sexta-feira, 26 de julho de 2013

Uma "trintona" na balada

Eu gostava muito de discotecas,  isso quando eu tinha meus 18-21 anos, mas depois namorando e casada, nos ultimos 8 anos devo ter ido umas três vezes para a balada.

Desta vez, para enfrentar o frio gaúcho de padrão europeu com estrutura padrão brasileiro, uma amiga levou Sylvain e eu para a noite porto-alegrense (mas eu desconfio que ela estava mais preocupada com meu enferrujamento precoce). Foi meio sem planejar, felizmente eu tinha colocado uma calca preta de cobrinha, saltão e um pouco de maquiagem, caso contrário riscava de ser barrada no baile, confundida com uma vovozinha!

Sylvain sempre teve uma teoria de que tanto a mulher quanto o homem só ficam solteiros se quiserem, mas desta vez ele, que não podia se comunicar, aproveitou para observar tudo e confessou que entendeu o que sempre insisti: que é muito dificil para uma mulher encontrar alguém. Na noite a mulherada é maioria absoluta, cada uma mais linda, mais produzida, mais malhada e/ou mais lipoaspirada do que a outra. Os rapazes chegam mais tarde, bem menos cuidadosos com a aparência e agem como se estivessem em um buffet com muitas variedades e pratos e carnes, basta escolher.

Sylvan gosta de dançar e outra coisa que reparou é que as mulheres dancam... mas nenhum homem! No início um pouco envergonhado, ele se soltou em pouco tempo. Nao demorou muito para se aproximar um grupinho de beneficiados pelo "casamento para todos".

Porem o que me surpreendeu mesmo foi que muita gente dancava com os celulares na mão, acessando facebook, por exemplo e atualizando instagram!!!

Apesar de uma leve dor nos pes, decacostumados de dançar de salto alto, até que não me senti tão velha. Tocaram tantas músicas da minha época e muitas novas que conheci na academia!

E fiquei ainda mais feliz de estar acompanhada, caso contrório só me sobrariam os tiozinhos com cara de tarados, os únicos que me deram uma olhadinha!

Mas o melhor de tudo foi poder enfim me livrar do casaco, da manta e ate sentir calor!

Está com frio? Va para a balada!

7 comentários:

Juliana Leal Valera disse...

Realmente, sair para dançar espanta o frio!
NEm imagino como é isso, o povo na balada checando o Facebook e Instagram, que horror!
Beijos

Vânia Wolf disse...

Adorei Milena!
Tenho um amigo que PRECISA ler esse post, pois me vi nessa situação, ele vive não acreditando como sou solteira? como assim? haha
Um pouco é por opção, mas como vc mesma observou o "mercado" está muito difícil, ainda mais pra pessoas um pouco mais excêntricas como eu rsrs
Quanto tempo vai ficar no Brasil? coloca fotos daqui também!!! Bjos

Helena disse...

Eu também vou menos pra balada, mas é que as musicas me empolgam menos do que as da minha época... posso saber onde tuu foi? Quem sabe na minha proxima ida a Porto Alegre não dou uma "esquentada" nesse mesmo lugar (alias, depois de 4,5 anos em SP, cada vez que vou a Poa noto o quanto estou por fora das baladas, dos bares e restaurantes...)

Enaldo Soares disse...

Oi, Milena, tudo bem?

Mudei o nome e o endereço do meu blog:

www.enaldoviajando.blogspot.com.br.

Viajei por Lisboa e arredores em julho. Estou colocando centenas de fotos e vídeos por lá. Apareça.

Enaldo.

Mulher de Fases disse...

Acho que na "balada" deve ser uns dos lugares mais divertidos para observar as pessoas né?
Agora o que me tem irritado mesmo é essa mania das pessoas viverem pela a internet. Ninguém curte mais o momento tem que grudar no celular para dar uma curtida na foto do face ou passar o relatório da vida pelo insta. É a parte da modernidade que me irrita.

Luciene disse...

hahaha essa foi boa rsrs. Mas olha, acho q depende da boate viu? la no Rio, naquela feira nordestina q comemos, a noite no fds fica musica, forro ao vivo e as vezes até musica de boite mesmo. Fique uma mulher sozinha la pra vc vê se ela tem paz kkkk é homem direto pedindo pra dançar, paquerando... nossa, eu tinha q ficar com um amigo do lado, se nao era cada um q aparecia rsrs...

Em Natal qndo fui em 2012, fui pra um barzinho com musica ao vivo, vi muitas mulheres bonitas, saradas, mas tavam sempre acompanadas... e muito homem la bebendo rs

Mas q tem mais mulher q homem no mundo, isso é fato rs

Comer e Coçar é só começar disse...

ahhah muito bom! Vc disse tudo nesse post! O meu marido também já está ciete que aqui no Brasil a mulherada é maioria absoluta (e ataca)!
Ele está pensando em fazer uma troca. Levar Brasileiras para Italia e trazer Italianos para o Brasil para ver se equilibra um pouco kkk

bjs
Dani Bispo