sábado, 26 de maio de 2012

O segredo do Perfume

Durante toda a minha vida não fui muito de gostar de perfume. "Herdei" esse costume da minha mãe, que sempre preferiu um sabonete ou leite corporal perfumado a um perfume de fato. Mas para alguém que nunca se perfumava, até que evolui... Ossos do oficio!
Mas é verdade que no Brasil perfume de qualidade custa caro, e quando digo qualidade, falo dos perfumes franceses, considerados os melhores do mundo. E claro que a qualidade do perfume vai depender do "nez" (nariz) como é chamado em linguagem de perfumaria e que se refere ao profissional que cria a fórmula de um parfum.

Uma fórmula, ou receita de um parfum pode conter uma dezena de notas diferentes ou mesmo centenas, formando o que chamamos de pirâmide olfativa. Nessa pirâmide encontramos: 
- as notas de tête (topo, cabeça), geralmente notas bem leves efêmeras e voláteis, ou seja, que desaparecem rapidamente, como as notas de agrumes, por exemplo.
- as notas de coeur (coração do perfume), com as notas que vão predominar, composto pelos ingredientes-chave do perfume.
- notas de fond (fundo, base do perfume), geralmente notas amadeiradas e que ficam até horas e horas após a aplicação.

Um perfume é um produto delicado e deve ser mantido ao abrigo do sol e do calor, que transformam todos os elementos odorantes. 

Para testar, jamais sentir diretamente no frasco, o que nos dá uma idéia prematura do perfume que não é a sua verdadeira natureza. Além disso, ele não deve jamais ser sentido no seu estado concentrado (ou seja, direto no frasco, por exemplo), mas deve ser sentido no ar, em um tecido ou mesmo em um papel. Depois basta aguardar alguns segundos que o álcool evapore (sim, pois perfume de verdade sempre vai ter álcool, que é o que permite que as notas em seu estado concentrado sejam diluídas e ao mesmo tempo "fixa" o perfume, o que não seria o mesmo da água). Não adianta "frotar" a pele para "sentir melhor o perfume", como vejo centenas e centenas de pessoas fazerem, pois o perfume sendo delicado, as moléculas se quebram com esses movimentos e o cheiro/ resultado não é mais o mesmo!

Então temos uma primeira impressão do perfume. Mas apenas alguns minutos ou poucas horas após o seu  "corpo" vai ser revelado, quando as notas voláteis se evaporarem. Ou então horas depois (no final do dia, por exemplo), quando as notas leves desaparecem e deixam espaço as suas notas mais profundas.

Então, diz a regra que um perfume vive no tempo, que ele tem a sua juventude, sua maturidade e sua velhice, e que ele só pode ser considerado bom se ele sente bem nessas três idades.

Além disso, também vai depender da qualidade da matéria-prima, ou seja, as essências perfumadas que constituem o perfume, que podem ser naturais ou sintéticas. Notas naturais existem apenas umas 300 e sintéticas mais de 3 mil. Assim, os perfumes apenas com notas naturais são bem mais "básicos", enquanto que misturando as notas sintéticas o perfumista (nez) consegue criar algo bem mais sofisticado. Por exemplo, o "muguet", uma flor emblemática (uma florzinha branca que se presenteia no dia 1º de maio), até o momento é impossivel de "capturar" a sua nota natural. Da mesma forma, pelo menos na Europa, os ingredientes de origem animal são proibidos, então nenhum perfumista vai usar o ambre e musc naturais, que são proibidos já há uns bons anos. Mesmo grandes maisons do perfume como Guerlain e Chanel reconhecem que utilizam igualmente notas sintéticas por essa razão e também muitas vezes pela constância dos ingredientes (caso contrário cada lote de Chanel nº 5 seria diferente, só para ilustrar).
Mas é claro que existem sintéticos e sintéticos, pois as notas sintéticas de grandes perfumistas como os dois citados acima são de excelente qualidade e imitam perfeitamente a verdadeira, mas já existem outras marcas e perfumes de baixa qualidade cujas imitações sintéticas são muito artificiais!!!

E como eu disse acima, o que vai fixar o perfume é o álcool. O nível de concentração do perfume final, em si, depende se se trata de uma eau de parfum (pode chegar até 15%, o perfume vai durar mais), eau de toilette (na faixa dos 10-12%, o perfume se sente na tal zona de proximidade, quando as pessoas se aproximam). Depois existem os ainda mais leves como eau frâiche ou eau de cologne, ainda mais leves e a utilizar em abundância, sem medo. Mais do que esses 15% de concentração em perfume o mesmo vai se tornando mais enjoativo e fica impossível de sentir o que quer que seja! 

Além disso, muita gente pensa que o álcool do perfume vai manchar a pele, mas na verdade o que pode manchar são algumas moléculas de perfume, como alguns agrumes, que são fotosensíveis. Atualmente as grandes marcas isolam e retiram essa molécula. Mas não é aconselhado se perfumar diretamente na pele antes de uma exposição prolongada ao sol.

Outra particularidade: notas amadeiradas e orientais duram muito mais tempo do que notas efêmeras e frescas, como o limão, bergamota, etc, mesmo sendo naturais. 

