segunda-feira, 16 de julho de 2012

Leituras chinesas: Xinran

Descobri essa escritora chinesa há alguns anos atrás através de um colega que me emprestou esse livro:

As Boas Mulheres da China



A jornalista e escritora manteve durante anos um programa de rádio na China entre 1989 e 1997 no qual recebia telefonemas de mulheres que contavam a sua história. ela viajou os 4 cantos do país para entrevistar muitas dessas mulheres e deparou-se com realidades muito difíceis e muitas vezes até mesmo incompreensíveis mesmo para ela, que nasceu e cresceu no país. 

As história nos machucam como um punhal e falam da condição feminina nessa país que vivenciou e sofreu tantos momentos complicados ao longo da história.
Ao mesmo tempo em que conta a história de algumas dessas mulheres, marcadas pelo sofrimento e violência, ela vai revelando um pouco da sua história, não sem menos preconceito e opressão. 
Um livro fantástico para quem se interessa pela causa feminina e/ou para quem se interessa em conhecer outras culturas. 
Confesso que nunca mais fui a mesma após essa leitura e ela cristalizou a minha vontade de conhecer esse país tão misterioso.
Recentemente li outros livros da mesma escritora:

Enterro Celestial (Sky Bureal)
Xinran encontra uma chinesa que voltou do Tibet, onde passou os últimos 30 anos. Jovem médica, ela foi em busca do marido, dado como morto poucos meses após o casamento do casal nos anos 50, ele também jovem médico militar enviado ao Tibet.
Pode ser uma história de amor, mas a história retrata as relações entre a China e o Tibet, ainda mais o que era nos anos 50 e todas as dificuldades da época.
A verdade é que o mundo ocidental tem UMA visão do Tibet, mas para o povo chinês da época, a informação era extremamente controlada e eles tinham outra idéia do Tibet, como um povo muito violento e com costumes bárbaros. Durante os 30 anos em que a médica viveu ensse território, completamente longe da civilização, ela teve contato com diversos costumes que até mesmo para os olhos dela eram indescritíveis. Um dos mais chocantes é sem dúvida o "enterro celestial", em que o defundo é exposto para ser comido pelas águias, podendo ter inclusive sido preparado separando a carne dos ossos! O livro fala desse choque de culturas, já que tudo que ela conhecia e que valorizava não tinha mais nenhum sentido na sua vida no Tibet, e mais tarde o seu choque cultural ao voltar à China nos anos 80 e se deparar com todas as mudanças sofridas pelo país!

As filhas sem nome
Si o primeiro livro da lista e o mais conhecido fala de um ponto de vista pessimista sobre a situação feminina, esse livro é completamente o oposto. Ele mostra a "força" dessas mulheres que conseguiram concretizar o que muitos homens não conseguiram! Ele fala de um fenômeno que praticamente todos os povos conhecem, que é sobre a migração do interior para as grandes cidades, mas que por muitas décadas foi impossível na China. Principalmente durante a Revolução Cultural. Em um país em que o analfabetismo era a regra, os jovens letrados foram obrigados a ir para o campo para serem reeducados pelos camponeses. Mao chegou até mesmo a dizer que "quanto mais se lê livros mais nos tornamos burros". Era realmente uma tentativa de fazer uma lavagem cerebral no povo, tentativa essa que atingiu uma boa dose dos objetivos. Milhões de pessoas morreram ou foram mortas, outros milhões foram "silenciados". No livro 3 irmãs (o que é possível, já que a política do "filho único" teve apenas uma parte de sucesso) largam a sua região miserável para ir trabalhar na cidade. Cada uma vence da sua maneira. 
Se o livro chega a ser engraçado e um pouco como um conto de fadas, apesar do tema ser bem sério, o Postscriptum me deixou um pouco tristonha... Eu queria que elas fossem "felizes para sempre", mas a vida não é esse conto de fadas todo, e quem sabe se tivessem escrito um postscriptum da Cinderela no fim das contas ela e o príncipe não tivessem sido tão felizes assim! Além disso, como eu posso julgar o que é ser feliz do meu ponto de vista mas analisando a vida de um outro?

Então, o que acham? Com vontade de viajar comigo para a China?

2 comentários:

Mulher de Fases disse...

O primeiro livro me interessou bastante, ainda mais sabendo que as histórias sao reais, deve ser inspirador.

Obrigada pelas boas dicas!!!

Enaldo disse...

Duas obras chinesas de cair o queixo: Cisnes Selvagens e a biografia de Mao, ambas por Jung Chang.