar os superiores, pois se trata de um período crucial, com muita sobrecarga de trabalho (até o final do ano), e temos regras e procedimentos explícitos a seguir. No final ela corrigiu algumas coisas e em outras bateu pé que o jeito dela era melhor...
Resultado: ontem era SEU dia de folga e minha chefe ME pediu para refazer tudo, pois não estava nas normas! Tive que fazer o meu trabalho e o da colega! 

Felizmente a chefe elogiou a qualidade do meu trabalho (é a quarta vez em 2 meses que me propõe uma promoção mas eu prefiro não aceitar, pois sei bem que essa promoção me porporcionará mais responsabilidades, mais status, mas ao mesmo tempo muito mais estresse e o aumento de salário para mim não chega a compensar).

Pior é que nesses momentos de turbulências no trabalho não consigo dormir, fico superagitada, trabalho feito uma louca, leio feito uma louca, navego na internet feito uma louca, como se estivesse ligada o tempo todo no 220 volts. Como conseqüência não durmo o suficiente, acordo já com dor de cabeça...

Mas adepta dos meios naturais e alternativos, nunca tomei um medicamente para isso na vida. Aqui seguem algumas dicas que me ajudam a me acalmar, quem sabe um dia desses alguém mais pode precisar?

- um banho relaxante aos óleos essenciais de lavande, ou a verveine (verbena, seria o quê em português? o cheirinho é cítrico). Funciona que é uma beleza! Tem até mesmo um banho espumante de verveine que aconselho às crianças (com mais de 3 anos), elas ficam calminhas, calminhas...

- um cházinho antes de dormir, que não seja chá preto ou quarquer outro estimulante. Ainda tenho erva-doce que trouxe do Brasil, mas gosto muito da verveine. As folhas secas de verveine são assim:

- Se está friozinho, esquento a minha "bouillotte" (bolsa de água quente) e coloco contra a barriga... Que sensação boa! (ótima também para as cólicas menstruais).
Ainda mais eficaz se for "fofinha" como a minha!

- Apago a luz e fico alguns minutos à luz de uma vela perfumada relaxante, como de lavanda.

- Prefiro o silêncio; nesses momentos, até música estilo "relaxante" me irrita.

- Um outro produto que me ajuda muito a dormir é uma bruma perfumada para o travesseiro a base de lavanda, gerânio e árvore do chá. 

- Uma massagem leve com produtos relaxantes (mas faço o meu massoterapeuta pessoal assinar um termo dizendo que posso dormir logo após a massagem!)

Aposto que com tudo isso a gente consegue passar longe 
dos medicamentos!!! 
Claro que nada disso trata apenas os sintomas, não trata as causas. 
Para tratar as causas o tratamento é outro !

E qual é a sua dica para aliviar o estresse? Se é que isso existe na sua vida?

13 comentários:

Jorge Fortunato disse...

Milena
O trabalho enlouquece qualquer um. Dá vontade de largar tudo...eu já fiz isso. Mas tive que voltar para o esquema de trabalho com hora pra entrar e pra sair. O jeito para relaxar é ficar rico... e parar de trabalhar.

Milena F. disse...

Ahahaha, também quero ficar rica!!!

Gisley Scott disse...

Olha que esse negocio de estresse mata qualquer um! Meu esposo trabalhou de gerente por 1 ano e meio e quas enlouquece!Nao tinha tempo pra nada,tinha prazo pra tudo e nada era bom o suficiente pra empresa.Ficou doente de ir bater no hospital[teve desidratação] e o chefe nem pra ligar pra saber como ele estava, ligou.

E como vc falou, nessas hrs o $$ não compensa pq a qualidade de vida cai tanto e vc não tem tempo.E de que adianta?

Meu esposo chega em casa e vai ver coisa engraçada no youtube[video cassetada], hahaha é assim que ele relaxa depois de um dia de estresse.LOL!

Anônimo disse...

Milena, você trabalha em que area?
Eu sou cadre aqui na França desde 2009 e nunca vi (nas minhas relações proximas) ou vivi esse universo trabalhista que você descreve... Ja pensou em mudar de area? Fiquei até preocupada com você!
Saude e força, menina! A vida é mesmo tão curta, né?
Bjs

Lucia Maria disse...

Oi Milena, achei o seu blog por acaso e fiquei aqui um tempao lendo ele, rs. Tb moro fora do Brasil (ja vai fazer 19 anos) e estou gostando de ler sobre sua vida na Franca.

