terça-feira, 19 de março de 2013

Dalí, no Centro Pompidou em Paris


Demorou, mas há poucas semanas consegui ir à grande exposição que está acontecendo em Paris sobre esse importante artista do século XX e também um dos mais controversos da história da arte.
Se o seu domínio da técnica é indiscutível, assim como o seu gênio criador, sua personalidade é motivo de muitos debates. E não é para menos, pois ele fez de si mesmo um personagem de teatro e acredito que ninguém poderia dizer onde acavaba a realidade e começava o "mito Dalí".



O que pensar desse personagem, perseguido pelo fantasma do outro, esse outro porque não seu irmão Salvador (como ele), falecido alguns meses antes de seu nascimento. Esse episódio, segundo ele, o marcou toda a sua vida. Essa sensação de ter existido um ensaio dele mesmo, ou que ele tenha sido uma cópia desse  irmão tão cedo levado, fez com que toda a sua vida buscasse se sentir único no mundo.
 Provocador? Bem mais do que isso.

Em 1937 ele pinta o seu famoso Narciso, e em 1938 ele teria ido visitar Freud em Londres com essa tela (abaixo) embaixo do braço. O que de mais revelador sobre a sua personalidade do que aparecer diante do mundialmente famoso psicanalista com uma imagem de Narciso?

Percorrer essas mais de 200 obras vindas do mundo todo e reagrupadas para esse evento magistral é se abrir para uma verdadeira revolução sexual e intelectual. Pena que em meio aos amadores de arte, muitos curiosos sem nenhum interesse em se aprofundar no tema vão à exposição apenas para fazer piadinhas sem graça.

Após essa exposição, confesso que fiquei ainda mais fascinada pela sua obra... Mas não pelo personagem que ele construiu de si mesmo... mas que sem um mímino de compreensão sobre esse personagem, fica difícil de compreender a sua obra!

Corra, Dalí ainda pode ser apreciado no Centro Pompidou, em Paris, até o dia 25 de março. Ainda dá tempo!!! http://www.centrepompidou.fr/fr/

6 comentários:

Daphne disse...

Adorei o teu texto, simples, direto , explicativo, como num bate papo, parabéns pela dissertaçao, dà prazer ler artigos bem escritos!
Bjs,
Daphne

Enaldo Soares disse...

Fiquei com inveja, rs...

Maria Célia disse...

OI Milena
Quem me dera ir a esta exposição.
Ah, quem me dera conhecer Paris.
Beijo

Claudia Kazete disse...

Oi Milena!

Também sou uma grande apreciadora das obras de Dalí. (entre outras obras e outros artistas)

Quando visitei Londres, não pude deixar de ir ao Museu Universe Dalí. Logo na entrada, me deparei com centenas de frases escritas por ele... eu simplismente não queria sair dali...rsrsrs (consegui ler a maioria delas)

Concordo plenamente quando vc diz em seu post que é preciso entendê-lo para entender sua obra.

Lindo post!

Beijos!

Vânia Wolf disse...

Olá Milena,

Adorei o post! Li um artigo muito interessante e divertido sobre o perrengue que está pra visitar essa exposição: http://migre.me/dLw6b

Milena F. disse...

Daphne, tentei escrever da forma mais simples possível, jáque quem vem ao blog quer descobrir alguma coisa rapidamente e não ler uma dissertação de mestrado! Que bom que gostaste :)

Enaldo, e quando você vem para esses lados?

Maria Celia, quem sabe em breve você consegue vir?

Claudia, ainda não conheço esse museu, sempre quevou à Londres falta tempo!

Vania, gostei muito do artigo, mas tive sorte, pois fui no domingo 3 de março por volta das 14h e peguei uns 20 minutos de fila, mesmo que estivessem anunciando 3 horas!!! tem gente que prefere comprar ingresso sem fila, masnomeu caso nem precisei. Como para a exposição do Hopper recentemente, anunciavam mais de 4 horas, mas fiquei uns 45 minutos na fila. Tudo depende do dia e da hora ecolhidos!!!