sexta-feira, 1 de abril de 2011

Casa nova, alegrias e tristezas

Hoje está fazendo um ano que estamos de casa nova e gostaria de compartilhar com vocês, pois a moradia para mim sempre foi algo muito importante, mas também é um problema em um grande centro urbano como Paris e sua região. Até comentei em outro tópico os preços absurdos do setor imobiliário.

Comenta-se que aqui na França os jovens casais decidem morar juntos muito rapidamente para economizar no aluguel, que eles se põe muito facilmente a questão "por que pagar 2 aluguéis se podemos pagar apenas 1?". Comigo e Sylvain não foi esse o motivo, mas confesso que nos ajudou muito a poder economizar esse fato de ter um só aluguel na época. Mas o problema é que o antigo apartamento era minúsculo... 30 m2, vocês conseguem imaginar? Para quem mora no Brasil acho que é difícil de pensar, mas nas grandes capitais pelo mundo inteiro parece que é normal... Mas eu vivia ali naquele "apertamento" todo e não estava feliz, sem poder receber os amigos e mesmo sem poder hospedar a minha família quando ela viesse nos visitar. Sylvain já tinha o projeto de comprar um imóvel, e então desde que a minha situação (emocional, principalmente) se estabilizou começamos a visitar possíveis apartamentos.
Acontece que mesmo tendo muita coisa disponível, era muito difícil encontrar algo do meu gosto. Tem muito imóvel em péssimo estado que nem uma reforma daria conta do recado. Visitamos um apartamento até espaçoso, bom preço... Mas quando a gente chega lá, a disposição das peças era como nos castelos, vocês entendem? Quero dizer, a gente vai entrando e uma peça dá na outra, não tem corredor para separar as peças da casa, e para ir à última peça é necessário passar por todas as outras... Daria para refazer tudo, imagino, mas aí as peças diminuiriam muito (eu medi). Em outro caso, as paredes eram tão mofadas, era tanta umidade, eu acho que é impossível vencer a umidade e desistimos. Em outro caso, o apartamento ótimo, mas o banheiro minúsculo, com um box de ducha (que uma pessoa gordinha nem conseguiria entrar!) e uma pia minúscula e acabava o banheiro.
Até que encontramos um apartamento que nos agradou!!! Sala espaçosa, grande cozinha, banheiro de tamanho razoável (aqui na maioria dos casos o banheiro para fazer as necessidades e o local para tomar banho são separados, o que sempre me causou muito estranhamento) e quartos de tamanho adequado. Isso para mim, claro, cujos conceitos de GRANDE e PEQUENO mudaram muito desde que morei no mini-apartamento. Além disso luminoso, com grandes janelas, e aquecimento coletivo pelo solo. Em países com inverno rigoroso temos que prestar atenção no tipo de aquecimento, pois é um grande custo no orçamento da família.
Então fizemos a nossa oferta, recebemos a resposta positiva 2 dias depois, 1 semana depois recebemos uma resposta positiva do banco e então aguardamos 3 meses para a assinatura dos papéis e o recebimento das chaves.

Mas uma questão que aparece a cada 3 meses nas publicações locais é "vale a pena comprar?" "Eh o bom momento para comprar?". Para nós sim, por diversas razões:

1. Segurança. Na França os aluguéis aumentam muito mais que os salários. Por exemplo, nos últimos 10 anos a média dos preços em Paris aumentaram mais de 100%, enquanto os salários, míseros 10. Isso faz com que as pessoas quando chegam à aposentadoria, precisam se mudar para lugares cada vez mais afastados, menores e bem mais baratos. E com a aposentadoria cada vez menor, imaginamos que fica difícil conciliar o pagamento de um aluguel caro com a míséria da aposentadoria.

2. Segurança 2. Eu que tenho um salário "normal", pensamos que se um dia Sylvain vir a faltar (pois é, sou meio realista, penso nessas coisas), como eu faria, mais tarde com filhos, para pagar um aluguel sozinha? Sei que existem muitas ajudas do governo, elas amenizam só que não acabam com as dificuldades.

