domingo, 1 de abril de 2012

Lille: surpreendente descoberta do Norte da França

Eh muito fácil ir à Lille de trem. São vários horários por dia saindo de Paris Gare du Nord e deixando em Lille em cerca de 1h. Para os apressadinhos, até é possível fazer um bate-e-volta (o que fiz no ano passado para visitar uma amiga), tão curta é a distância e os preços muitas vezes interessantes. Mas desta vez aproveitei um lindo final de semana se sol do mês de março para visitar a mesma amiga e conhecer um pouco melhor essa cidade tão ambivalente!
Em termos arquiteturais, Lille oferece aos visitantes uma diversidade incrível de estilos, de acordo com a situação do seu solo e das influências históricas.
Os prédios mais antigos datam do século XV, construídos em pedra e tijolo. Os demais da época eram construídos em madeira, mas devido aos incêndios as mesmas foram proibidas a partir de 1591, mas as construções seguintes guardavam a madeira na estrutura.
Um dos prédios mais antigos da cidade, esse do antigo Hospice Contesse.
São vários bairros bem interessantes e diferentes para visitar! Aqui um pouco do centro da cidade, com sua grande praça e seu beffroi, lembrando um pouco a Grande Praça de Bruxelas. Foi aqui nesse bairro (no Hôtel Bellevue) que Mozart ficou quando esteve doente em 1765, durante uma tournée


Le Vieux-Lille (a cidade antiga), que antigamente era um bairro popular, atualmente é burguês e caro. Podemos encontrar lojas de luxo, bons restaurantes e gente bonita!
A rue des Chats-Bossus (gatos corcundas) era uma rua onde trabalhavam os profissionais que beneficiavam o couro (tanneurs). Hoje resta um gato que representa o antigo nome dessa rua famosa.
Na mesma rua uma das mais belas peixarias-restaurantes da França segundo os especialistas. A fachada é Art Déco (rara em Lille), com um belíssimo conjunto de mosaicos. 




Podemos notar claramente a influência belga (Bruxelas e Anvers), já que Lille fica bem pertinho da fronteira com a Bélgica (vale lembrar as influências culinárias e a preferência dos habitantes da cidade pela cerveja!)

Lille conta com uma longa história industrial, então também vemos uma infifidade de construções em tijolos vermelhos, lembrando, em muitos aspectos, alguns bairros de Londres. Ou seja, tem de tudo e para todos os gostos. Impossível não amar.
Um ar tão misterioso reina em algumas ruas!

 Fachada do Museu de Belas-Artes, o segundo museu francês, após o Louvre (não pelo tamanho, é claro) pela riqueza de suas coleções. Gratuito no primeiro domingo de cada mês e fechado no final de semana da Grande Braderie de Lille.
Não se pode visitar Lille sem passar pela grande feira dos domingos pela manhã no bairro Wazemmes, um verdadeiro local popular, onde se misturam mais de 80 nacionalidades, fortemente representadas atualmente pela imigração maghrebina e asiática. 
Todos os domingos as ruas são tomadas pela multidão. superanimado e colorido, principalmente para dar novos ares na cidade em que praticamente tudo (com exceção dos museus) fecham aos domingos.

 No Bairro Real (quartier Royal), construído na época em que Lille se tornou francesa (a partir de 1670). Endereço da aristocracia. Foi ali que nasceu Charles de Gaulle, e podemos avistar a sua casa natal. Ali perto fica a Citadela, um domínio militar, construído por Vauban (que construiu vários locais assim na França) nos modelos do de Besançon. Porém as visitas da Citadela de Lille só acontece organizada pela secretaria de turismo da cidade, entre maio e junho. Fora isso, temos que nos contentar com o parque que fica ao redor e o mini-zoo. Gratuito! 

Já deu para perceber que a cidade é grande e que as possibilidades de passeios e descobertas são imensas... Não consegui ver tudo, isso seria impossível em tão pouco tempo!

8 comentários:

Ivânia Santos disse...

Olá!
vi que comentaste no post que a Kinha fez sobre mim..
Vim conhecer o teu blog e agradecer!
Estou a seguir-te... gostava de te ver pelo meu blog também! :)

O post é fantástico! Amo Paris <33

Beijo*
IV
www.ivaniadiamond.com

Lulu disse...

Eeee agora com net pra poder ver o post de Lille :)

Cheia de informaçoes q nem eu sabia rsrs
Agora faltou fotos do museu e dos pratos q comemos rsrs

Venham quando quiserem novamente, pro Sylvain passar um dia inteiro no Beaux Arts ;) rs

Beijinhos ch'ts

Milena F. disse...

Ivânia, obrigada pela visitinha! Adorei o seu blog, fotos lindíssimas!

Lu, escrevi então no tempo certo! Ainda quero escrever sobre os museus e sobre as comidinhas! estátudo na minha lista! Bjs

Vanessa B. disse...

Milena, da proxima vez que for a Lille, de um pulinho em Roubaix para visiar o Museu "La Piscine". Simplesmente imperdivel!!! A gente fica de boca aberta com a beleza do local. Agora esta rolando uma exposiçao fotografica sobre Picasso que é muito interessante.

Milena F. disse...

Vanessa, estivemos lá, mas é assunto para outro post! A exposição sobre picasso estava muito interessante!
Assim como o Museu de Arte Moderna de Villeneuve-d'Ascq!

Gisley Scott disse...

Uma cidade que pelo visto tem muito a oferecer.Engraçado,quando penso beleza,cultura e mordernidade e penso na França, tendo a pensar em Paris...Mas as cidades em redor tem possuem tanta beleza e história quanto ela.Eu queria que as cidades adjacentes à Jacksonville fossem assim tb.

Bjs

Lu disse...

Nao pode faltar vir na Braderie de Lille em setembro.
Eu nao estarei aqui (vou ao Brasil), mas meu marido vai estar.

Bjinhos

Carol Vieira disse...

Olá Milena, tudo bem?
Eu vou fazer uma viagem com meu marido para a Europa e um dos lugares que estão nos planos é Lille. Estávamos pensando em fazer bate e volta. Você acha pouco tempo??
Obrigada,
mundocarolvieira.blogspot.com