quinta-feira, 1 de março de 2012

Desvendando o mistério russo


Não deu para pesquisar muito desde que programamos a viagem, primeiro com um mês de dezembro corridíssimo, o início do ano que começou com MuniqueDijonLondresNormandiaReims, Eurodisney, espetáculos e exposições...

E no meio disso tudo a gente precisa trabalhar, pois as contas não deixam de chegar...
Peguei meus dias de férias que restavam do ano passado e vamos conhecer uma cidade com a qual sempre sonhei! Maridão reticente durante um segundo, mas sua vontade de visitar o Hermitage (um dos mais importantes museus do mundo) falou mais alto!

Sou apaixonada pelos escritores russos, li Ana Karenina, Dr Jivago, Crime e Castigo, etc... Mas um que mora no meu coração e que marcou a minha vida foi um livro de Aleksander Solzhenitsyn chamado "Pavilhão de Cancerosos" (em dois volumes). O livro escrito nos anos 60 se passa em um serviço de oncologia de uma cidade soviética. Através da experiência do câncer, passando pelo sofrimento e a morte, seguimos os pontos de vista dos médicos, infermeiros e doentes, onde cada um se indaga sobre o sentido da vida. São personagens muito diferentes e posições sociais que se misturam e é claro que o pano de fundo é o sistema político e o contexto soviético. Li este livro na minha adolescência e há alguns anos tive a sorte de encontrá-lo em um sebo!!!

Não sei explicar porque a Rússia sempre me interessou... Mas meu interesse vai muito mais longe do que os filmes de espionagem e guerra fria (que adoro!). Quando comento por aqui que passarei alguns dias pisando o solo desse país que considero fascinante quase todo mundo me chama de louca!!! Engraçado que a visão dos franceses em relação à Rússia e aos russos é bem diferente da minha...

Primeiramente eles vêem a Rússia como um país superatrasado, onde nada funciona, pobre e subdesenvolvido... Eu já não tenho essa mesma imagem pois sempre estudei cientistas russos famosos (como Pavlov, por exemplo) que mostram que a pesquisa sempre foi muito valorizada, sem contar o cpmplexo sistema de espionagem e de tudo que envolveu a engenharia espacial. Também tenho uma imagem de um lugar onde muito cedo as mulheres começaram a ser independentes e ter uma carreira! 

Muito antes disso, teve a imperatriz Catarina da Rússia, que além de ser muito famosa por colecionar amantes (mais jovens do que ela!), era muito culta e inteligente, fez de São Petersbourgo  uma cidade seguindo os modelos europeus, estabeleceu a língua francesa na corte, frequentava e recebia grandes personagens como os filósofos da sua época. Durante seu reinado, a cidade se tornou capital da cultura e das artes (era apaixonada pelo mundo da arte e sua coleção particular é a origem da Museu Hermitage).

Outra imagem que se tem por aqui é que os russos são extremamente frios e desagradáveis! Os brasileiros acham que os franceses são frios e mau-humorados, os franceses acham que são os russos!!!

Além disso, visitar a Rússia é visto como algo muito complicado pelos franceses! Primeiro é necessário um visto para europeu (brasileiro não precisa!), e para pedir o visto é necessário um tipo de carta convite do hotel (para turista), que é paga, ou de quem convidou. Todos os guias de turismo dirão que o procedimento é muito complicado, o que no caso aqui de casa foi bem simples, seguindo todos os passos do site do consulado da Rússia.

Como dizem que é muito difícil se localizar e conseguir se comunicar confortavelmente em inglês, até tentei encarar esse desafio, mas confesso que não ultrapassei a terceira lição!
Resolvi "estudar" um outro livro, assim pelo menos não devo morrer de fome!!!
(os nomes dos pratos são em russo e explica os ingredientes!)

Bem, veremos tudo isso e em breve estarei aqui falando das minhas impressões...
Já imagino que o choque não será muito grande pois ficarei em São Petersbourgo, que  é considerada a cidade mais ocidentalizada e européia da Rússia... Mas veremos em relação às pessoas!

Por enquanto fico aqui tentando desvendar esses mistérios do alfabeto cirílico 


13 comentários:

Beth Blue disse...

Que maravilha de viagem, Milena! Diga-se de passagem, como você tem viajado desde dezembro, hein? Tem mesmo que trabalhar de vez em quando pra poder viajar tanto assim, rsrsrsrs.

São Petersburgo também me atrai muito, talvez por ser a cidade mais européia da Rússia, como você mesma já disse. Vi fotos e me parece mesmo uma linda cidade, e o Hermitage realmente deve ser imperdível - um dos mais famosos museus do mundo, como o Louvre e o British Museum né?

Curta bastante e depois venha contar suas impressões de viagem aqui!

Nadja disse...

Louca nada!Deve ser maravilhoso mesmo e cheio de história ... cultura... :))))
quero fotos!!!

Sandra disse...

Pelo menos um país em que o Brasil tem uma certa "vantagem": não precisar de visto..rs.. Eu já li alguns escritores russos (Dostoievsky, Pavlov - por obrigação) mas ainda não bateu aquela vontade de visitar, quem sabe com o tempo... Em um canal de TV daqui, por conta da eleição presidencial russa, está passando esta semana um documentário sobre a Russia super interessante! Acho que tem muita coisa legal lá pra ver.

emilyn disse...

milena somos duas..desde a adolescência meu sonho é aprender russo e passar 1 mês na Rússia..nem preciso dizer que terei que juntar dinheiro por um bom tempo já que a viagem partindo daqui do brasil é cara!e estudar bastante pq o idioma é difícil!sempre me perguntam: Rússia??porque??você é doida..rsrs..
o Hermitage é lindo e até as estações de metrô russas são belas..bjus e boa viagem

carpe diem disse...

