segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Com ou sem sal?

Uma das coisas que aprendi aqui na França foi a comer com menos sal...
Tanto é que apenas 3 anos após chegar aqui, consegui terminar meu primeiro sal de 500gr!!! 

Claro que acabo comendo mais sal quando faço as refeições fora de casa, ou em produtos industrializados ou semi, como a mostarda que adoro, pepino em conserva, manteiga que sempre compro com sal, os queijos... Até no croissant tem sal!!!

O sal é uma preocupação frequente dos franceses, e em restaurantes geralmente os pratos são muito pouco salgados, dando a impressão de ser "fade" sem gosto) para o paladar de muitos brasileiros. E sempre que vejo receitas em revistas ou em programas de tv, o sal sempre vem no final!

Se para mim é difícil abolir completamente o sal (e nem se deve, já que o sódio em pequenas quantidades é indispensável para o funcionamento dos rins e do sistema neuroendócrino), e tendo pressão baixa só me sinto melhor após comer algo bem salgadinho ou de colocar uma pedrinha de sal na língua, foi possível reduzir, apreciando muito mais o sabor de cada alimento. Eu diria que a vida com menos sal tem muito mais sabor!

Quer salgar seus pratos de forma mais requintada? Então utilize uma pitadinha de fleur de sel (flor de sal), que são cristais de sal que se formam na superfície dos pântanos salgados, geralmente pela evaporação causada pelo vento. Não tem nada a ver com o sal grosso! Os cristais são finos e leves, de sabor bem mais delicado que o sal normal. penetra facilmente nos alimentos e deve ser utilizado no final do cozimento (geralmente é servido à mesa e adicionado alguns momentos antes da degustação do prato).

O sal aqui na França vem principalmente de duas regiões: a Guérande e a Camargue.

10 comentários:

Tatiana disse...

Dificil....Mi...dificil...rs.
Eu aqui mudei para Kosher salt, continua salgado...rs...mas tem um saborzinho mais requintado!!!
Voce tem razão, quando diminuímos o sal, sentimos mais os sabores!!!
Questao de habito!!!
Beijocas!!

Glau Nott disse...

gostei desse post.. fiquei pensando tb diminui o sal, mas em compensacao o acucar.. heheheheh

Mirelle Siqueira disse...

milena, eu tinha falado com o seu marido sobre essa pesquisa que fala sobre a infelicidade dos franceses, ai vai:

http://www.lemonde.fr/idees/article/2011/10/28/la-dimension-culturelle-du-bonheur-et-du-malheur-francais_1595276_3232.html

sobre o sal, eu prefiro comida bem temperada, como as nossas, brasileiras. nada de muito sal, nem de menos, o tempero perfeito que nao se vê por aqui!

bjim!

Line disse...

Esse é o meu maior pecado quando cozinho, o excesso de sal! Já tentei controlar, mas não consigo achar o ponto certo. Da última vez que convidei minha família holandesa pra jantar conosco, fiquei com tanto medo de salgar a comida que o resultado foi uma comida muito sem sal, todo mundo teve que colocar sal no fim, rs. Antes assim do que salgado, eu sei, mas eu queria mesmo achar o ponto certo, sabe?

Os restaurantes daqui também usam pouquíssimo sal, pouco tempero, e eu acho a comida sem gosto. Como boa mineira acostumada a comidas fortes, gosto do sabor do alho, da cebola, de pimentas diferentes(com moderação) e principalmente de ingrediente frescos, cujo sabor geralmente é bem mais acentuado. Aqui infelizmente tudo é congelado, pré cozindo, industrializado, e na maioria das vezes preparado sem muito capricho.
Meu marido acabou se acostumando à minha comida temperada, e quando come em restaurante ou na casa de algum holandês, sempre acha a comida sem gosto, rs.

Beijos!

Milena F. disse...

Tati, a gente se acostuma!!! Até achei o churrasco do meu pai salgado (e é!) e outro dia em um restaurante achei a carne muito salgada!!!

Glau, meu problema é com salgados mesmo, não sou muito de doce... mas em compensação, comecei a comer chocolate, algo que antes para mim era só na páscoa!!! Influências negativas do maridão!

Milena F. disse...

Mirelle, obrigada pelo artigo, vou ler com calma!!! Mas outro dia lendo um post em um blog que falava do suicídio na Suiça, comparando que em países como a India ou o Brasil, apesar das dificuldades e da pobreza, as pessoas eram mais "felizes" do que na Suiça, eu respondi (e acredito) que existem duas grandes dimenséoes a analisar: a dimensão do desejo, que faz com que se deseje cada vez mais... E a dimensão espiritual... Vejo aqui na Europa (pelo menos França e Suiça, pois em outros países pode ser diferente) um completo desapego por tudo que é espiritual... Não se acredita mais em nada a vida passa a ter um todo outro sentido... E quando alguma coisa não vai bem, fica mais fácil abrir mão dela...

Milena F. disse...

Line, é difícil mesmo encontrar esse equilíbrio... sempre erro quando tenho que cozinhar para mais pessoas! E duas vezes não consegui dessalgar o bacalhau!!!
Uma vez li que a holanda preferia não usar especiarias e vendê-las, e foi isso que a enriqueceu! E por isso até hoje a culinária holandesa seria pouco temperada e pouco salgada... será que é verdade?

Beth Blue disse...

Aqui na Holanda você encontra o sal Baleine em muitos supermercados. Mas o tal fleur de sel eu nunca vi...mas também nunca procurei! Vou pesquisar e depois conto se gostei.

Ah, e o meu problema não é sal não, sempre uso pouco ao cozinhar (uso mais azeite de oliva e alho pro sabor). Meu grande problema é o açúcar!!!

Beth Blue disse...

Milena, respondendo à sua pergunta no comentário: sim, a comida holandesa em geral é pouco temperada...por isso sempre preferi a cozinha mediterrânea, que é muito mais saborosa e se assemelha mais à nossa cozinha brasileira.

Adoro não apenas a cozinha italiana, como a portuguesa e a espanhola! Nada como uma boa paella ou um bacalhau bem feito...

Gisley Scott disse...

O sal não me pega, meu problema é o irmão dele: o açúcar hahahaha!

Bjos