domingo, 2 de setembro de 2012

Restaurante em Etretat

Em Etretat reservamos o restaurante La Salamandre. Entre o serviço das 19h30 e o das 21h, optamos pelo segundo, já que faríamos o passeio até Yport. E foi bom, pois mal tivemos tempo de chegar ao hotel para nos trocarmos e ainda assim chegamos 5 minutos atrasados! Restaurante lotado, apenas a nossa mesa vazia, à nossa espera.

A comida foi deliciosa do início ao fim, tudo fresquinho e "bio", produtos da agricultura da região e cultivados por pequenos produtores, ou então pescados pelos pescadores dali mesmo. Sem muita frescura mas com um sabor autêntico!

 Para começar pedi escargots cultivados em uma fazenda da região, deliciosos.

 Sylvain hesitou muito, mas como sempre optou pela carne, uma peça de tamanho considerável da raça charolaise, que se não é de origem "normanda" é muito apreciada pela carne macia e de cor viva, e por isso a criação desse tipo de bovinos é feita praticamente nos 6 cantos da França! (por ter a forma d eum hexágono, podemos dizer que o país tem 6 cantos!)
 Eu escolhi um peixe que estava uma delícia com essas ervas de um perfume intenso... Mas foram as batatas que para mim nunca antes tiveram tanto sabor!!! 
E como sobremesa esse moelleux au chocolat! Molinho no interior na medida certa e 

Algumas pessoas reclamam do preço, mas pela qualidade e porções achamos correto.

Ponto negativo: serviço muito lento e longa espera pelos pratos. Então, não dá para vir com pressa!!! Mas em nenhum momento posso reclamar das pessoas que ali trabalham, que estavam sempre sorridentes. Como diz Sylvain tudo é válido se tiver um pedido de desculpas e um sorriso sincero!

E ainda por cima o Manoir de la Salamandre é um local cheio de histórias! Construído no século XIV na cidade normanda de Lisieux (famosa pela sua catedral), ele foi inteiramente desmontado e remontado em Etretat em 1912, o que permitiu que escapasse das destruições causadas pela II Guerra Mundial em Lisieux. Apesar de ter sido reformado em 2004, continua sendo uma testemunha da arquitetura medieval na Normandia.

6 comentários:

Marta FG disse...

Que delícia...ainda bem que já jantei, senão iria salivar bastante com os pratos tão apetitosos...bj grande

Enaldo Soares disse...

Restaurante muito bonito e a sobremesa também.

Jorge Fortunato disse...

Bacaninha esse lugar. Pratos bonitos e apetitosos. Serviço lento é meio chato mesmo, mas com uma boa companhia dá pra levar.
bjks

Anônimo disse...

Nossa como você é metida! Bem que me avisaram... Gastronomia, a gente ve por aqui.
Foto de prato fica brega! Todo mundo bebe, tomo mundo come, postar que tá comendo é a coisa mais deselegante que já vi na vida! Não demonstra cultura ou status, mas sim DESLUMBRAMENTO. Dá uma preguiça muito grande ver as mesmas coisas ever! Bom, tenho a opção de não voltar mais aqui, e é isso que vou fazer.

Beth Blue disse...

Este bolinho molhado de chocolate me deixou com água na boca, hein?!! Adoro qualquer coisa com chocolate, verdade seja dita.

E qual a diferença do tal petit gateau en chocolat?!!

Milena F. disse...

Marta, Nem posso voltar aqui que começo a salivar!

Enaldo, também se come com os olhos! esse é um ponto fundamental da gastronomia francesa.

Jorge, serviço lento só mesmo quando estamos acompanhados e sem pressa!!!

Beth, eu sei que no Brasil se chama "petit gâteau" a sobremesa com o bolo de chocolate geralmente acompanhado de uma bola de sorvete... Na França não é o mesmo nome, já que gâteau se refere a todos os "bolos" e "petit" é o diminutivo.
Aqui na França esse tipo de sobremesa vai se chamar "moelleux", "fondant", "coeur coulant"... Em alguns vai farinha, em outros não... E cada um que já comi até hoje foi diferente... O complemento do sorvete nesse caso acima é para que o chocolate "pesado" e "amargo" do bolo desça redondinho, um complemento que faz toda a diferença! Mas em alguns casos o sorvete vai ser desnecessário. Por isso a culinária é uma arte!!! :D