domingo, 7 de outubro de 2012

A cidade antiga de PingYao



Em ordem cronológica, a nossa viagem à China teve uma parada na cidade antiga de Pingyao. Fomos mais uma vez de trem, mais de 7 horas de Datong, mais uma vez "sentados", todos os vagões leitos já estavam completos. Não seria isso que iria nos desanimar, principalmente tão motivados que estávamos com as visitas que tínhamo feito das Grutas de Yungang e do Monastério Suspenso de Xuankong.

Pingyao fica bem no meio de uma região ainda bem tradicional e rural, mas os visitantes ali chegam em busca de 6 séculos de história e tradição chinesas. Se no centro e duas ruas mais turísticas as casas em estilo tradicional (siheyuan) abrigam lojas e pensões, basta se afastar um pouco para encontrar cantos bem autênticos, com seus artesões e vendedores ambulantes e partidas de mah jong.

Apesar de muito turística, o que mais sentimos em Pingyao foi tranquilidade e simplicidade, como se tivessemos voltado no tempo...





Foi no século XVI que o imperador Ming deu a cidade a sua aparência atual. De 1824 até o início do século XX ela foi capital financeira do país. Porém a pobreza e a decadência chegou um pouco mais tarde, e foi o que a protegeu das destruições em massa dos anos 60. Hoje ela é classificada como patrimônio histórico da humanidade.


Mas o que fazer nessa cidade tão pequena?


Um ingresso único de 150 yuans, válido por 3 dias, permite visitar todos os lugares turísticos pagos (são 19), mas não é obrigatório, pois o melhor é "se perder" pela cidade caminhando pelas suas ruazinhas calmas (apesar dos turistas) e cheias de charme. Outros templos, museus e monumentos são gratuitos ou de preço irrisório.



Porém o ingresso permite subir nos famosos muros da cidade e ter uma vista privilegiada. Em seus 6 km de comprimento, 10 metros de altura, são 72 torres de guarda e 3 mil "dentes" representam os 72 sábios e 3 mil discípulos de Confúcio.


Impossível não se admirar com as casas. São 3800 recenseadas, sendo que mais de 400 estão em seu estado original. Todos os hotéis ou pensões ocupam esses tipos de casas, com um comércio como restaurante ou casa de chá com vista e entrada pela rua, e um pátio interno, onde se localizam os quartos.

Esse foi o hotel que escolhemos, um dos primeiros que vimos, agradável, preço bom, e o jovem filho do proprietário muito querido!

Sem esquecer, é claro, os templos. Não visitamos todos, e para os meus olhos inexperientes no final eles começavam todos a se parecer uns com os outros! Visitamos uns 6 ou 7 mais importantes ou simplesmente porque passamos na frente, não lembro do nome de todos.
O que mais gostei foi o Templo de Confúcio (fotos abaixo). São várias construções e algunas datam da dinastia Song (960-1279). São os únicos da cidade que pertencem a essa época.

Podemos subir a uma das torres e observar a cidade:

Posso dizer que vivi momentos maravilhos em Pingyao, e a viagem não estava ainda nem na metade!!!

8 comentários:

Agamenon Plait disse...

Milena,
Morro de inveja de quem viaja o mundo assim.
Conheço um pouco dele mas me falta ainda conhecer um tantão.
Seu blog é espetacular. Esclarecedor, informativo e muito dinâmico. Belas fotos e muito bom gosto. Levo daqui experiências e conceitos para o meu que é o de um iniciante.
Muito obrigado.
Forte abraço.
agamenonplait.blogspot.com

Enaldo Soares disse...

Nunca tinha ouvido falar desta cidade. Maravilhosa. É uma viagem e tanta esta que vocês fizeram.

Bruxa do 203 disse...

Parabéns pelo blog! Excelente! Já li quase todos os posts sobre a China, França, Suíça e vou ler muito mais. Adorei a tua maneira de contar sobre os lugares.

Milena F. disse...

Agamenon, ainda não viajei tanto assim, mas adoro e acredito que aprendemos e vivemos experiências incríveis! Vou visitar o seu blog!

Enaldo, foram momentos inesquecíveis, e revivo cada momento revedo as fotos e anotações! Quero voltar!

"Bruxa", seja sempre bem-vinda!!!

Mulher de Fases disse...

Gosteei bastante da cidade, tanta história. Aliás, a China é mesmo um país chei de surpresas. Vcs tiveram sorte com o hotel, pq nós nos decepcionamos muito, os hóteis 3 estrelas da cHina eram horríveis, horríveis mesmo!! Foi uma experiência meio decadente! No mais, estou super satisfeita com a nossa viagem.

Milena F. disse...

Debora, ficamos em hotéis estilo 2 estrelas, não somos muito exigentes para hotéis, o mais importante é um lugar limpo! Os quartos desse hotel eram bem espaçosos e pagamos cerca 20€ (e a cidade era bem turística). Em Shanghai e Pequim pagamos até mais barato, quartos limpos, mas era bem apertadinho. Mas como era só para dormir das meia-noite às 6, não nos incomodava em nada. Na Europa já pagamos 100e de diária por hotéis do mesmo nível!

Cristina Ferreira Rocha disse...

Olá,

Linda a sua viagem, parabéns!!! Viajarei à Ásia em outubro de 2013, mas infelizmente terei apenas 6 dias para ver alguma coisa da China. Com certeza irei à Pequim, mas não sei se vale a pena ir a outra cidade em tão pouco tempo. Existe algum lugar imperdível que você acha que dá para ir nesse período?
Obrigada

Cristina

Milena F. disse...

Cristina, realmente a China foi uma experiência fascinante! Na minha opinião, em 6 dias é melhor ficar mesmo em pequim e visitar os sites históricos ao redor (Grande Muralha, tumbas, etc.) Na China as distâncias séao muito longas e se vc for visitar outras cidades, vai perder muito de Pequim! Ficamos 5 dias em Pequim e sinceramente achamos pouco! Quero voltar, com certeza. E em uma próxima viagem quero ir a Chengde, não muito longe de Pequim (não confundir com o Chegdu, que fica longe e onde podemos ver a reservas de pandas). desta vez tivemos que abrir mão desse passeio, deixamos para uma outra vez em que estaremos apenas em Pequim.