quarta-feira, 28 de março de 2012

Museu do Hermitage: além da descoberta

O museu do Hermitage é realmente impressionante, sem contar tudo que é dedicado à arte russa e as partes do palácio que continuam decoradas no estilo da época. Realmente fascina, um luxo só! Raramente vimos tamanha beleza reunida. Nossa opinião é que o Museu do Louvre é imbatível em termos de qualidade das obras, além de ser belíssimo por fora, mas o Hermitage ganha em decoração interna! 
E olha que já visitamos muitos museus por aí... Seria um pouco como se o Louvre ficasse dentro do Castelo de Versailles, será que vocês entendem o que quero dizer?




Então é verdade que toda essa beleza "ofusca" um pouco as obras, a gente não sabe se olha para as paredes (pinturas e/ou decoração), para o teto (lustres, dourados, pinturas, etc) ou para o chão (um solo magnífico!), sem contar as portas, cada detalhe... Chega um momento em que o olhar pode ficar um pouco saturado e aí podemos deixar "escapar" alguma coisa importante!

Tudo, é claro, do melhor estilo muito exagerado que reinava na época da rainha Catarina.

França


Cerca de 20 salas com pinturas e esculturas francesas dos séculos XV ao XVIII. Uma sala inteira é dedicada à Poussin, e podemos encontrar todos os outros nomes da pintura francesa: os irmãos Le Nain, Claude Le Lorrain, Fragonard, Jacques Louis David, Delacroix e Jean Léon Gêrome.
Essa é uma famosa obra de Gêrome, apresentada pela primeira vez em 1857. Nesta tela, ele abandona as cenas de inspiração grego-romana que o cansagraram e escolhe um tema de sua época, mesmo se os personagens eram inspirados da Commedia dell'Arte. Essa é a segunda versão, a primeira pode ser vista no museu do Castelo de Chantilly

Holanda

Uma linda coleção de cerca de 20 obras de Rembrandt, dentre elas:
 Essa pintura representa uma cena da mitologia clássica: Danaé, filha de Acrisios, foi fechada pelo pai em uma torre de bronze, pois uma profecia dizia que seu filho mataria o avô. Mas Jupiter amava Danaé e conseguiu engravidá-la através de uma chuva de ouro. Dessa união nasce Perseu, que, conforme a profecia, mata acidentalmente o avô! O mais incrível é que radiografias indicam que o rosto inicial de Danaé era o de Saskia, esposa de Rembrandt, que o modificou após a morte dela. E provavelmente nessa mesma época ele incluiu os efeitos de luz, que fazem a importância da obra, quase tão importante quando a sua "Ronda Noturna" (1642). Trata-se de um dos raros nus de Rembrandt, que durante toda a sua carreira teve que se submeter à rígida moral calvinista que regia a Holanda na sua época.
Sua esposa Saskia, como Flora.
Inglaterra

Poucas salas representam a arte na Inglaterra, e essa pintura de Thomas Gainsborough é considerada a mais importante da arte britânica nesse museu.
 Essa bela desconhecida encarna a moda e a definição de beleza correntes na Inglaterra do fim do século XVIII.
Espanha

Igualmente apenas duas salas, mas repletas de obras de artistas como Murillo, Greco, Velasquez e Jose de Ribera.


O terceiro andar é dedicado as obras a partir do século XIX (vai ter que ficar para um outro post!).

Aqui seguem algumas dicas para quem quiser aproveitar melhor a visita do Hermitage:
- Chegar cedo
- Levar alguma coisa na bolsa (água e algo para beliscar, em caso de fatiga aguda)
- Calçados confortáveis: além de quilômetros de galerias, o solo é tão trabalhado que saltos são proibidos (infelizmente ninguém controla e tinha gente com salto barulhento!), e acho um sinal de respeito para preservar esse patrimônio único no mundo.
- Um mapinha ou guia (livro) que oriente onde fica cada setor do museu, pois o mesmo é realmente um labirinto! Assim, quem deseja ver algo em específico não perde tempo!
- As fotos são permitidas para quem pagou
Acho o cúmulo as pessoas que não pagam e depois ficam fotografando com o iphone!!! Quer fotografar, siga as regras, quer economizar, boa parte das fotos são disponíveis pela internet e livros sobre o assunto. Depois não adianta reclamar que recebeu uma bronca dos funcionários do museu!
- As exposições temporárias não autorizam fotos (como em praticamente todos os museus do mundo), então também melhor respeitar... Um desenho universal indica onde não pode, basta um pouquinho de atenção!




5 comentários:

Mulher de Fases disse...

Lindo mesmo! Detalhes riquissimos na pintura, candelabros... Eu só fascinada por decoracão, o que a arquitetura pode contar sobre o lugar, principalmente se for de outra época. Também ficaria louca tentando me concentrar entre a pintura ou a beleza do local.

Thaís de Miranda disse...

Gente, fala serio! Arte é tudo de lindo!!! Essa arquitetura é deslumbrante oO
Ameiiiiii!!!!!!
Lindas as fotos, tudo!
:)
Beijoooo

Milena disse...

Sem dúvida um belíssimo museu. Mas devo confessar que não é um local que me atrai. Sou mais do tipo de turista que gosta de paisagens naturais e afins.

Beijo.

Allan Robert P. J. disse...

Mas o legal é isso mesmo, se embebedar com tanta beleza e tantos detalhes. Belas fotos.

:)

Gustavo Belli disse...

Adorei a definição de Louvre dentro do Versalhes, excelente.
@GusBelli