terça-feira, 5 de junho de 2012

Filmes de agora e de ontem - 2

Dark Shadows
Não sou lá uma fã de Tim Burton, que parece que é uma mania dos franceses (vai ver no Brasil agora também é assim), mas fui conferir com amigos essa novidade.
Mas confesso que passei um bom momento! Para quem aprecia, entramos direto no universo de Burton com as suas criaturas fantásticas e personagens "décalés". Também encontramos a sua velha equipe de guerra, com Johnny Deep (Edward mãos de tesoura) e Madame Tim Burton, dentre outros. Michelle Pfeifer que eu não via há muito tempo está muito bem no seu papel de "a mais centrada da família". 
O castelo e as paisagens são muito bonitas. Apesar de tratar de vampiros e bruxas, o filme é bem leve, então eu que sou um pouco impressionada com filmes, não tive medo em momento algum! 
Um bom filme para quem gosta do universo fantástico americano, principalmente de Tim Burton

Prometheus
Um filme de arrepiar!!! Se o realizador é o mesmo de Alien e Gladiador, as belas paisagens do início do filme nos lembram o segundo, mas todo o resto é Alien puro!!! Um puro filme de ficção científica e ação.
Não indicado para pessoas de estômagos sensíveis!!! Cenas altamente horripilantes!

La journée de la jupe (fr)
O retorno da atriz Isabelle Adjani em 2009 trata de um assunto muito sensível nessas bandas de cá: as escolas da região parisiense onde a imigração é muito forte e onde existem verdadeiros problemas sociais. Eu conheço bem algumas dessas regiões sensíveis e digo que muitas vezes dá muito medo, e que as diferenças sociais são tão grandes, um grupo de imigrantes não aceita o outro, um não aceita a religião do outro ou a sua forma mesmo de se vestir, e eu sempre digo que um dia tudo isso aqui vai explodir, pois os poderes públicos não fazem nada... 
Muitas escolas são realmente muito difíceis e a educação nacional não oferece nenhuma ferramenta aos professores e demais pessoas que trabalham nesses locais. Para quem não conhece essa realidade, seria um pouco como uma escola dentro de uma favela barra-pesada. Eu que já trabalhei em vilas e locais bem complicados, a diferença é que nós éramos respeitados lá (pelas famílias e até pelos chefes de gangues)... Aqui pelo que eu percebo não.
Isabelle Adjani interpreta uma professora de ensino médio em uma dessas escolas complicadíssimas. A gente percebe seu estresse e o quanto ela quer fazer o seu trabalho mas não consegue. Ela está no seu limite, até que descobre uma arma nos pertences de um dos piores alunos. Ameaçada, humilhada, ela perde completamente o controle e toma os alunos como reféns. No inicio achei que não seria possível sustentar um filme inteiro assim,  mas o filme se desenrola (de forma brutal e forte) perfeitamente com a professora mantendo os alunos como reféns. Em nenhum momento fiquei entendiada.

Copacabana (fr)
Babou é inconsequente de seus atos, nunca trabalhou na muito na vida, não se importa com o que os outros pensam dela, e é mãe solteira de uma jovem que vai casar e que tem vergonha da mãe... Sua filha tem tanta vergonha do comportamente da mãe (que se comporta como uma adolescente) que decide não convidá-la para o seu casamento. A mãe então resolve aceitar um emprego daqueles que ninguém quer "tipo vender terrenos no céu", para poder provar a filha que ela pode mudar e ganhar alum dinheiro para o presente de casamento. E por que Copacabana? A mãe sonha com o Brasil, Copacabana e a música brasileira... Claro que tudo no maior clichê, é claro! Em uma passagem ela olha a vitrine de uma agência de viagens e vê o Brasil. Uma colega diz: "Brasil é Rio?". Ela responde que sim... Eh verdade que o Brasil todo é como uma grande Copacabana (ironia).
Um filme que fala igualmente de relações mãe-filha, que eu sempre vi como um pouco complicada aqui na França!

Never Let Me Go

Uma atmosfera super-pesada e estranha... Sylvain e eu nos sentimos mal o filme inteiro! 
Do ponto de vista técnico ele apresenta uma história original, os papéis são bem interpretados, existe uma beleza nos gestos dos personagens e nas paisagens. Mas o filme é tão deprimente e a gente pode até torcer para que tudo termine bem, mas não... Os personagens são resignados aos seus destinos... Não existe nenhuma luta, nada... O filme é uma adaptação do best-seller do escritor Kazuo Ishiguro (o mesmo que escreveu "os vestígios do dia"), e talvez eu pudesse apreciar melhor o filme se tivesse lido o livro.

