quarta-feira, 2 de novembro de 2011

O que comer em Copenhague?

Quem acompanha um pouco o blog ou me conhece um pouquinho sabe que tenho um probleminha com a comida... Além de adorar comer, adoro provar pratos novos... Podem me pedir para testar quase tudo, só não experimento pratos com miúdos!

Confesso que quando cheguei na França e comecei a passear, pensava em levar um sanduíche para o almoço, mas chegando aos lugares, com tanta variedade, o dito cujo acabava ficando esquecido no fundo da mochila. Então, após umas 3 ou 4 tentativas, desisti de levar sanduíche para passear por aí!!! (com exceção de quando fazemos um pique-nique, nesse caso é superagradável preparar o cardápio e escolher um lugar legal para comer ao ar livre).

Não tenho (mais) vergonha de dizer que o turismo gastronômico faz parte dos meus passeios! Antes de viajar procuro saber o que se come no local, se existe uma especialidade, e tento provar, claro! Em Copenhague não foi diferente. Conhecer os hábitos alimentares dos moradores é um pouco conhecer a cultura, não acham?

Pelo que li os dinamarqueses dessa região costumam almoçar um prato frio, geralmente composto de pão (brød) acompanhado de  peixe defumado ou marinado, presuntos (secos ou não) ou patês e saladas e legumes. Sem esquecer os diferentes tipos de molhos e cremes! Adorei os pães que comi, marrons, pesados e cheios de grãos. Duas fatias e você não sente mais fome o dia inteiro!!!

Eu quis provar esse prato que eles fazem (provavelmente para turistas, já que eles não devem comer os 10 tipos em uma mesma refeição!) com 10 tipos de harengs, ou seja, com 10 temperos diferentes. Gostei de 8, os que não aprovei foram o primeiro da segunda linha (senti um gosto muito forte de cravo!!!) e o segundo da terceira linha, cujo tempero não consegui identificar.
Escolhemos esse restaurante em Nyhavn. Vários pareciam simpáticos, mas nesse encontramos pratos que agradariam Sylvain e eu. Comemos no interior, que surpreendentemente é muito aconchegante, com uma decoração difícil de imaginar do lado de fora. A nossa mesa ficava sob um teto transparente que unia dois antigos prédios (tudo transformado em um só), com uma linda luminosidade natural e plantas... como em um jardim de inverno. 

No sábado a noite eu via pela carinha do Sylvain que ele não queria mais comer pratos a base de peixe nem pratos frios (que ele não gosta normalmente). Mas como Copenhague é uma cidade cosmopolita, encontramos representações da cozinha do mundo inteiro. Por acaso passados em frente a um restaurante de carnes. Ele viu os pratos e estava com água na boca, então decidimos entrar e não nos arrependemos. Estava lotado, mas esperamos um pouco e nos prometeram nos encontrar uma mesa. O ambiente era bem descontraído, vários grupos de amigos e famílias, pessoas rindo e falando não tão baixo... E ao menos na parte do restaurante em que estávamos, todo mundo falava dinamarquês, o que me fez pensar que não é um restaurante exatamente turístico, mas sim frequentado pelos locais.

O prato dele foi uma peça de carne de 500 gramas, bem grelhado por fora, e mal passado por dentro (como ele gosta). Escolhi um menorzinho, de 200 gramas com batatas recheadas ao forno... Enfim comi uma carne com gosto de verdade!!! Olha que sou difícil exigente para carne!!!

Reparamos que os bares e restaurantes que propõem mesas do lado de fora disponibilizam umas mantinhas para os clientes! Vimos na cidade inteira os clientes comendo enrolados nos cobertores! Até queríamos experimentar a moda, mas com o friozinho e a umidade, preferimos um ambiente aquecido:



 Algumas vitrines de padarias. No nosso hotel esses tipos de pães doces eram servidos. Gostei, mas não exageradamente, pois senti em quase todos eles um gostinho de canela... 
E como não sou fã nem de cravo nem de canela...

No último dia tínhamos muita coisa para fazer e pouco tempo, preferimos não parar para almoçar e apenas comer alguma coisa rápida. Em todas as esquinas existem umas barraquinhas de cachorro-quente e não resistimos!
 Parace que o tradicional é o Ristet Hot Dog, que foi o que eu provei, com pepino e cebola!


Endereços:

Hereford Steaks:
Stor Kongensgade 38

Hot Dog: em pratiamente todas as esquinas da cidade! Se tiver fila e dinamarqueses, interpreto que deve ser um dos melhorzinhos!

8 comentários:

Carla (Arroz de Minhoca) disse...

Que delícia de post... para uma glutona como eu :)

Jorge Fortunato disse...

Milena
Ótimo esse post. Gostei dos peixes e das carnes. Gosto muito de cravo e canela, então vou adorar os pães. Quando estive em Budapeste, vi mantas sobre as cadeiras das mesas externas. Achei muito bacana e sempre sentava nessas mesas, só para ficar enrolado. Era divertido.
abraços

Pandora disse...

Uau!!! Que coisa deliciosa essa post! Oi Milena! Sabe que adorei seu comentário lá no Em quantos?!?! Concordei muito com o que vc disse sobre "O morro..." apesar da minha aversão inicial a ele, acabei virando fã de Emily pq toda vez que leio o livro descubro algo novo. E realmente os filmes nunca me satisfazem, eles sempre abordam o lado psicologico da coisa e acabam deixando a desejar no lado socio-histórico! Eu não gostava da Série Vaga-lume, mas passei a gostar!

Cheros e Obrigada pelo coments! Sabe que curti seu bloguito, Paris é um sonhooooo de muitos, inclusive o meu e cáh estarei descobrindo um pouco daí por aqui!

lininhameiaspalavras disse...

Uma das coisas que mais gosto de fazer quando viajo é...comer! Nós gostamos de sair um pouco da rota turística e procurar restaurantes mais simples, porém mais autênticos. Da última vez em Porto achamos um maravilhoso, e nos deliciamos com um prato gigante para duas pessoas, e 1 garrafa de vinho da casa, ainda sobremesa, e pagamos apenas 24 euros por tudo isso! Essa é uma das vantagens de não estar no circuito turístico onde tudo custa mais caro!
Quando penso em planejar uma viagem, sempre levo em consideração a culinária local.

Beijos!

Eve disse...

E sabe uma coisa que digo? Turismo e integraçao se faz com a barriga. rsrsrs
Então, tem é que aproveitar mesmo.

Bjs!

Alexandre Mauj Imamura (lostinjapan.tk) disse...

vc tá mais que certa! ir aos lugares e tb devorá-los, tô contigo! rs. sabores tb são boas lembranças de viagens né.

e tudo ai parece tão gostoso! esses pães, o cachorro quente...essa carne. qtas delícias!

bom dia!

Raquel M.B.G. disse...

Hummm, muito bom!
Também sou como você, gosto de provar tudo, mas não "míúdos", rsrsrsrs bjs

Graça Oliveira - Rio de Janeiro - Brasil disse...

Um dia, quando eu for à França, vc será minha guia... Se prepara, vai andar muito... :)
Abçs.