sábado, 5 de outubro de 2013

Solitude em Paris

Quando você vê uma pessoa sentada em um banco de jardim LENDO um livro, o que você pensa?

(a) Trata-se de uma funcionária de Informações Turísticas de plantão, vou correndo pedir uma informação!

(b) Ela deve estar louca para jogar conversa fora!

(c) Ela não está fazendo NADA, vamos ocupá-la tirando fotos.

(d) Não vou incomodar quem está concentrado na sua leitura.


Ontem tive a tarde de folga e decidi ler um livro em uma linda paisagem de Paris. Não queria ficar trancada em casa.

Mas de posse do meu livro, em duas horas não consegui ler nem mesmo 30 páginas, sendo interrompida:

- 22 vezes com perguntas do tipo: Where is the Eiffel Tower? Notre-Dame? Boulevard St-Michel? Louvre Museum?

- Fui solicitada 18 vezes a fotografar os turistas.

- 5 pessoas se aproximaram para falar da vida e perguntar o que eu estava lendo.

- 2 pessoas se sentaram ao meu lado para melhor falar ao telefone alto em uma língua estrangeira (#frustrada por além de ser perturbada, não conseguir entender a conversa!!!)

- E de quebra, ainda fui chamada para participar de um documentário para um canal da TV Angolana...


Impossível ter um pouco de paz em Paris! 
Quando eu conseguir concluir a minha leitura venho contar para vocês as minhas impressões!

12 comentários:

Marta FG disse...

Hahaha! Vc já me fez rir hoje (e tou super mega ranhosa por causa de uma gripe)...Bj

Jorge Fortunato disse...

Milena
Lendo seu post lembrei de uma situaçao que vivi em Paris em junho de 2005. Sábado de sol, parques e ejardins cheios. Comprei frutas, paes, queijos e fui fazer meu picinic no Parc Floral de Paris. Cheguei e encontrei o clima perfeito, estendi um tecido na grama, montei minha "mesa" e, claro, como um bom turista quis fotografar. Pedi, gentilmente, à uma moça que estava próximo. Ela simplesmente respondeu: estou de folga, nada de fotos hoje. Pano rápido.
Beijos

Eliana disse...

AHAHAHAHA Nossa, foi deste jeito hahaha e vc achou que ía ficar sossegadinha e nem ser notada hahaha Vai até estrelar em Angola! HAHAHAH

Bruxa do 203 disse...

Hahahahahahha Que povo mais chato! Parece Porto Alegre! Lembro de quando tentava estudar para concursos em mesas de shoppings ou nos parques, mas todo mundo atrapalhava e se metia.

Ana Maria Brogliato disse...

Hahahaha, pior é que se eu precisasse de informações turísticas, era bem capaz de perguntar para a pessoa mais próxima, estivesse ela lendo ou não...
Mas achei muito interessante essa sua experiência.
Se eu estivesse no seu lugar, só ficaria realmente perturbada com o pessoal falando ao telefone perto de mim. Com tanto espaço em volta, que fossem falar reservadamente para o outro lado, hehehe...
Beijos
www.viagensebeleza.com

Wilma Santos disse...

Verdade mesmo??? Muita gente sem noção por aí, nunca pensei serem tantas!! Quando estive em Paris, pensei mesmo que para viver deveria ser meio aflitivo pra mim, tal a quantidade de gente do mundo inteiro e carregando mala, a mim passa uma sensação estranha, é o mesmo que sinto em Ipanema no RJ, me parece uma festa permanente, bom pra passear.

Beth Blue disse...

Peraí, mas você estava sentada onde? Tem tantos lugares tranquilos em Paris, Jardin de Luxembourg, pra início de conversa,

Aqui em Amsterdam eu nunca tive este problema, e eu quase sempre saio sozinha durante a semana! É muito comum as pessoas irem sozinhas para um café e passarem horas lendo um livro! E acredite, essas pessoas não estão necessariamente esperando alguém pra puxar conversa (mas acho que você sabe disso).

Sandra disse...

Eu jamais interromperia alguém que está lendo um livro! Quanta gente sem noção, rs...
Mas pelo menos você foi convidada para participar de um doc! Você aceitou?, rs..

Ana disse...

Hahahahaha! Veja bem, a pessoa está lá parada, imóvel, olhando para um objeto... não dá a impressão de que está sem fazer nada? :P

Brincadeira... não tem coisa mais desagradável que ser interrompida numa boa leitura. Aqui em Curitiba, eu vez por outra pego um livro e vou ler ao ar livre, mas nunca aconteceu de me interromperem a leitura... vai ver, turista é mais sem noção... hahaha.

Mas que legal isso da tv angolana! É sobre o que o documentário?

Milena F. disse...

Marta, também não estava me sentindo muito legal, escrever me ajudou! Nada como rir de si mesma!

Jorge, eu teria ficado muito chateada se estivesse no seu lugar... Mas pensando pelo lado do morador, tem hora mesmo que a gente quer férias!

Eliana, nem sei se existe mesmo um lugar "público" em que a gente possa estar sossegada!

Bruxa, não tinha pensado nesse lado de POA, mas é verdade que sempre aparece um conhecido!

Ana Maria, eu peço informação sim, mas escolho a dedo a quem perguntar... Vai ver é por isso nunca levei "fora"!

Wilma, você tem razão nesse aspecto. Outro dia vi uma turista que intimou um rapaz para que ele carregasse a mala do filho (pequeno) dela. O rapaz ficou sem jeito e desceu a mala na escada do metrô. Bom, eu não pediria (cada um leva a mala que pode carregar), mas se quiserem me ajudar não vou recusar!

Beth, o primeiro lugar que tentoi foi justamente o jardin du luxembourg. Adoro! Realmente quando eu leio odeio que me interropam (até o marido leva um puxão de orelha se fizer), mas tem sempre alguém para puxar conversa do tipo "o que está lendo? Está gostando?" Mas nesse caso são geralmente quem tenta uma cantada furada dessas.

Sandra e Ana, fui pega desprevenida e aceitei... Era um documentário sobre música: eu tinha que escutar uma música no fone de ouvido e depois me fizeram algumas perguntas, tudo isso sendo filmada... Que vergonha, depois fui embora e nem perguntei se poderia e/ou como ao documentário :( Também não anotei o nome da música (angolana) que gostei muito.

Mi Silva disse...

Sempre leio o seu blog, mas nunca comento. Hoje ri muito com a falta de noção das pessoas.
Sempre tive vontade de fazer exatamente a mesma coisa, pegar um livro e sentar em um belo posto e ler, pensava que seria tranquilo, até porque eu não teria coragem de interromper uma pessoa que está lendo. Mas agora sei que nem todos pensam igual. rs

Parabéns pelo blog!
Michelle

Vânia Wolf disse...

Nossa Milena desculpe, mas olhando de fora, eu ri ^.^
Adorei essas estatísticas, mas principalmente vc ter mostrado o outro lado, tem muita gente (TURISTA) sem noção, daí a pessoa não dá ou se recusa a dar informações (por motivos óbvios) e o turista volta pro Brasil dizendo que francês é sem educação, já ouvi/li taaanto isso, como passei uma semana aí e sempre fui muito bem tratada, o que quer dizer que escolhi muito bem as pessoas pra pedir informações quando eram necessárias (além de pedir com muita educação também,claro!!) :)