quinta-feira, 17 de março de 2011

Château de Versailles e a Supremacia de Luís XIV

Já escrevi um post cujo título era o Roi Soleil, mas no caso não tinha nada a ver com a verdadeira utilização do termo, já que Le Roi Soleil, todo mundo aqui na França sabe e muita gente pelo mundo que prestou um pouco mais de atenção nas aulas de história também, já que nos livros o rei Louis XIV é o "Rei-Sol".
Para quem, como eu, adora história, lugares bonitos e castelos, impossível não visitar o Château de Versailles, já que fica ao ladinho de Paris e foi a principal moradia desse rei francês símbolo do absolutismo.

Já na entrada podemos contemplar essa magnífica escultura em que Louis XIV aparece altivo em seu cavalo, como se estivesse observando a cidade e seus visitantes. A estátua esteve muito tempo em restauração e foi reinstalada recentemente (2009 ou 2010)


Talvez a construção externa não impressione à primeira vista os desavisados. Mas é a terceira vez que visito o domínio do castelo e a cada vez fico e saio mais impressionada. A cada ocasião presto atenção em detalhes que antes não tinha reparado, e no conjunto a obra me parece ainda mais imponente. O interior é um luxo só!


A construção não possui torres, como a imagem que fazemos de um verdadeiro castelo, já que não é um castelo medieval, em que o padrão da época eram fortificações, e o objetivo não era ser um château fort (uma estrutura fortificada muito comum na Idade Média, cujo objetivo principal era garantir a proteção dos moradores do château em caso de invasões ou rebeliões, muito comuns no período, mas também uma forma de marcar o status social)

O castelo começou a ser construído na época do rei Louis XIII, mas era bem modesto, servindo como residência de caça. Com a morte desde e a ascenção ao trono de seu filho, Louis XIV (aos 5 anos!), este último não encontrava nenhuma residência real a seu gosto. Ele morou no Palais Royal, no Louvre e no Castelo des Tuilleries (tudo ali ao redor do museu do Louvre), Vincennes, Saint-Germain-en-Laye e Fontainebleau, mas não gostou de nenhum. Conta-se que se apaixonou por Versailles à primeira vista e decidiu construir lá o seu domínio, já que ele tinha uma certa desconfiança em relação à Paris e sua população, julgada difícil de controlar. Com a morte do Cardeal Mazarin em 1661, Louis XIV (então com 23 anos) adquiriu plenos poderes e decidiu que o château de Versailles seria um dos mais maravilhosos palácios da Europa. Foi muito criticado pela corte e pelo povo, é claro, devido ao dinheiro gasto em seus projetos, mas rei é rei, ele fez o que queria.

Uma das salas mais visitadas e mais famosa é a Galerie des Glaces (galeria de espelhos). São 73 metros de comprimento e 357 espelhos. Na época espelhos eram artigos de muito luxo, e a indústria francesa de espelhos na época "roubou" o monopólio de Veneza. Foi nesta sala que em 1919 foi assinado o Tratado de Versalhes, dando oficalmente fim à 1ª Guerra Mundial.

Galerie des Glaces
A arquitetura retoma o estilo clássico, composto de um plano simétrico, fachada com colunas e inspiração antiga ou mitológica. Muitas salas apresentam pinturas e esculturas nesse estilo, sendo mesmo nomeadas como Salão de Marte, de Mercúrio, Apolo, Diana, Venus, Hercules, etc, em relação com a decoração. Há igualmente um toque barroco para quebrar um pouco todo esse rigor clássico.

Salas inspiradas na mitologia.


Esse baixo relevo mostrando Louis XIV ainda com o seu cavalo deve medir uns 3 metros de altura, e fica acima do nível da cabela dos visitantes

Galerie des Batailles, medindo 120 metros de comprimento e 13 de largura, onde estão situados enormes pinturas representando os mais importantes eventos militares da história da França. Ela comporta também bustos de militares franceses mortos em batalha


Uma das peças dos apartamentos da rainha, tal como foi deixada por Maria Antonieta em 1789 quando ela foi feita prisioneira pelo povo (os parisienses!) que invadiram Versailles na época da Revolução.

Bem que eu queria uma dessas aqui em casa!

