quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Questão de pontos de vista

Hoje cheguei na academia e uma mulher estava comentando com outra que não foi malhar ontem pois seu filho, que mora na China, tinha chegado de viagem. Uma outra interrompe a conversa para perguntar onde ele morava. Em Shanghai. E ela diz:
- Meus filhos gêmeos foram visitar um amigo expatriado em Shanghai e odiaram a China! Os chineses são de uma vulgaridade!!!
- Sim, sim, são muito vulgares! Meus filhos são loiros de olhos claros e eram apontados nas ruas, todos queriam fotografá-los! Sem contar que os chineses cospem nas ruas!!!
- Mas é necessario conhecer a cultura e entender o contexto.
- Não me interesso por essa cultura e não quero colocar os meus pés lá!

Essa mulher que não amava a China (e que tem todo o direito!!!) continuou largando o seu veneno, enquanto a outra passou a ignorá-la completamente e continuou a conversa com a amiga do início. Ainda ouvi que seu filho vem à França 4 vezes por ano e a cada vez ele diz que não troca a China por nada, que adora o povo, que é acolhedor e sorridente. Ela esteve várias vezes na China ao longo desses ultimos anos e também comentou o quanto ela gosta de observar as pessoas dançando à noite nas praças ou praticando Qi Kong pela manhã.

Durante todo o tempo fiquei me coçando e quis entrar na conversa, mas fiquei só escutando. O objetivo não é falar da China, mas exemplificar o que para mim é muito importante: viajar exige uma grande abertura de espírito. Ainda mais se for para visitar locais com costumes e culturas tão diversificadas!!!

Por isso sempre aconselho uma boa preparação antes da viagem, através de leituras (livros, guias de turismo, blogs, etc) e conversas com pessoas que moram ou estiveram lá, para termos uma idéia de que terreno estaremos pisando. Evita muitos mal-entendidos!

Meu marido recebeu uma colega em formação, e quando ele disse que era casado com uma brasileira, ela disse que teve uma relação de 3 anos com um brasileiro, que esteve no Brasil e odiou as pessoas! Ele, muito surpreso, tentou descobrir a razão, já que a imagem que se tem é dos brasileiros como um povo muito agradável! Mas para ela, os brasileiros eram MUITO sorridentes, MUITO simpáticos e tentando agradar, que na cabeça dela era tudo falso!!! Ela achava que não era normal que brasileiros que ela via pela primeira vez já a abraçassem demoradamente, dissessem "você é linda", e "a casa é sua" (ela fala português)

E sobre os chineses, realmente viajei pensando que encontraria pessoas cuspindo para todos os lados, mas para a minha surpresa eram poucos que faziam isso, geralmente pessoas que víamos que não eram "da cidade", mas de origem camponesa. São hábitos que aos poucos vão se perdendo. E por falar nisso, aqui na França vejo muitos estrangeiros (não chineses) de origem mais humilde fazendo isso, sem contar que também vi esse mesmo comportamente em todas as cidades brasileiras que tive a oportunidade de visitar a trabalho, estudo ou lazer. Quem nunca viu e acha que é um comportamento exclusivo dos nossos amigos asiáticos, provavelmente nunca saiu da sua bolha!!!

#pronto#falei#

Mas como eu disse, são pontos de vistas diferentes. Uma mesma experiência pode ser vivida e sentida de formas diferentes para cada um dos envolvidos. Enquanto os tais dois loirinhos se sentiam muito mal com os olhares e holofotes sobre eles, nós levamos tudo numa boa e jogamos o jogo, sorrindo, fotografando, trocando palavras ou gestos. 


E posso dizer que aprendi muito com essa experiência, que foi uma das mais enriquecedoras da minha vida.

11 comentários:

KINHA disse...

Olá Milena

Vc tem toda a razão, cada povo com sua cultura. Nestes meses que estive nos estados unidos, vivi num condomínio, onde a grande maioria da população era de idosos super ativos. No início não fui bem aceita, motivos: apesar da idade(58) me visto com roupas jovens, uso biquini(tenho um corpo que me permite), estava com cabelos longos e uso maquiage. Soube mais tarde que achavam que eu era "namorada" do Kinho(marido). Somente quando mostramos as fotos de nossos filhos é que eles nos contaram as sua desconfianças. Aprendi muito com eles e sobre eles. Hoje sei que não são frios e calculistas como as pessoas pensam que são. Descobri a outra face da moeda

AMIGA DA MODA by Kinha

Luana disse...