3. Fizemos os cálculos bem direitinho e vimos que a prestação que pagaríamos pelo nosso apartamento ficaria em torno do mesmo preço de um aluguel de um domicílio menor, e que mesmo tendo essa despesa mensal por anos e anos, ainda assim poderíamos economizar e continuar com nossas atividades que amamos, como viajar, ir ao teatro, assistir espetáculos. E tudo isso por algo que um dia vai ser nosso e que dará seguraça aos nossos filhos. Decisão tomada.

Mas vivemos momentos de alegrias e tristezas aqui. Sabíamos que muitas reformas estavam por vir, e a maior delas era de todo o sistema elétrico, o que não é tarefa fácil e não é barato tambem. Além disso, como aqui tudo é muito caro, e principalmente a mão de obra, é muito comum que o casal construa a sua casa sozinho, com a suas próprias mãos, do início ao fim. As vezes com a ajuda da família e amigos, quando eles moram perto (o que não é o nosso caso!). Vejos os meus cunhados que construíram suas casas desde a primeira pedra até o último acabamento, com a ajuda das esposas! Fico impressionada! Eu não conseguia nem retirar um papel de parede!!!

Bem no meio da reforma da eletricidade, confesso que pensei em largar tudo e voltar para o Brasil. Só não fiz por impulso porque ao pesquisar as passagens para partir na mesma semana não encontrei nada por menos de 4 mil euros. Então me acalmei, pensei um pouco e vi que era uma loucura largar tudo no primeiro momento difícil.

Ainda hoje meu apartamento está longe de estar do jeito que queríamos, pois Sylvain trabalha o dia todo e avança um pouquinho à noite e finais de semana, mas viajamos muito aos finais de semana, então ele não avança tão rapidamente assim, e eu também trabalho bastante, chego tarde à noite (então não posso ajudá-lo quando ele chega), e além disso não sei fazer quase nada. Como a poeira e sujeira de reformas é corrente aqui em casa, minhas poltronas e cadeiras estão ainda embaladas com plásticos, assim como as cômodas do quarto (não quero sujar meus móveis novinhos!). Nos ármarios, grandes plásticos protegem as roupas também. Minha máquina NESPRESSO está desde janeiro guardada na embalagem, nunca tirei da sua caisinha. Por isso nenhum interesse em mostrar as fotos atuais. Mas Sylvain me prometeu que durante as suas férias de julho e agosto ele vai trabalhar para valer e que nossa casa será bem bonitinha, e então poderei receber meus amigos com muito carinho!!!

Enquanto isso, fiquem com as imagens dos piores momentos:




12 comentários:

Carla Soar disse...

Bárbaro!!! Parabéns!!! Vais ver q no futuro estes momentos vão te trazer um belo sorriso ao coração... Mas não te esqueças de fotografar tudo agora já pensando nos post futuros tipo Antes/Depois...

Alexandre Mauj Imamura (lostinjapan.tk) disse...

qdo eu morei em Tokyo meu apartamento era de 40m2, então eu te entendo rs. mas sei lá, eu me adaptei bem ao espaço pequeno. ainda mais pq aqui no japão ter uma empregada é algo muito caro (acho que ai tb né) então o ap. pequeno ajuda nessas horas, etc...

reformar não é fácil, mas vai ficar muito lindo esse ap.

ficou mto legal a foto do seu namorado rs.

bom dia!

Georgia disse...

Milena, todo o estresse será recompensado, pois nada como deixar tudo a nossa maneira. Qdo cheguei aqui na Alemanha moramos num apertadinho, rs 34 metros quadrados, depois nos mudamos para um de 45 metros qd e foi a festa. Hoje moramos numa casa de 3 anadares. Os aluguéis na Alemanha nao aumentam tanto qto ai na Franca, nossa! Existe lei para isso por aqui.

Bjao e bom fim de semana

Ana Paula Gervason disse...

Em uma viagem para Paris encontrei uma moça que me relatou a dificuldade de se morar bem em Paris...disse que morava em um apertamento rsrsrs e que pagava muito caro o aluguel...fiquei horrorizada! Pq aqui no Brasil é bem diferente...
Parabéns pela conquista! Fique tranquila que quando estiver pronto vai valer a pena essa loucura que é obra...