Half Nelson
Sinceramente, não gostei, e apesar da história pesada, achei um filme extremamente "vazio". os espectadores ficam realmente na expectativa de que algo aconteça, mas nada acontece, a situação do professor branco e inteligente dependente de drogas vai se degringolando, cada vez ele cai mais fundo no poço. E a sua aluna pobre e negra, que a gente pensa que pode sair do caminho que estava pré-destinado para ela, na verdade ela não pode. Eu meio que interpretei o filme como "vejam só, um branco que estudou e que tem uma família pode estar em uma situação muito pior que a de um jovem negro e pobre da periferia". 
Para mim o filme não passou nada de positivo...

8 comentários:

Inaie disse...

já não me lembro se eu vi never let me go ou não...

mas tenho mania de nao saber nada sobre os filmes que pego. escolho pelos atores, as vezes pela capa 9 juro!!), as vezes pelo nome, as vezes a toa.

Quantas vezes fiquei alegremente surpresa...quantas outras errei feio.

Ontem vi Deatached - e até agora não sei se gostei ou detestei. O filme é triste que não acaba mais, mas também provoca os seus sentimentos mais profundos...

veja se puder, mas se for demais, tire do DVD e jogue no lixo

Milena F. disse...

Inaie, assim como vc não costumo ler muito o resumo antes de assistir! As vezes vou pela capa mesmo, mas esse never Let Me Go mesmo lendo não daria para saber de antemão do que se tratava! Só pela capa eu não teria assistido esse do Ryan Gosling, mas meu marido que adora esse ator quis ver justamente pelo ator! Nós dois erramos feio, e ele ainda só viu a metade e foi dormir!
Ele tb quer ver esse filme Deatached e ouvimos boas críticas, mas eu fico adiando, peguei uma implicância com o "Adrien Brody" desde "O Pianista"!!!

Helô Righetto disse...

oi milena! pois é, o victor hugo viveu lá sim, fomos visitar a casa dele! e sim, as ilhas são uma espécie de paraíso fiscal! bj

Enaldo disse...

Tim Burton é um cineasta que não agrada muito nem a gregos e nem a troianos. Para os cinéfilos ele gosta muito de fazer os mesmos filmes de sempre e fez o desfavor de fazer um ruim "O Planeta dos Macacos". Eu gosto dele nos dois primeiros Batman e A Fábrica de Chocolate. Para o grande público ele é só um esquisito.

Prometheus do meu mui amado Ridley Scott tem decepcionado quem esperava um filme do nível de Alien e Blade Runner, mas eu vou ver assim que passar no Brasil (semana que vem).

Este da Adjani eu quero ver por masoquismo, rs..., sei bem o que é este universo. Aqui não temos brigas de nações diversas, mas de bairros vizinhos, é a briga pela "comida, território e fêmeas".

O meu outro blog, o Panoticum, eu escrevo sempre sobre os filmes que vejo, te convido a dar um pulo lá (e desculpe o merchandising,rs...).

Ma Petite Lima disse...

Mi, estou curiosa pra ver o "Never let me go", so pelo seu comentario.. rsrsrsrsrsrs.. Os outros tb, flor.. rsrsrsrs..
Obrigada por nos dar essas diquinhas.. Esses dias tava querendo assitir alguma coisa bacana, mas nada me veio na cabeça.
Bju Bju
Joanna

http://mapetitelima01.blogspot.fr/

casa de fifia disse...

nunca vi nenhum destes filmes. ultimamente vejo muito filme nacional(italiano).
mas achei interessante a sua descrição de La journée de la jupe.
vou procurar, atè porque adoro Isabela Adjani.
aqui na Itália temos os mesmo problemas, talvez até de forma mas exasperada, visto que a Itália è a porta de entrada de todos esse s imigrantes que depois se espalham pela Europa


baci

Beth Blue disse...

Por acaso assisti hoje Dark Shadows no cinema. Eu sou suspeita pra falar porque Tim Burton é um dos meus diretores favoritos (assim como Woody Allen) então acho que até filme ruime dele...é bom! Dito isso, gostei da fotografia e cenário típicos do diretor, mas achei uma estória para adolescentes! Não é de todo ruim mas prefiro outros filmes dele.

Quanto a Never Let me Go, li o livro mas não vi o filme. E imagino a sua estranheza mesmo ao entrar no cinema sem saber nada sobre o filme (ou livro). Achei o livro original e interessante, um misto de science fiction e existencialismo!

Agora quero ver Moonrise Kingdom, Into the Road e The Invader (filme belga). Viva a sétima arte!

Luana disse...

Eu vi os outros filmes, mas queria dizer que Never Let me Go foi o filme que mais me deprimiu na vida... Chorei de dor, chorei de raiva, chorei muito! E olha, eu gostei, mas me deprimiu...