Oi Milena ! E quando partimos prá Rússia ? Gosto muito dos seus post e viajo com vc.

Judith disse...

Milena.
Ha muitos anos pasei 20 dias entre Moscou e Lenigrado(era assim que se chamava)Fiquei completamente apaixonada pelas 2 cidades.Sylvan tem razão L'ermitagem é de ficar babando. Vocês vão adorar. Façam um boa viagem.Bjos Judith

Fernanda Souza disse...

Quero muito conhecer o sol da meia-noite de São Petesburgo!!! E acho que a Rússia tem muitas coisas lindas!

Quanto a independência das mulheres, não tenho essa visão. Posso estar sendo generalista, mas as colegas russas são de uma cultura diferente que a nossa. Tive uma colega, de fato ela é da Belarussia, que um dia na classe discutimos sobre as mulheres no meio político e as opiniões dela eram tão retrógradas, do tipo: a mulher tem que abandonar a família se seguir a carreira política, o homem não. A mulher na política tem cabelos curtos como homem e outras coisas abomináveis!!! Mas enfim, pode ser um caso isolado. Quando estamos num outro país é normal a gente fazer generalizações, assim como fazem da mulher brasileira.

Enfim, uma ótima viagem e conta tudo para nós depois!

Priscila disse...

Mas que maravilha!Eu adoro literatura russa!as vezes eu queria saber russo só para poder ler meus clássicos favoritos no original.Meu amigo francês aprendeu russo na escola,mas não quis estudar mais na faculdade...Boa viagem Milena!Traga muitas fotos lindas como você sempre faz ;)
beijos!

Tatiana disse...

Mi querida, me identifiquei bastante com teu post...rs, nao sei se voce sabe, mas eu nasci em Paris e toda a familia do meu pai é de Kiev, cidade Ucraniana antiga Uniao Sovietica!Meu sobrenome de solteira é Zalkowitsch...rs.
Tambem sou louca pra conhecer. Aproveeeeite amiga, tenho certeza que voce vai amaaaaar!!!!
Bjks!!!

Vanessa B. disse...

Aproveite bastante Milena e depois conte tudo pra gente.
Bon voyage!!!

Milena F. disse...

Beth, comparando com outros blogs que leio, até nem viajo muito!!! Mas pretendo diminuir bastante, pois acabo não aproveitando tanto ultimamete de Paris, além disso a reforma do apartamento está parada e sobra pouco tempo para visitar os amigos!
O Hermitage é realmente maravilhoso! Néao é vc que gosta de Matisse? Todas as escolas e épocas estão representadas ali!

Nadja, agora mesmo que não me vejo como louca, pois a cidade é realmente lindae tem muita coisa para fazer e visitar!

Sandra, confirmo que tem sim!!!

Emylin, realmente custa caro saindo do Brasil... Quando eu morava por aí já tinha pesquisado e os preços são absurdos!!! Daqui vale a pena, mesmo para uma permanência curta, como foi o meu caso! Mas aprender russo, apesar de achar a língua escrita linda, não tenho mais coragem...

Carpe diem, quando o post foi publicado eu já tinha ido!!! Já voltei e em breve as novidades!!! Néao é fácil selecionar as fotos e organizar os artigos!

Judith, ainda quero conhecer Moscou!!!

Milena F. disse...

Fernanda, dizem que no verão é realmente fantastico aproveitar esses dias que não terminam nunca! Mas o inverno tem todo o seu charme!
Sobre a independência das mulheres, não conheço o suficiente, falo do fato delas terem começado muito cedo a trabalhar fora, fazer longos estudos e assumir cargos importantes... Mas a Russia é muito grande e sofre mesmo influências etnicas e religiosas muito fortes que podem vir de encontro a isso que eu disse.
Mas sobre os cabelos curtos, não sei se entendi a sua colocação, mas infelizmente a imagem que temos da mulher de "poder" é a "mulher-macho" e de cabelos curtos!!! A gente vê as mulheres "poderosas, todas de caelos curtos, como a alemã Angela Merkel, ou a ministra francesa das finanças Christine Lagarde, com seus cabelos curtos e mesmo grisalhos, virou símbolo da mulher chique, "nature", de poder e independente... E o físico mais feminino da Segolene Royal que não inspira confiança nos franceses, que a vêem como frágil... Nesse sentido Martine Aubry é vista como mais "firme". Agora não me ocorre todas mas eu diria que na grande maioria dos casos em que vemos uma mulher no poder, ela corta os cabelos!!! Aqui na França vejo muito cabelo curto, muito mais do que no Brasil... E fica difícil mesmo, imagino, conciliar uma carreira no poder e dar a mesma atenção aos filhos e a família... Posso ser atrasada, mas depois as francesas querem trabalhar apenas 80%, com o mesmo salário e as mesmas responsabilidades, quando é sempre a mulher que sai correndo do trabalho quando o filho está doente... Por que tão raramente são os homens? Enquanto eles continuarem colocando a carreira em primeiro lugar, antes da família, continua sendo difícil para as mulheres competirem!

Milena F. disse...

Priscila, em breve fotos e informaçéoes, prometo!!!

Tatiana, eu sabia que vc tnha morado na França, mas não conhecia todos esses detalhes! Então um dia vc vai ter que conhecer essas cidades! Eu não sosseguei enquanto não visitei a Alemanha, origem da minha família materna!