Bjsss e um ótimo final de semana...

http://toutlamour.blogspot.com

Fernanda disse...

Tenho certeza que todo esse trabalho vai valer a pena e vocês vão ser mto feliz nesse apto;
Bom domngo
Bjs

Anônimo disse...

Olá muito bem estruturado post , adorei mesmo muito, secalhar poderiamos tornar-nos blog palls :) lol!
Aparte de piadas sou o Paulo, e como tu escrevo blogues se bem que o tema principal do meu blog é bastante diferente deste....
Eu desenvolvo blogues de poker sobre dinheiro grátis para jogar poker sem arriscares o teu capital......
Adorei muito aquilo li aqui!

José Maria Lobato disse...

Oláááá!!! Fantástico, obras são mesmo assim, aquele stress de demolição e reconstrução, mas vai ver que no final valerá bem a pena e tenho a certeza que veremos fotos extraordinárias do vosso apartamento quando pronto!!! Força, vão em frente!!!
Abraço, Zé Maria

Mônica disse...

Oi Milena!
Vim aqui dizer que por fim voltei de viagem e estou aproveitando para dar um oizinho pra ti e agradecer os recadinhos lá na minha casa virtual!!!
mas pro falar em casa, nossa é muito legal ter a casa da gente né, acho que pelo que vc relatou deve ser uma barra mesmo viver em meio ao caos só de olhar as fotos entendi o teu desespero, mas tudop se acomoda, e tenho certeza q quando as reformas cabarem por completo vc dará muita risada de tudo o q vc passou!!!
Beijos e um ótimo início de semana pra ti viu!!!
Mônica

Milena Fischborn disse...

Queridos, muito obrigada pela força. Como eu disse, o mais difícil já passou, mas o desespero ainda bate de vez em quando!!!

Eh verdade, aqui não tenho faxineira não, tudo muito caro, e de vez em quando bate a saudade dos meus antigos 30m2!!! Isso no dia da faxina!!! hehehe Aprendi também que não preciso de 150m2 para ser feliz.

Luciene disse...

Tb qndo cheguei aki, morei num de 40m2... na verdade qndo eu ainda tava passando férias.
Agora melhorou no espaço, mas o apt é velho demais, e cheio de problemas q me quase me fizeram desepserar tb... nossa.

Agora ta mais calmo, e ja estamos vendo como comprar nossa casinha, mas comov c sabe, nada é facil pra nos dois rsrs... essa coisa de financiamento ta sinistro, mas estamos confiantes.
FOrça ai, nada melhor q ter nosso cantinho, mas nosso mesmo né? Depois q ficar prontinho e lindo, vc vai mostrar as fotos orgulhosa :)

Mas é impressionante como esse povo sabe mexer em obras sem nem fazer curso né? kkkkk eu fico boba.

Bjim

Taise Pottier disse...

Milena depois que estiver tudo pronto, com a cara de vcs, tenho certeza que esses momentos vão ser lembrados com muita alegria, afinal de contas é mais um sonho realizado!bjs

alba disse...

Milena, eu te entendo, também já morei em uma casa em reforma...e é mesmo desesperador chegar do trabalho, tudo empoeirado..enfim, eu passava pano em tudo, mesmo sabendo que seria só por poucas horas e que ficaria tudo empoeirado no dia seguinte. Mas todo esforço vale à pena, vcs estão investindo no futuro da família! Incrível mesmo como os franceses fazem as contruções e reformas das suas casas...aqui é bem mais comum pagar por todos os serviços.Só conheci um, o marido de uma ex aluna minha, que mora aqui na minha cidade, que construiu junto com o pai nos finais de semana e feriados um sobrado lindo. Com poucos recursos financeiros, só ele trabalhando, minha ex- aluna é surda e na época estava sem emprego, construiram o sobrado de esquina, utilizando uma parte doada do terreno da casa dos pais dele, depois regulamentaram a documentação, desmembrando o terreno. Fizeram a escolha de materias de acabamento não tão caros, mas de visual maravilhoso, um capricho! O único serviço especializado que pagaram foi o acabamento em gesso(sanca), com iluminação embutida. A casa é um orgulho pra eles e um sonho realizado! Beijooo!