Sobre o estresse, eu tenho conseguido equilibrar muita coisa ultimamente, mas tomei uma decisao recentemente que acabou com pelo menos um dos estresses que tinha. Mas quando bate, eu tento exercitar, ver um filme, fotografar, passear com o marido e fazer qq outra coisa que eu gosto e que me distraia.

bjos

Milena F. disse...

Gisley, cada um encontra uma forma de lidar com o estresse. meu marido não se estressa praticamente nunca (atualmente faz um trabalho que ama e não tem chefe no pé), mas quando está muito cansado, quando o dia foi difícil ou nesse momento que ele se prepara para que seu trabalho seja avaliado, ele tb gosta de chegar em casa e olhar os vídeos estilo esses que vc falou que os amigos publicam no facebook.

Anonimo, você consegue então manter o sangue frio e mesmo como cadre, nunca se estressar apesar das responsabilidades (pois um poste de cadre que eu saiba está diretamente ligada a responsabilidades e quando existem responsabilidades, existe pressão, prazos, um chefe...), a maioria das pessoas não são como você... Quando a gente vê que estresse e infarto, de acordo com as estatísticas) são bem mais freqüentes em profissionais que ocupam cargos importantes.
Não precisam de ninguém na sua empresa? Como eu faço para me candidatar ao emprego dos sonhos? Eu adoraria um emprego sem estresse, e na minha vida profissional (Brasil ou aqui) que foi intensa apesar de não ser tão velha assim, nunca me deparei com um universo de trabalho sem estresse! Quando não é o chefe é o cliente, ou o fornecedor, ou os colegas... infelizmente nada é perfeito!

Anônimo disse...

Nossa, desculpa Milena, não queria ofendê-la de jeito nenhum (senti uma agressividade bem marcada na sua resposta) nem dizer que tenho emprego perfeito. Apenas cosntato, quando venho aqui, varios posts seus que demonstram uma certa insatisfação profissional e um desejo de reconhecimento. Achava que era por isso que você frisava tanto quando recebia um elogio de seus chefes. Mas se meu comentario lhe pareceu petulante ou desagradavel, peço desculpas.

Não, nem todos os cadres tem subalternos e muitos chefes. Eu não tenho nenhum subalterno e apenas um chefe, uma chefa, para ser mais precisa que é uma pessoa humana normal, como eu e meus colegas. Tenho prazos normais, como tenho para pagar as contas da casa e se por acaso eu atrasar, como ja aconteceu varias vezes, recalculo as datas e ponto.

As responsabilidades também são absolutamentes normais, tanto quanto as que tinha no Brasil: preparo algumas reuniões, assisto a conferências, "escuto" lamentações de parceiros e é por ai. Como cadre, tem dias que acabo mais tarde e outros que chego mais cedo mas jamais trabalhei mais de 39h por semana!

Trabalho na Afev. Você conhece? Nesse momento mesmo estão recrutando gente para o setor de Paris. Coloco aqui o link, caso você se interesse (ja que me perguntou onde eu trabalhava/www.afev.fr). Não sei qual é sua formação e nem sua area. No Brasil eu era Assistente Social e aqui sou chargée de mission nessa associação.

Meu marido também é cadre e nossos horarios são bem parecidos.

Não vou entrar mais no mérito das explicações porque senti que você não gostou do que disse e longe de mim querer ofende-la.

Abraços fraternos

Milena F. disse...

Lucia Maria, vc falou que tomou uma decisão que acabou com um dos estresses... Tn acho que uma parte da resolução do problema depende de nós mesmos! A boa decisão no bom momento apresenta resultados positivos para o bem-estar psicológico tb!!!

Milena F. disse...

Anônimo

Não se preocupe, não fiquei ofendida não, e perguntei por curiosidade mesmo, pois no universo de trabalho não conhecia um ambiente sem pressão! Não conheço especialmente a Afev, mas sempre entendi que era mais como um organismo social, que procura jovens para serem voluntários e luta contra a desigualdade em ambientes populares... Então se for realmente "por esse lado" (mesmo que eu tenha resumido MUITO a sua empresa, não se sinta ofendida!), não acredito mesmo que seja o mesmo funcionamento de uma EMPRESA que tem por objetivos o lucro e que receba pressões de um mundo capitalista, altos e baixos da bolsa, etc... Meu domínio é Recursos Humanos, com formação de origem em Psicologia. Minha experiência principal de trabalho foi no setor de TI para empresas como HP, Dell, Tata... gigantes do setor. O projeto está atrasado e o cliente não quer saber das razões... o cliente decide mudar pontos importantes no andamento do projeto, ou o engenheiro de software responsável pelo projeto adoece e vc não encontra no país inteiro um profissional com as habilidades técnicas necessárias para dar continuidade que esteja disponível... E quando encontra, é um consultor a preço de diamante/hora, que coloca o financiamento do projeto em sérios problemas...
Atualmente trabalho para um grupo na área de cosméticos, e com a concorrencia e desenvolvimentos de novos mercados, posso dizer que a pressão por resultados é grande! Valeu a dica!!! Obrigada mesmo!

