quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Impressionismo e a Moda*

(*do francês "L'impressionnisme et la Mode")

A semana que passou foi bem corrida e aproveitamos para fazer uma maratona de exposições que estavam na nossa lista e que terminam em janeiro. Como dezembro é um mês muito corrido para mim (e imagino que para todo mundo), resolvi não deixar para a última hora...

Uma delas foi sobre o Impressionismo e a Moda, no Museu d'Orsay, em Paris.

Pode parecer um assunto de mulher, mas não é. Ou é, mas muitos homens se interessaram pela assunto. Os artistas impressionistas muito retrataram a moda de seu tempo, um legado inestimável sobre os usos e costumes da época. Vale lembrar que o início do movimento impressionista concidiu com toda uma torbulência em Paris, já que a cidade estava sendo completamente remodelada em uma Paris "moderna", imaginada por Napoleão III e o prefeito Haussman. Nesse tipo de pintura, além das paisagens, muito se pintou personagens (principalmente mulheres), na cidade ou no campo, na sua vida quotidiana ou em festas. Fica fácil entender porque as parisienses são sinônimo de elegância e moda pelo mundo afora!!!

A coleção apresentada conta com obras de Monet, Manet, Renoir, Cézanne, Corot, Berthe Morisot (sim, uma mulher!), dentre outros. 

A gente acha que é difícil andar na moda hoje em dia, mas basta entender um pouquinho os costumes da época para percebermos o quanto era difícil ser mulher e de boa sociedade naquela época, pois era necessário mudar de roupa várias vezes por dia, começando por um peignoir pela manhã, passando logo após a um vestido de manhã. O vestido da tarde tinha que ser mais elegante, mas menos que o vestido de noite, cuja elegância e modelos variavam de acordo com a ocasião (jantar, baile, opéra, etc). Braços nus e decotes só eram possíveis em ocasiões de gala, e sair de casa sem chapéu, luvas e sombinha, nem pensar!!! Ah, e para as escapadas em meio à na natureza, o vestido tinha que ser específico para a ocasião!

  Manet à esquerda com a sua Femme au Perroquet (1866) e à esquerda Prospérie (Perie), pintada por seu marido Albert Bartholomé (quase desconhecido como pintor). 

Gostei muito das pinturas de James Tissot, esse francês que viveu metade de sua vida na Inglaterra, e suas pinturas são bem diferentes das que eram feitas na França na mesma época, com um toque bem inglês!!!


James Tissot gostava tanto desse vestido branco (que fazia parte da sua coleção) que pintou diversas modelos com o mesmo!!!

Outra particularidade da exposição são os vestidos e demais objetos de moda que são expostos para ilustrar a moda que foi retratada pelos impressionistas. Inclusive o vestido com o qual posou Prospérie para a tela mais acima está presente! Esse lado bem colorido e lúdico agradou algumas amigas que geralmente não gostam muito de museus pois acham chatos.

Sem contar a importância dos catálogos de moda que eram enviados aos milhares para as casas das possíveis clientes, na França ou no exterior. Um grande evento ocorreu em 1884 com a abertura das lojas Printemps. Muito mais fácil acompanhar as tendências!



Informações Práticas:

L'impressionnisme et la Mode
no Musée d'Orsay, até o dia 20 de janeiro de 2013.
Ingressos: 12€ (9,50e a tarifa reduzida). Gratuito para os menores de 18 anos e para todos no primeiro domingo do mês (no caso, 6 de janeiro).

5 comentários:

KINHA disse...

Olá Milela

Quando assunto é impressionismo presto muita atenção, pois adoro. Este próximo ano não irei a Paris, ao menos não temos planos. O museu da moda já está aberto a visitação? Queria muito ver.

AMIGA DA MODA by Kinha

Renata disse...

Milena que coincidencia pois meses atrás eu estive em uma exposição sobre a história da moda e lá eles exibiam um vídeo mostrando qto tempo levava pra uma mulher se vestir com aquelas roupas de época, isso levou quase uma hora!Fora que eram 5 dias sem tomar banho e sem desodorante.
Só que eu não sabia que elas tinham que se trocar várias vezes ao dia:(
A verdade é que eu sou mto feliz por ser mulher nos dias de hoje, mto legal o post.
Bjoss

Mulher de Fases disse...

Vale ressaltar que nessa época as mulheres viviam pra isso, né? Pelo menos as ricas.
Não tinham afazeres domesticos, nem escolares, não trabalhavam e nem cuidavam dos propios filhos. Tudo a mercer das criadas para elas se embelezarem e fofocarem!
Oh céus! Obrigada pq os tempos são outros!

Bruxa do 203 disse...

Que imagens lindas! Eu sempre relacionava moda ao "que está se usando", mas com o tempo e com amigos da área, entendi que moda é história, cultura e nos ajuda a entender e conhecer povos e épocas.

Jorge Fortunato disse...

Milena
Muito interessante essa exposiçao. É bom poder ver esse registro. Aqui no Rio está em cartaz uma exposiçãocom quadros do Museu D'orsay, cujo tema é Impressionismo: Paris e a modernidade.
Um abraço