O castelo conta com 900 peças, 2513 janelas, 352 lareiras, com uma superfície toral de 67 mil metros quadrados. Eu então recomendo nada menos que um dia inteiro para visitar todo o domínio, e ainda vai ficar muita coisa para uma segunda vez!

Um dos cartões postais do castelo, mas desta vez visto sob a neve.


Como chegar:
Pelo RER C saindo de Paris, descer na estação Versailles Rive Gauche. Mas atenção, pois ele fica em uma zona de tarifação fora de Paris, então é necessário um bilhete específico (zona 4, enquanto Paris é zona 1)
O preço é um pouco elevado, mas vale cada centavo: 18€ o bilhete completo, incluindo o castelo, o Trianon e o domínio da Maria Antonieta.
Aberto todos os dias, com exceção de segunda-feira.

8 comentários:

Carla disse...

Bonjour Milena !!
O Château de Versailles, realmente é maravilhoso, assim como Paris.
Na minha visita ao Château, como você mesma disse, foi impossível ver tudo, mas as impressões deixadas em mim foram inesquecíveis. Também adoro história e nas minhas leituras descobri algumas coisas peculiares a respeito de Louis XIV. Apesar dessa pose toda imponente no monumento, ele era um cara baixinho e desdentado e pra que conseguisse comer carne, mandava seus empregados amassarem até virar uma pasta, daí surgiu o que conhecemos hoje como patê. E muitas outras histórias interessantes e peculiares da vida na corte.

Bom Milena gostei muito de conhecer seu blog. E apesar de morar no Brasil minha paixão pela França, Paris é incomensurável !!

um beijo

Sylvain disse...

Le domaine de Versailles et son château constituent un site absolument unique tant par son histoire que par les milliers de merveilles artistiques qu'il contient.Les plus beaux métiers d'art y sont représentés dans toute leur splendeur et la traversée de chaque pièce est un enchantement visuel pour qui sait ouvrir les yeux et stimuler sa sensibilité artistique...La traversée des immenses jardins est à la fois reposante et fatiguante par sa dimension colossale !!!Une expérience à vivre sans aucun doute ...

Milena Fischborn disse...

Carla, que legal que vc já conheceu Versailles!
Mas em relação à Luís XIV, as informaçéoes é que ele media o equivalente a 1m82, e não 1m61. Esse erro teria sido devido a uma armadura desse tamanho que foi oferecida por Veneza, sem conhecer o seu tamanho exato, mas com base no tamanho médio da época. Essa armadura ele não teria nunca usado.
E em relação ao paté, o mesmo foi inventado na antiguidade, e começou a aparecer na corte muito antes, na época de François I, mas realmente foi com Louis XIV que fez o maior sucesso, com algumas mudanças na receita! provavelmente ele foi desdentado quando mais velho, pois ao contrario da tendência da época, ele morreu com quase 80 anos, e eu acho que na época não existia dentista!!! Se existia, não existiam os tratmentos que se tinham hoje!!! hahahaha

Ana Paula Gervason disse...

Nossa realmente esse castelo é maravilhoso e muito luxuoso!


Bjss e uma ótima quinta,

http://toutlamour.blogspot.com

Flávia - Compartilhando Idéias... disse...

Se pelas fotos tudo é lindíssimo, imagina estar ali perto de tanta beleza!!!!

Rosangela disse...

Versailles é realmente um sonho de tão lindo. Quem for a Paris deve conhecê-lo, com certeza não vai se arrepender, tb já fui 3 vezes e sempre me encanto ...
bjinss

Lu disse...

Ja o visitei, muito lindo mesmo. Coisa de doido imagianr como isso tudo foi construido. Tantos detalhes no interior.

Mais doido ainda é o preço da visita kkkkk... lembro q soh o estacionamento na epoca era 13 euros rsrs

Bjinhos

http://mavieenrosechoc.blogspot.com/

Milena Fischborn disse...

Lu, a melhor opção é ir com transporte publico mesmo, mas para quem quer ir de carro, ha duas quadras do castelo tem estacionamento publico. E a cidade é superchique e segura! Realmente absurdo pagar pelo estacionamento quando é possível deixar o carro ao lado.