Eu tive a oportunidade de sentir as verdadeiras essências concentradas e conservadas em minúsculos frascos (para se ter uma idéia é necessário 10 mil rosas colhidas à mão cedo pela manhã para uma grama de extrato de rosas!), e o cheiro é normalmente insuportável. Quando o diluimos com álcool e água reencontramos o cheio de todo um jardim de flores...

Quem se interessa um pouco mais pelo tema, recomendo o filme Le Parfum, Histoire d'un Meurtrier (Perfume: the Story of a Murderer), uma co-produção franco-alemã de 2006, que se passa em Paris e em Grasse (a cidade francesa do perfume por excelência) no século XVIII. Ela conta a história de um estranho personagem que nasceu com o dom de sentir e reconhecer todos os tipos de cheiros, mas ele mesmo não possuia nenhum tipo de cheiro. Convencido de que não possuir nenhum perfume era uma das razões da sua triste existência e de não ser amado, ele utiliza todas as suas faculdades para criar o perfume capaz de fazer com que todas as pessoas o idolatrem, a partir do perfume natural de jovens que ele sentia de longe. 

O filme foi baseado no livro do mesmo nome, do alemão Patrick Süskind (1985) que retrata o universo olfativo como nenhum outro!!! Comecei pelo livro e sentia os cheiros e a podridão que ele descreve, como se eu tivesse realmente ficado impregnada daquele cheiro! Eu que sempre fui uma pessoa muito sensível aos cheiros, quase que os vi materializados! 
Fiquei fascinada!
Assisti ao filme logo após. Apesar de ser uma adaptação e não 100% conforme o livro (como sempre, e nem seria possível), não deixou nada a desejar! Muito bem realizado, percebemos um ambiente sombrio como a época e de acordo com a história. Porém como o assassino é muito instrospectivo, para podermos realmente entrar no personagem foi necessario a utilização de uma fonte narrativa (eu que não gosto de filmes narrativos não cheguei a ficar incomodada) e pode chocar o publico em suas cenas de sujeira e podridão, sem contar uma cena mais ao fim que não é recomendada a menores.

E você gosta de se perfumar? Eh fiel a um ou costuma variar ?

14 comentários:

Camila Monteiro disse...

Menina que post perfeito!
Li em um fôlego só, adorei saber mais sobre o perfume! Obrigada!
Beijos!

Ahhh vc podia dar umas dicas de perfumes bons ne?! To procurando um que seja minha cara, mas tá dificil me habituar a um só, entende?!

Inaie disse...

menina, pra quem nao gosta de perfumes, ( ou nao gostava), voce deu uma aula e tanto.
Eu adoro perfume! A DORO...

Milena F. disse...

Camila, perfume é tão pessoal, depende de tantos fatores e do que a pessoa gosta... E existe uma infinidade que estou longe de conhecer todos!!! Eu adoro mudar, uso e acordo com o meu humor, e estatisticamente as mulheres adoram trocar de perfume e "colecionar", sõ poucas as que são "fiéis" (ao contrario dos homens!)

Mas os mais vendidos pelo mundo afora e que agrada um grupo muito grande de mulheres é o J'adore (Dior), Miss Dior, Parisienne (YSL), Idylle (Guerlain), Angel (Thierry Mugler), Flower by Kenzo, Nina (Nina Nicci)e Trésor (Lâncome). Outros classicos e sempre no topo dos mais vendidos são Eau de Rochas, Eau d'Issey e Shalimar (Guerlain), mas esses 3 eu acho que são mais para mulheres mais "maduras". Dificilmente uma jovem usa.
Eu gosto de perfumes de marcas menos vendidas mas mesmo assim otimos, pois me sinto mais "exclusiva". Por isso adoro os perfumes da L'Occitane e Annick Goutal!

Inaie, vivendo e aprendendo! Cai de para-quedas e tive que aprender na marra!!!

Enaldo disse...

Li a obra de Suskind em um dia e meio e até hoje me recordo das palavras iniciais: "De uma coisa se pode dizer da Paris do século XVIII: ela fedia".

Achei a transposição para o cinema impecável, dá até para "sentir" os aromas.

Você já leu "A pomba" também de Suskind? Grande obra sobre uma pessoa bitolada que passa a ter dúvidas "horríveis", tipo: "qual é o sentido da vida? eu sou feliz?

Oli disse...

Uauuu! Esse blog está até cheiroso! Parabéns pelo post.
Eu ganhei um selinho numa espécie de corrente das blogueiras aqui do Brasil e dediquei ao seu blog.
Venha me visitar e dar uma olhadinha!
http://oliceia.blogspot.com.br
Beijokas

Oli

Ma Petite Lima disse...

Mi!! Amei tudo! As dicas, os perfumes.. o filme!!!

Maravilha..
Bjuuu
Joanna

Allan Robert P. J. disse...

Acredito que o perfume deve ser descoberto. Ou seja, ser usado com muita parcimônia para que somente muito próximo possa ser sentido. Mas pelo jeito você até que aprendeu a gostar.
:)

Sandra disse...

