sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

(in)Justiças Sociais

O assunto que tem rolado em todos os meios de comunicações franceses é a partida do ator francês Gérard Depardieu para a Bélgica, uma atitude devido à elevada carga tributária na França.

Algo que me chateia na sociedade francesa é o quanto ser rico, talentoso, ter "vencido na vida" é considerado negativo. Ainda mais com o governo atual.

O ator sempre pagou impostos (na França) durante os seus 45 anos de carreira. Foram 145 milhões de euros, de acordo com o que ele divulgou. Sem contar as obras caritativas, doações. Uma parte da população e o governo vê a decisão dele como mesquinha, como se ele se recusasse a pagar impostos e ajudar o seu país. Mas eu faço parte do outro grupo que acredita que temos que pagar impostos SIM, mas não 75% do salário em impostos, como prevê a nova medida que foi colocada em prática pelo novo governo socialista.

Aqui na França se paga já muito imposto! Mas a maioria dos franceses nunca se queixam de pagar, pois se sentem "devedores ". Cada cheque ao fisco é visto como um reconhecimento à pátria-mãe. Pode ser que alguns não "gostem" de pagar, mas disso eles nunca falam, é tabu, é "feio". Bom cidadão paga direirinho sem nunca se revoltar.

Mas com 2 mil euros por mês somos vistos pelo partido socialista como "ricos" (o presidente mesmo falou isso durante a sua campanha, quando perguntaram quem seria rico para ele), quando com esse salário fica até difícil pagar um aluguel em Paris.

Mas para quem faz parte dos ricos de verdade, o imposto de renda sobre a 75%!!! Vocês acham mesmo justo trabalhar e ver no final do mês (ou do ano) "apenas" 25% da cor do dinheiro?

Sem contar que não é apenas imposto de renda que se paga:

- Quem mora de aluguel ou é proprietário tem que pagar a taxa de habitação (taxe d'habitation), que no meu caso esse ano foi de mais ou menos 1200€. Quanto mais caro o valor do imóvel e a renda, mais caro esse imposto. E com esse imposto vem uma taxa pelo uso da televisão (contribution à l'audiovisuel public), que esse ano foi de 125€. Mas me expliquem, se as emissoras de TV já ganham fortumas com as publicidades, ainda precisam tirar dinheiro do telespectador?

- Quem é proprietário, além dessa taxa acima, deve pagar uma segunda, a taxe foncière, que no meu caso também foi de cerca de 1300€ esse ano, mas que aumenta progressivamente de acordo com o valor do ou dos imóveis.

- E quem é rico, como Gérard Depardieu, além de pagar 75% de imposto de renda, uma fortuna de taxe d'habitation, de taxe foncière, também tem que pagar o ISF, que é o imposto sobre a fortuna! Esse imposto é calculado sobre o patrimônio e começa a partir de um patrimônio de 1,3 milhões de euros (o que diga-se de passagem mal dá para comprar um apartamento de 3 quartos em um bairro "correto" de Paris!!!)

Quem acha que sempre exagero, aqui vai um anúncio de um apartamento de 1 quarto... Você não leu mal, o preço para a compra é de 1 milhão e 180 mil euros. Sem contar que além desse valor, 7,50% devem ser pagos ao notário no momento da entrega da escritura!!!

E o assunto é controverso. Mas eu particularmente acho que se um estrangeiro tem o direito de chegar aqui em busca de condições melhores de vida, esse cidadão tem o direito igualmente de fixar residência em um outro país que oferece melhores condições. Ainda mais no caso da Europa, que abriu as suas fronteiras há anos e que qualquer europeu pode atravessá-la para comprar cigarro, combustível ou fazer compras no país vizinho que é mais barato, e pode mesmo circular e morar em qualquer país de faz parte da União Européia.

Todos os dias empresas francesas estão fechando suas fábricas na França para abrir em países como  Filipinas, Indonésia, China, Brasil (hello!), dentre outras localidades onde obterão maior lucro e nem por isso o governo ou a população as critica assim abertamente!

