sábado, 23 de junho de 2012

"Causos" interculturais 2

A gente acha que quando vem para a Europa vai ser discriminado e maltratado por europeu... Mas nem sempre é assim, e eu diria que desde que cheguei aqui, os principais problemas que tive não foram com europeus não...

Diálogo 1:

(interloculor 1)- Você vem de onde no Brasil?
(eu) - Do Sul, da região de Porto Alegre.
- Ah! Eu não gosto de gaúchos!!!
- (sem reação, surpresa com a resposta)
- Por que vocês, gaúchos, não gostam da gente, os nordestinos.
- Não tenho nada contra os nordestinos.
- Mas vocês vivem querendo separar a região de vocês do resto do Brasil!
- Algumas pessoas podem pensar assim, politicagem, mas não é um assunto que a gente costuma falar entre nós, gaúchos.
- E além do mais, a situação do Rio Grande do Sul está tão ruim que todo mundo invade em massa o Nordeste para roubar os nossos empregos.
- Eh verdade que quando eu era criança meu pai foi trabalhar no Maranhão e moramos durante um ano em São Luís. Ele, nós e todo o grupo que foi, todos fomos muito mal recebidos pelos locais, diziam na nossa cara que estávamos roubando empregos, vaga em escola, etc... Até para alugar um apartamento, na época não queriam alugar para "estrangeiro". No fim das contas foi a empresa que teve que resolver o problema de alojamento, pagando muito mais caro do que o preço de mercado. Impossível abrir um crediário e até os mercadinhos não queriam nos vender.
- Ah, mas o Maranhão não pode ser confundido com o Nordeste! Eles são pretenciosos e arrogantes! (hein, além de preconceito contra os gaúchos a criatura também não gosta de maranhenses?)
- Não conheço suficientemente as outras regiões do país para falar, o que nos chega são notícias de documentários de tv, mostrando que algumas cidades do nordeste são ainda sem lei, que vivem sob a lei dos coronéis, onde o indice de analfabetismo é mais alto em comparação com o Sul e Sudeste... O Brasil tem muito a fazer para melhorar a qualidade de vida dessa região.
- Mas não, há muito tempo não é mais assim!
- Que bom!
- A localidade mais pobre do Brasil atualmente é Goiás. Quanta gente sem educação (sem isso, sem aquilo) vem de lá! se eles puderem te sacanear, vão tentar com todas as forças!
(entendi bem? além de não gostar de gaúchos, maranhenses, ainda detesta goiano?)
- Não sei o que dizer, nunca conheci nenhum goiano na minha vida.
(toda essa discussão foi após eu ter feito um favor à essa pessoa, sem perguntar de onde ela vinha nem nada, apenas sabendo que era brasileira e amiga de uma amiga...) 
Para mim não me interessa se a criatura é paulista, paraense ou capixaba...
Então eu sempre digo que antes de falar de discriminação no exterior, a gente deve olhar para o nosso próprio umbigo e reconhecer que preconceito e discriminação começa já dentro de casa, quero dizer, no Brasil... Somos tão ou mais julgado pelos brasileiros em relação a de onde viemos do que pelos europeus...

Diálogo 2:

(interlocutor 2) - Você vem de onde no Brasil?
(eu) - Da grande Porto Alegre.
- Você é otimista, Porto Alegre não tem nada de grande, é um ovo!!! Vocês são tão provinciais. Além de só ter gay. Por isso você casou com um francês? Não tinha homem!!! hahaha
(uma cidade com 1.5 milhões de habitantes ninguém despreza aqui na Europa). E o pior é que essa pessoa também é casada com um europeu...
- E você, para falar desse jeito, deve vir de...
Não vou continuar a frase para não parecer mais uma preconceituosa!)

Diálogo 3:

(interlocutor 3) - Você é brasileira? Ah, eu evito todo contato com brasileiros, meu filho é 100% europeu, não quero que ele seja confundido com brasileiro. Nada pessoal, nada contra você, mas eu tenho como princípio aqui na França de não me misturar. Brasileiro é tudo mal-educado, ladrão e malandro!

* Toda semelhança com pessoas que você conhece na vida real deve ser apenas mera coincidência... Ou não!!!

18 comentários:

Tatiane disse...

A ultima frase disse tudo Milena!