Ai... sera que eu fui chata assim quando falei da minha viagem pra China? Eu adorei ter ido pra la, ter conhecido um pais novo e uma nova cultura, mas como eu gosto de reclamar eu sei que escrevi algo sobre eles cuspirem no chao - e na semana que fiquei la eu vi muitas, mas muitas pessoas fazendo isso.

Mas eu concordo com voce... cada pais com sua cultura e nada masi justo do que a gente respeitar... E entender! =)

Camila Navarro disse...

Dizer que odeia qualquer lugar já é um exagero, né? Será que é mesmo possível odiar um lugar com base em uma impressão passageira, que pode depender do seu humor naqueles dias e de mais uma série de fatores? Mas é como você disse mesmo, tem que haver uma abertura, uma disposição a conhecer o novo e o diferente. Quem viaja querendo encontrar o que tem em casa acaba se decepcionando...

Elvira disse...

Oi Milena.
Acho que nunca comentei aqui.

Minha irmã costuma viajar muito e sempre leva meu sobrinho. Ele é loiro de olhos claros e quando eles foram para a Tailândia foi assim também: todos queriam abraçá-lo e tirar fotos com ele. Eles levaram tudo numa boa e se divertiram muito com isso.

Também tenho pavor de quem cospe no chão. Me dá até arrepio. Infelizmente isso também acontece nas cidades brasileiras.

Acho que viajar é se abrir para novos horizontes. Se não for assim então não se aproveita nada.

Abs.
Elvira

Helen disse...

Cada um tem o direito da sua opinião, mas acho que vale lembrar que deveríamos evitar julgar uma cultura, sem termos o contexto todo, e é justamente isso que adorei no seu post! Como você disse, "viajar exige uma grande abertura de espírito" (e eu ainda adicionaria "da mente tb")
Me lembro que quando fui ao México, viajei com uma amiga chinesa que estudava comigo nos EUA. Nas áreas mais rurais do México, o que tinha de mexicano pedindo para tirar foto com minha amiga não estava no gibi! Teve um casal até que pediu para que ela segurasse o bebê deles para tirar a foto! (concluimos que asiático "de olhinho puxado" deve ser raridade no México...)
Confesso que achei a situação bem esquisita e inusitada, mas nos divertimos com aquilo, rindo aos montes e brincando se ela viraria celebridade local. Poderíamos ter achado falta de educação, intrusivo, e até agressivo (as vezes eles apontavam MESMO e ficavam seguindo a gente) Porém, preferimos "voir la vie en rose" e achar graça daquela situação "curiosa." Acho que viajar tem esse efeito...novas experiências e novos contextos nos dão a oportunidade de expandir nossa mente, nos tornando seres mais tolerantes :)
Beijinhos e uma boa semana!

Jorge Fortunato disse...

Confesso que não morro de paixão pelos orientais. Talvez, por isso, n unca tenha pensado em ir ao Japão ou China. Não consigo me ver nesses países.

Karla Gê disse...

Concordo que só deve viajar quem está disposto a sair da sua zona de conforto e isso exige certa disposição e uma parcela de coragem. Conheço muita gente que quer viajar mas só vai a balada com música brasileira, compra em loja que os atendentes são brasileiros e come em restaurante brasileiro. Nada contra fazer isso uma vez ou outra, mas viajar e querer ficar só no pedaço brasileiro que o país tem é um desperdício de tempo e de dinheiro. Ainda bem que existe muita gente disposta a arriscar o novo e se abrir para novas experiências!
beijos!

Máa disse...

Oi Milena, que delícia de post.
Adorei os seus pensamentos e concordo plenamente. Quando se deseja conhecer outros lugares, pessoas e costumes é preciso estar aberto para vivenciar as diferenças que eles oferecem.. esse é o grande barato né?!
Adorei o blog tb, parabéns.

Te espero para conhecer o meu.

bjs Má
www.2betrend.com.br

KINHA disse...

Olá Milena

Um ótimo ficar de semana para vc...

AMIGA DA MODA by Kinha

Iamara disse...

Concordo com você plenamente é preciso abrir-se ao novo uma pena que muitos não pensem assim. Na minha modesta opinião vive melhor quem procura compreender o que é diferente e sobretudo respeitar. Adoro os posts. Beijocas ;-)

Luciene disse...

Adorei o poste. Tenho nem oq dizer. Concordo com tudo oq vc falou. COmparaçoes sao inevitaveis, muitas vezes, mas temos q ter o espirito aberto mesmo. VIvendo e aprendendo.

Bjinhos