Na minha opinião o excesso de impostos desencoraja a trabalhar, economizar e investir. Para que trabalhar para ganhar mais se sem trabalhar o Estado oferece gratuitamente (ou quase) tudo o que a gente teria que financiar pelo nosso trabalho? Para que sair de casa cedo para trabalhar para ganhar mil euros por mês (salário mínimo francês líquido para 35h trabalhadas), se ficando em casa a pessoa tem um "salário" garantido todos os meses (RSA), ajudas com aluguel e tudo que você possa imaginar como ajudas financeiras, até mesmo férias financiadas pelo governo. Enquanto um mortal normal que trabalha, as vezes precisa abrir mão de férias, quem não trabalha tem férias financiadas pelo sistema... Aqui na França também não existe 13º salário previsto em lei (algumas empresas oferecem como benefício, mas restam raras), mas pessoas consideradas pobres recebem um bônus no Natal...

Na minha cidade, até Champagne oferecem às pessoas de baixa renda no final de ano... Tudo isso com o dinheiro do contribuinte... Eu preferiria que o dinheiro dos meus impostos fossem aplicados no que é de fato necessário... esse ano nem Champagne vou comprar, vou ficar no espumante mesmo (mais barato), mas o dinheiro dos meus impostos vai servir para pagar o Champagne dos outros...

16 comentários:

KINHA disse...

Bom dia Milena

Prometo voltar mais tarde para ler este e o post anterior. Com presa.
Uma ótima sexta-feira para vc...

AMIGA DA MODA by Kinha

Josy disse...

75 % ???? Que horror, até eu iria para outro país caso morasse aí. Como você disse seria melhor ficar em casa.

Sandra disse...

Vendo por este lado, concordo com você Milena. Não que os mais necessitados não precisem de ajuda, mas ser "pobre" aqui na Europa com todas essas ajudas é bem mais fácil né.
Eu vi na TV sobre o Depardieu, e particularmente, se eu estivesse no lugar dele (quem me dera!rs..), não sei se não faria o mesmo! Há muitos milionários estrangeiros vivendo aqui na Suíça tb por conta de algumas regalias que eles tem no pagamento de impostos, mas diferente da França, os suíços não enxergam os ricos, ou os que venceram na vida de forma negativa - haja vista a fama de banco e cofre do mundo (que aos poucos está mudando), que o país possui. Aqui, não importa muito de onde vem o seu dinheiro, desde que você pague em dia as suas contas, tá tudo certo :-).

Anônimo disse...

Oi Milena!!!

Este post traduz exatamente o que eu sempre pensei!!!

Também me irrita esse lado negativo que os franceses atribuem a quem tem dinheiro e riqueza. Esquecem que vencer na vida é fruto de muito esforço e trabalho.

A França tem muito a perder com essa mentalidade, pois vai afastar cada vez mais os investimentos e as pessoas que contribuem com impostos... Uma pena..!

Amei seu post!!! Poucos tem a coragem de dizer o que pensam sobre esse assunto!!

Bjs!
Vivian (São José dos Campos -SP)

Rebeca Brown disse...

AFFF!! Nao supporto esse novo presidente Frances!!

Essa historia de socialismo me deixa fora do serio!! Nao supporto gente que romantisma ser pobre. Como se ser pobre fosse uma coisa boa, pra se protejer, etc.

Entendo que tem gente que, realmente, precisa da ajuda do governo, mas eu prefiro muito mais morar num país onde o governo te incentiva a ficar rico, do que um país que te incentiva a permanecer pobre.

Por isso que amo o país onde moro (EUA). Nao gosto nem um pouco do Obama por isso mesmo - ele é bem socialista e nao concordo com isso!

Juliana Beaup disse...

