segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Os cem pés da Centopéia

          Sempre fui apaixonada por calçados: não podia passar pela frente das minhas lojas preferidas que acabava comprando um par. E eu tinha sorte: namorava o novo par pela vitrine e o mesmo ficava perfeito em mim! Nunca tive dificuldades em encontrar calçados!!!
Como boa parte das baixinhas, tinha mania de grandeza! Usava salto alto, muitas vezes fino, e nos últimos anos bico fino, podia calçá-los por horas, dançar por horas, não sentia nada.
          Certa vez, nos corredores na universidade, tudo deserto, e uma das velhas professoras abre a porta da sua sala e me diz que esse barulho do meu salto lembrava a época em que ela morou em Praga. Dizia ela que em Praga, nas pequenas ruelas, entendia-se esse barulho de calçados desde o início da manhã até noite alta. Ela também me disse que conhecendo outros países da Europa, foi na Republica Tcheca que ela encontrou as pessoas mais elegantes... E as mulheres sempre de salto alto!
          Não sei se é verdade, ou se ao menos foi (em um dado momento da história), mas a verdade é que parece que as francesas abandonaram o salto alto há muito tempo! E eu entendo a razão, pois em duas semanas aqui abandonei meus antigos calçados e tive que investir em novos, para desespero dos meus reduzidos armários.
          O que acontece é que caminhamos muito por aqui, caminhamos nas ruas, caminhamos nos intermináveis corredores do metrô, subimos e descemos escadas até perder o fôlego. Não há pés que resistam, nem saltos...
          E eu que nunca tive problemas para encontrar novos pares de calçados, vivo uma nova odisséia a cada vez que preciso escolher um novo modelo. O amor virou ódio e comecei a detestar os calçados, sabendo que mesmo que sejam os mais lindos e de melhor qualidade... Machucam o meu pé! A única explicação que encontro é que o meu pé é diferente da maioria das européias para quem são fabricados os calçados. Meu pé é gordinho e chato, nenhum é confortável para mim!
          Mas o pior de tudo é que agora meus gostos mudaram, e quando estive no Brasil pela última vez não conseguia gostar dos modelos encontrados e acabei não comprando nenhum. Apaixonei-me pelos modelos daqui, mesmo sabendo que trata-se de um amor platônico, sans avenir (sem futuro). Sempre esse antagonismo amor-ódio!
          Aqui na França podemos encontrar uma infinidade de modelos de calçados, para todos os gostos. Se vocês não têm pés peníveis como os meus, aqui seguem algumas lojas de calçados muito conhecidas por aqui cujos preços caem consideravelmente no período de liquidação. Tente a sua sorte!

Minelli: calçados de boa qualidade, preços um pouco elevados.
André: concorrente direto de Minelli
Sanmarina: minha preferida, geralmente gosto da coleção.
Bata: alguns calçados são de mais baixa qualidade, mas os de couro são de muito boa relação qualidade-preço. O problema é que as lojas não são muito bonitas, ou seja, pouco atrativas. A bata de La Défense é um horror!
Eram: alguns calçados bonitos, preços bons, mas na minha opinião qualidade duvidosa... O acabamento deixa a desejar.
Heyraud: calçados de qualidade, mas boa parte da coleção não vai agradar as minhas leitoras. Sempre que comprei foi em liquidação, pois os preços normais estão além do meu orçamento quotidiano. Excelentes calçados masculinos igualmente.
(com botas tenho bem menos problemas: compro um número maior, coloco uma meia grossa
e desta forma consigo sentir-me confortável)

Um comentário:

Ju Damante disse...

Olá Milena! Obrigada pela visita no meu blog!!!!!
Adorei o seu! E sobre a Europa, nem se fala né..? Minha experiência foi de 20 dias apenas mas é de se apaixonar mesmo...Vc está aí por quanto tempo já? Foi a trabalho?

Beijos e vou passar por aqui sempre para me sentir um pouco mais perto dessas terras!!!!