Que post interessante!! Nossa, eu AMO perfumes!! Posso dizer que tenho uma memória olfativa muito forte. Reconheço lugares pelos cheiros e cheiros imediatamente me fazem recordar de tantas coisas...
Eu não sou fiel a um perfume, vou usando segundo o meu estado de espírito, mas gosto de deixar os mais "fortes e doces" para a noite. Nunca me esqueço que quando o perfume do Jean Paul Galtier, aquele que o frasco era um corpo de mulher, foi lançado no Brasil eu adorei a fragância e paguei caríssimo por ele. Hoje já não faço mais estas loucuras :-). Aqui perfumes bons não custam caros.

S. W disse...

Uma aula de perfumaria. Eu também não gosto muito de perfume, ou não me importo muito. Se ganho até uso, mas ir lá comprar um perfume, acho que fiz pouquissimas vezes na vida.

beijos

Jorge Fortunato disse...

Milena
Desde pequeno sempre gostei de perfumes e colônias. Criança eu usava a tradicional Colônia de Alfazema da Phebo. Lembro do aroma até hoje. Depois tive a minha fase Boticário - Com os Stylettos da vida. E em seguida Armani, Givenchy (Insensé - usei durante anos), passando por Jean Paul Gaultier (Male, Fleur du Male), Ted Lapidus, UltraViolet (Paco Rabanne) e atualmente Neo (Givenchy). E tudo com a discriçãod evida. Não gosto que o perfume chegue antes de mim. No meu prédio tem um cara que usa um perfume forte e em grande quantidade. Ele mora no 7º andar e eu no 4º, mas sinto o cheiro assim mesmo. E quando ele entra noe levador e passa pela portaria, 10 minutos depois ainda sentiremos o perfume. Um caos.

Gisley Scott disse...

Amei as suas explicações.Achei esse post bem rico! Eu variei desde o ano passado, a bola da vez agora é o Beautiful U da Esme Rene.

Bjs

Nira Lima disse...

Milena eu sou apaixonada por perfumes herdei do meu pai,e sou fiel ao meu perfume j'adore da Dior ja uso um bom tempo,é tao bom deixar um perfume que marca,ja tentei mudar,mas nao consigo.Voce trabalha com perfumes??

Wilma disse...

Hoje q vi seu comentário no m/blog!! agora não recebo aviso no email, acho q mudei alguma coisa.
Sempre amei perfumes e eles marcam fases de minha vida, a minha primeira grande paixão perfumista eu não esqueço, foi o Exploit da English Lavender, quero ainda encontrá-lo, nem que seja no Museu em NY!! e costumo ser fiel sim, por exemplo uso um do Issey Miyake há uns 12 anos, mas usei outros nesse período, mas nenhum desses mais cotados, gostei muito de um Lacrouix para inverno e agora na viagem trouxe o Valentina do Valentino, o vidro é lindo!! Acho que é tudo perfume de mulher madura, isso eu não sabia,rsrsrsrs

Milena F. disse...

Todo mundo por aqui "se perfumando!"

Enaldo, ainda não li outros livros do autor, valeu a dica!!!

Oli, obrigada pela visitinha!!!

Joanna, saudades, vc andava sumidinha!

Allan, aprendi a gostar, mas ainda esqueço de me perfumar! Outro dia estava no trabalho e testei um novo perfume que gostei muito, tive que ir ao banco e saí com uma sacola de papéis perfumados, foi muito desconfortável ficar ali trancada no banco com aquele perfume todo! Eu me sentia supermal e tinha a impressão que todo mundo olhava para mim!!!

Sandra, eu prefiro perfumes mais fortes e doces para a noite ou para o inverno! Na verdade sinto mais vontade de me perfumar no inverno mesmo! Eu nunca paguei caro por um perfume, nunca consegui, sempre achei "superfluo". Hj tem alguns que eu gostaria de ter, mas prometi a mim mesma que preciso terminar um frasco antes de comprar um novo!

S.W, por muito tempo eu só usava os perfumes que tinham me oferecido para o meu aniversário de 15 anos! Tudo O Boticário! Depois até comprei alguns em free shop (Uruguay ou Argentina), tudo mais baratinho!

Jorge, lembro bem na época do Styletto! Mas quase todos os meninos usavam o Quasar (e eu era apaixonada por um rapaz que usava Dimitri), ainda lembro até hj desses cheiros!

Gisley, esse ainda não senti, não sei se chega facilmente aqui na França...

Nira, tb adoro esse perfume! Não uso todos os dias, mas é um dos meus preferidos! Não trabalho diretamente com perfumes, mas para um grupo francês do setor de cosméticos que desenvolve o perfume como um dos eixos principais.

Wilma, o mais importante é vc estar contente com o seu perfume!!! Eu adoto uma eau de cologne Lavanda, mas nem sempre saio de casa com ela... Gosto de me perfumar quando chego em casa, respeirar bem as propriedades relaxantes e depois tomar um banho! Fico calminha, calminha... E a verdadeira eau de cologne, essa da cidade alemã, adoro usar quando estou meio para baixo, realmente levanta o meu astral, é mágico!