lininhameiaspalavras disse...

Eu também desenvolvi uma certa rotina de relaxamento. Chego do trabalho moída mentalmente e a primeiríssima coisa que eu faço, antes mesmo de sair com minha cachorrinha, é acender um incenso, porque eu adoro! De dá uma sensação de paz, de conforto. Antes de fazer qualquer coisa na cozinha, sempre pego alguma coisa pra beber e sento um pouco no sofá com os pés pra cima, rs.
À noite gosto de ler, e não durmo sem a minha luz, aquela da philips que faz simulação de luz solar, sabe? Mas nem sempre essa rotina dá certo, infelizmente!

Beijos!

Milena F. disse...

Lininha, tb estava pnsando em adquirir uma lâmpada dessas, o que vc acha da sua? Viu resultados?
Nada melhor do que ficar de "pés para cima"! E acho que com uma cachorrinha tudo seria mais fácil agradável para mim!!! hahahah Bjs

HML disse...

Oi Milena,
vc trabalha de que (qual profissão)?
Acho que o fato de morar na região parisiense aumenta o estresse.
Eu antes era assistente de qualidade em Levallois perret, eu saia e voltava estressada com o trabalho, transportes e a correria. Mas minhas responsabilidades eram menores que hoje. Atualmente, Trabalho como Responsable qualité-sécurité-environnement numa usina do grupo soufflet, minhas responsabilidades são bem maiores mas hoje não tenho 10% do estresse de antes pois além de morar numa cidade tranquila (grande mas tranquila comparado a Paris e ses alentours), acho o povo aqui bem diferente, o ar é diferente, não estresso no volante, ou como vou me vestir (pois antes como assistente não tinha direito a botar nem uma calça jeans pois não era o padrão da empresa e hoje vou de jeans e tênis)...
enfin acho que depende muito de onde trabalhamos (ambiente), de onde moramos, do trajeto que fazemos para chegar ao trabalho, e claro do salario (mas não é o principal).

Minha superior é simplismente Manager Qualité-Sécurité-Environnement (cadre superior) para a França inteira e por incrivel que pareça ela é uma super mãe ao ponto de trabalhar à 80% (não trabalha mercredi).
Ela ama o trabalho dela apesar da resposabilidade e as inumeras viagens pela França e Europa de l'Est, mas aprendeu a conciliar trabalho, familia e tempo para ela.

espero que consiga um dia trabalhar na sua area aqui na França. Ha varias formações remuneradsa em RH, vc poderia começar por assistente e depois se aperfeiçoar.
Meu cunhado se formou esse verão nessa area, e ele é apaixonado pela nova profissão (chargé de recrutement et mobilité internationale).

Deus te abençoe!

Milena F. disse...

HLM, realmente dizem que é mais estressante na região parisiense... Inclusive as sondagens mostram que trabalhar aqui na região não é o sonho dos franceses!
Minha chefe tb trabalha 80%, mas como ela não estah na empresa na segunda, para quem ficam os relatorios semanais que precisam ser redigidos exatamente nesse dia e publicados na intranet? Discutimos as linhas gerais, mas quem redige...
Mas eu adoro o meu trabalho, gosto muito do que faço, adoro a empresa, na qual acredito e compartilho os valores. Mesmo chegando muitas vezes tarde e cansada, tenho aquela sensação de dever cumprido e de ter dado o melhor de mim!!! Acho que nunca poderia trabalhar em um lugar "parado", em que nada acontece, que não seja dinâmico. Foi assim que sempre trabalhei, seja em empresas, seja em consultoria, seja em hospitais... Até por isso sempre dei preferência a esse lado da minha carreira e deixei a clinica em segundo plano... Sempre tive alguns pacientes, mas nunca ultrapassei um certo numero, pois queria viver outras coisas!