Sandra B. disse...

Oi Milena,

Preconceito mascarado de "opinião pessoal" é uma merda e parece mais feia ainda quando é contra seus próprios conterrâneos.
Que triste ter que conviver com pessoas assim!!
Sorte!!
bjo
Sandra

Enaldo disse...

Antes de serem de tal ou tal nacionalidade ou região, parece que estas três pessoas são principalmente, eh..., burras.

lunna disse...

hehehe, é cada uma viu!! Olha não sei nem o que dizer realmente, mas dá tristeza ler esses comentários tão preconceituosos e generalizados. Eu sofro bastante preconceito por aqui (em Brasília) por conta do meu sotaque (nasci aqui, mas meus pais são baianos), e repudio qualquer tipo de preconceito e felizmente não faço o mesmo que fazem comigo.

Luana disse...

Genteeeeee! Eu não cheguei a ouvir esse tipo de idiotice, quer dizer, ja ouvi sim algumas coisas, mas não tao diretamente...

O que eu mais ouço eh "sim, eu nasci no Brasil, mas meus bisavós eram espanhóis (italianos, alemães, sei la) e então eu me sinto mais europeu do que brasileiro"

Oi?

E também muita brasileira me pergunta porq eu casei com um brasileiro e não um europeu... Isso la eh pergunta que se faca?

Katita disse...

hahahahahaha! precisei rir né? e o mesmo acontece entre paulistas e cariocas!

Não tenho nem o q dizer porque conheç muuuuuuitas situações assim hahaha!!!

Beijos e fique com Deus :-)

Sandra disse...

Ai, ai, ai... é rir pra não chorar...Infelizmente o preconceito vem de berço e é na maioria das vezes ensinado dentro de casa!!
Também já ouvi por aqui que paulistas são arrogantes e isso e aquilo (nem quero repetir aqui). No fim, somos todos BRASILEIROS, cada um com sua história de vida e lutando por um espaço em uma terra estrangeira.

Priscila disse...

Ei Milena,eu sou da Bahia mas eu sou da paz viu?,ou como dizemos em baianês : Eu sou brother :).Parece que o país da Europa que tem rivalidades regionais parecidas com o Brasil é a Itália,volta e meia ouço os do Norte chamando os do Sul de Terrone,ou o povo de Livorno falando de Pisa e vice versa.
Assim,as vezes até faço umas gracinhas com quem é de fora,tipo perguntar se gostam de leite quente,mas só se conheço a pessoa e sei que vai levar na esportiva,mas nada que possa ser visto como desaforo.Ah,e lembrei agora,os Franceses não fazem algo parecido entre eles?o meu amigo uma vez me disse que a professora de inglês dele falava com o sotaque do sul.

Inaie disse...

to rolando de rir...

mas confesso que também sou preconceituosa. Nao participo de grupos "exclusivos" e nao faço amizade baseada em cor de passaporte.

Fico maluca em festas onde existem as rodinhas dos brasileiros, dos latinos, dos funcionarios dessa ou daquela empresa, dos...

eus empre chego bagunçando tudo! Na minha casa é proibido fazer panelinha...kkk

Aleska disse...

HUahuhuahuahuahuahua. Eu só tenho problema com paulista, mas isso porque conheci 2 manés de lá. Antes eu até achava que a rixa com os cariocas era besteira e tal, mas depois que conheci as figuras...

Nadja disse...

è... o pior é que é assim mesmo. Nós somos nossos piores carrascos. Mas eu adoro conhecer brasileiros de todos os locais do país. Por exemplo, trabalhei numa empresa mineira, com filial em SP e me deparei com pessoas (veja bem pessoas e não mineiros, póis haviam também mineiros bem legais e honestos) que eram mesquinhas, burras, desonestas e mal educadas... Logo de inicio alguns dos meus colegas pegaram birra de mineiro por causa do comportamento de três individuos extremamente grosseiros.

Mas o que me alegrou foi que meus colegas foram convidados a ir a MG pela empresa e puderam notar a diferença entre os "nossos três mineiros"(que ao se dizerem mineiros com orgulho faziam com que todos a sua volta detestassem o estado) e todo o resto do estado, que estava muito longe de ser como eles, ou mesmo de gostar deles...

Milena disse...