Milena, so algumas consideraçoes......esse plafond milionario de 75% nao toca nem 1 por cento da sociedade francesa. Essa galera nao precisa de defesa nao.....o que eles pagam, nao mexe mais no modo de vida. Concordo que é muito, mas se voce olhar bem proporcionalmente, voce esta dando direito ao milionario de cumular, enquanto voce, classe media, sua pra pagar o seu imposto mudando sim a sua maneira de consumir, abaixando seu poder de compra.
Tem uma tranche de ricos, que nao sao milionarios, mas vivem bem, que tambem nao pagam fortunas, ou melhor, nao pagavam.
Entao é justo cobrarmos mais, pq é isso que vai acontecer, da classe média pra classe milionaria nao mudar de paìs? Por que defender um direito que salvo um milagre, nunca sera o nosso?
Quanto ao champagne pra pobres, nao sei se é em todo lugar nao, aqui na minha cidade nao tem....so que eu acho fantastico a dignidade de algumas açoes caritativas por aqui, como o lance das ferias pra galera de baixa renda e varias outras medidas que diminuem o abismo social.
Quanto a questao das empresas, ao menos as de pequeno e medio porte acho que tem que ser revisto mesmo, mas pra grandes empresas, absurdo abaixar.
Se nao tivermos todas essas açoes sociais que fazem o paìs rodar, vamos virar Brasil dois, onde todo mundo paga em dobro, mas por motivo distinto, la pela robalheira, e aqui porque o estado nao tera mais como bancar, em vista dos ricos nao quererem mais dividir o quinhao.
Eu achei a atitute do Depardieu totalmente mesquinha, ele ganhou notoriedade internacional sim, mas o publico que bancou boa parte da carreira dele ainda é frances, ainda é classe popular, e ele tambem contou com financiamento o Governo, como qualquer obra de cinema. Ele nao ficaria pobre se continuasse a pagar, so nao acumularia mais......mas os milhoes que ele diz pagar, farao falta com certeza aos cofres publicos.

Enaldo Soares disse...

Eu acho que no final das contas os impostos são bem empregados nos países socialmente mais justos, como os do norte da Europa.

Triste é pagar impostos para os mensaleiros, eles serem denunciados, julgados e condenados e saírem por aí fazendo campanhas de rua com verba pública para convencer a sociedade de que não são ladrões, mas heróis da pátria.

Jorge Fortunato disse...

Milena
É isso mesmo que eu li? 75% do salário vai em impostos? Absurdo total. Melhor ser fiscal do Rio Sena e das Pontes de Paris e ainda garantir a champanhota de final de ano.
Bon Noël et courage!

Milena F. disse...

Acho que no texto deixei claro que acredito que é importante sim ajudar os mais necessitados, mas eu sou da opinião que a ajuda deve ser de "emergência" quando necessária e depois uma ajuda para que a pessoa encontre um rumo na vida (emprego, moradia, formação, etc). Mas existem gerações aqui que nunca trabalharam... De vez em quando ouço nas ruas (metrô, etc) pessoas que dizem que desistiram de trabalhar se podem ganhar essa renda básica, e aí fazem alguma coisa por fora sem pagar imposto...
Sim, Juliana, é uma minoria que é rico assim, nessa casa dos 75%, mas justamente pq não existe incentivo nenhum para que o francês "enriqueça", quem consegue acaba indo pagar seus impostos foras, os exemplos não são poucos (Johnny Halliday, Florent Pagny, Yannick Noah...) Eu acredito em um fisco menos limitativo, assim a França consegue atrair as fortunas e se manter rica, pois se ficar só pobre aqui, não sei como ela vai se manter rica...

Bruxa do 203 disse...

Que horror!! Com tudo isso de impostos, ele faz bem em se mandar!! Mas tomara que não pare de fazer filmes.

Karla Gê disse...

Fiquei pasma com seu post! Eu sabia que os franceses pagavam muitos impostos, mas sempre achei que isso revertesse em benefícios para os próprios pagadores! É engraçado como a gente que mora no Brasil tem outra ideia da França...é bom ler blogs como o seu para a gente ver que assim como no Brasil, aí o imposto também serve para financiar os programas sociais que beneficiam as pessoas que não trabalham. Eu concordo com a mudança de Depardieu e acho mesmo que pagar 75% é mais um absurdo, é uma afronta! Parece até que ser bem sucedido é crime!
Adorei o post! Foi esclarecedor!
beijos

Elvira disse...

Oi Milena.

Pagar 75% realmente é muito dinheiro mas acho que os mais ricos tem que pagar mais mesmo.
Pior é aqui no Brasil. Pagamos montanhas de imposto que muitas vezes são desviados e a população é sempre a maior prejudicada. Nada funciona, temos hospitais péssimos, etc. Mas o pior de tudo é ver que a roubalheira aumente cada dia mais.
Quem dera que um dia, aqui no Brasil, tivéssemos pelo menos metade desses benefícios que você descreveu.