Gaúcho, goiano, maranhense? É tudo brasileiro! Que cambada de gente burra vc teve o desprazer de conhecer por aí, hein? A primeira então... Pra ela o Maranhão não é nordeste? Afe... Eu não tenho paciência. Por muito menos tinha mandado ir pastar.
Dica: A próxima vez que encontrar com um tipo assim, corte o papo e vá embora. É o melhor a fazer.

Milena F. disse...

Eh muito engraçado mesmo se não fosse uma história triste!

Sim, existem regionalismos no Brasil e aqui na França tb. Aqui as pessoas são orgulhosas de onde vem e uma das primeiras perguntas entre franceses é de "qual região ele vem". O pessoa ri bastante dos sotaques diferentes, principalmente do sul da França (região de Toulouse, por exemplo), mas preconceito mesmo nunca vi (só mesmo em relação a quem mora na cidade X e quem mora na banlieue).
A gente acaba adquirindo antipatia em relação a alguns devido a uns maus exemplos... Pode ter certeza que se enviam a Porto Alegre um paulista para gerenciar uma equipe, ele vai chegar na reunião de apresentação e dizer "vim aqui para F. com os gaúchos". A minha família morou em uma cidade do interior de Minas e até hoje temos amigos dessa época, mas em compensação, fomos muito mau-tratados no Maranhão (desde o padeiro da esquina até a maternidade onde ele teve a minha irmã, era preconceito descarado desde que a gente abria a boca!), minha mãe jurou que não bota mais os pés lá.
Aqui eu vejo muitas panelinhas, para começar entre brasileiros que vivem muitas vezes fechados em comunidades só de brasileiros, depois já vem afinidade por região. Eu sempre fui completamente contra as panelinhas (nunca fiz parte de nenhuma e me dava superficialmente bem com todas!)
Milena, eu adoraria ter me retirado da conversa, mas no diálogo 1 eu estava com uma amiga que me apresentou essa amiga dela, e estávamos em um restaurante! O pior é que o tal prato demorou muito tempo, não tinha como ir embora! Ainda por cima quantas vezes tentei cortar o assunto dessa forma "vamos mudar de assunto, essa conversa não vai levar a lugar algum", e a pessoa responde "vc quer sair do assunto porque sabe que eu tenho razão, que é verdade, e que a minha reação seria admitir que o outro está certo". Difícil esse mundinho!!!

Bárbara Carolino disse...

Na alsace tambem e assim, maridinho que nao leia isso, mais o povo se acha o maximo, e tudo deles e melhor, rs. Mas essa dos brasileiros foi demais.

Lulu disse...

Milena e seus causos hehehe

Tem um filme frances q mostra bem o retrato disso na França tb... Bienvenue chez les Ch'tis
mostra o preconceito do sul com o norte.

o preconceito existe tb na França, por esteriotipo, ou mitos, por ignorancia mesmo, qnto mais no Brasil q é tao grande e tao distante uma regiao de outra.

Eu nunca passei por isso, graças a Deus rs... conheço desde mineira, a curitibana, paraense, nao fui tratada mal por ser carioca, mas sei q tem paulista q nao gosta mesmo de carioca, vai entender rsrs.

Morei no nordeste na infancia, nunca me trataram mal por ser carioca, mas qndo ia de ferias pro Rio, meus priminhos zuavam meu sotaque meio nordestino da epoca kkk mas é pq criança é fogo rs

Gisley Scott disse...

É triste mesmo.No final a gente vem tudo do mesmo país.Não entendo o pq dessas frescuras de rabo de um estado para outro.Pessoas como a do caso 1 merecem troféu abacaxi...

Bjs!

Fernanda disse...

Affff Milena, que horror! Mas o pior é que é verdade, tem muita gente preconceituosa no Brasil.

Eu sou paulista e sinto vergonha de alguns conterrâneos, como aqueles que acham que SP deveria ser independente do resto do Brasil, que dizem que baiano não trabalha, que carioca é folgado, que paranaense se acha, e por ai vai... Triste.

Mas felizmente não da para generalizar, e eu sou uma otimista, então ainda acho que a maioria dos brasileiros não é assim, não.

Anônimo disse...

nossa! sempre pensei que os maranhences eram receptivos....a unica coisa que me deixa triste eh que realmente ha muitos brasileiros passando a perna em outros...