Bjs.
Elvira

Juliana Beaup disse...

Milena, mas porque querer enriquecer? Sendo bem sincera, nao desejo uma ambiçao que considero fora do normal pros meus filhos nao, nao curto nem pra mim. Acho que ser feliz na vida profissional, realizar sonhos, nem sempre tem a ver com ser rico ou milionario.

Concordo contigo no problema de generaçoes que vivem de ajuda, mas voce sabe bem que a raiz desse problema é outro bem diferente, e que se ainda nao fosse essa ajuda, teriamos um reflexo bem desagradavel na sociedade.
Acho que falta insentivo no meio jovem, algo mais dinamico....mas o que eu curto aqui é justamente a simplicidade da maioria, tenho horror à mentalidade liberalista, de acumular.
Eu gostaria sim de ganhar mais e dar alguns privilegios ao trio que so o dinheiro traz, mas isso esta longe de ser o essencial aqui em casa.
Eu nao sou feliz tendo, num meio de pessoas que nao tem.....e nao seria NUNCA, entao prefiro diminuir minhas possibilidades se isso aumenta o do meu colega, que por uma razao nao teve como chegar ao meu patamar, ainda que seja por questao de "merecimento", que ainda assim, acho bem questionavel.

Juliana Beaup disse...

Karla, mas reverte.......eu sempre falo pra Milena que se um dia ela tiver um filho aqui, ela vai ver pra onde realmente vai grande parte dos impostos, ela ja deve conhecer alguma coisa pelo job do marido dela e ate por relatos, mas viver isso é bom demais!

Eu tenho uma equipe de dois psicologos, uma médica escolar fora outros profissionais cuidando do meu ultimo filho.....o que ele tem? Praticamente nada, é uma prevençao ja que ele é "atrasado" pras normas atuais.....nao tirei UM euro do bolso, so com o psicologo, ja foram 5 consultas, esse é so um pequeno exemplo!

Quando o seu vizinho nao esta na precariedade, na verdade voce esta sendo beneficiado tambem, ja que qualquer estatistica primaria mostra que criminalidade e violencia aumenta horrores quando rola precariedade e miséria.

Allan Robert P. J. disse...

TEnho a impressão de que a obtusidade do primeiro ministro italiano Mario Monti está virando epidemia.

Apesar de tudo,

Feliz Natal!

:)

Milena F. disse...

Bruxa, só esse final de ano ele saiu em 3 filmes, então acho que não vai parar de atuar!

Karla, existem benefícios sim, mas para quem tem muito pouco, quase nada ou nada... E o que a gente paga tb é investido em muita coisa errada, como excessos feitos pelas prefeituras e outros setores públicos, diárias exorbitantes e viagens de políticos... Aqui a "corrupçãoé é mais sutil do que no Brasil, mas desvio ou mau uso do dinheiro público tb existe! Chirac foi mesmo julgado culpado (15 anos após os fatos, quando perdeu a imunidade política) por desvio de fundos públicos e criação de empregos fictícios quando era prefeito de Paris... Mas não cumpriu pena por estar velho e meio senil, ou seja, na teoria foi acusado mas na prática não teve nenhum prejuízo!

Juliana, reverte sim, mas para quem tem muito pouco ou quase nada... Quando a gente tem um pouquinho, já não reverte nada... As escolas de Paris em zona de educação prioritária recebem 7 vezes mais verba por aluno do que uma escola a 100 metros que não é considerada "zep", mas nessa escola tb tem muita criança em dificuldade ou a classe média empobrecida que não tem muitas condições, mas não recebem nada em troca...
Mesmo nas cantinas de Paris, quem está na útima faixa paga 5.1e por refeição de CADA filho, enquanto que os mais pobres pagam 0,13€. Para mim a diferença é enorme! Sem contar que para servirem um steak haché com ervilhas em conserva, acho 5€ muito caro!!!
Milionária provavelmente nunca serei, mas eu adoraria ter muito mais dinheiro na minha conta para poder fazer algumas coisas que atualmente não posso.