terça-feira, 14 de junho de 2016

Uma nova aventura em vista!

Fiquei pensando milhões de vezes se falaria aqui no blog, ou de que forma contaria a novidade. 
Estou grávida. Pronto, falei, para que enrolar ainda mais para contar?

















Primeiro pensei esperar os 3 meses para anunciar (o que se costuma fazer aqui na França), mas foi sempre acontecendo alguma coisa e eu achava que nunca era o momento.

A minha gravidez causou muita surpresa ao meu redor, tanto da família, dos amigos quanto dos colegas de trabalho.
Muitos vieram me dizer: "mas eu achei que voces não quisessem ter filhos!"

Bom, não é questão de me justificar, mas acho bom colocar os "pontos nos is":

Eu nunca gostei dessa pressão para engravidar assim que a gente se casa ou atinge uma certa idade, e foi sinceramente o que senti desde o casamento. Se antes eu nunca tinha pensado muito no assunto "ter filhos ou não tê-los", quando me casei, no início o mais importante era curtir o marido, a casa, nossa vida à dois, e ao mesmo tempo desenvolver a minha carreira aqui na Franca.

E a gente estava tão bem na nossa vida que o assunto filhos nunca foi tema de debate no nosso casal. Muito rápido as pessoas vinham nos perguntar e a gente respondia que ainda não era hora, e aos poucos acho até que comecei a ser totalmente meio grossa, pois sinceramente para mim essa é uma decisão do casal. Para a maioria da população é tão "natural" ter filhos, como se fosse impossível para um casal imaginar a vida sem, como se não tivessem muitas vezes nenhum outro interesse em comum.

Sem contar que se a gente não tem filhos, somos logos rotulados de "egoístas", e para mim egoístas eram mais as pessoas que diziam "com filhos nunca mais vou me sentir sozinha; deixarei algo para a posteridade", e por aí vai. Eu sempre gostei de estar sozinha e a vida de casal nem sempre foi fácil para mim por causa disso. Então, nenhum medo de ficar sozinha. Meu marido é bem "grude", muito conversador, não me deixa tranquila nem um minuto, toda hora precisa me contar alguma coisa, colocar uma música, me mostrar algo. Imagina uma criança full time?

Talvez também por ter começado a aproveitar a vida relativamente tarde e ter me tornado "independente" mais tarde, eu ainda queria viver muitas coisas, e uma delas era viajar.
Sei que muita gente viaja com crianças ou mesmo com bebês, mas tanto meu marido quanto eu achamos que algumas viagens a gente evitaria fazer com crianças (no inicio), tanto pelo ritmo cansativo quanto pelas dificuldades locais. Se quando você está na sua casa não vai a um aniversário porque o filho amanheceu com febre, diarréia ou vômitos, imagina estar com um vôo programado ou já estar do outro lado do mundo sem conhecer nenhum médico ou hospital de confiança, e as vezes sem falar a língua? E assim a cada vez a gente tinha um projeto e adiava a decisão.

Alguns ainda me diziam: um dia vai cair a ficha, vai bater "aquela vontade". Esperei até os 35 anos e não caiu a ficha. Na minha cabeça me sentia superjovem e poderia esperar ainda uns 5 anos, mas como mulher, a gente vai lendo e vê que não temos "todo o tempo do mundo". Sim, algumas mulheres têm o primeiro filho aos 42 anos, mas isso é muito mais a exceção que confirma a regra, e não é sem riscos. Foi então que começamos a pensar seriamente e dia 1o. de janeiro tomamos a nossa decisão: vamos começar a tentar, se der certo é porque era para a ser, se não der certo não seremos infelizes sem filhos.

15 dias depois a menstruação não veio. 
Depois vieram todas as confirmações: teste de farmácia, de laboratorio, ecografia... E a ficha ainda não caia que eu estava "supergrávida". 
Hoje já se passaram alguns meses, estou com 25 semanas e posso dizer que estou vivendo uma gravidez muito tranquila, estou muito de bem com a vida e comigo mesma, não tive náuseas, enjôos, a tal ponto que a minha vida segue praticamente tão normal que não fosse a barriga (e seios) que não entram mais nas minhas roupas, os movimentos, um pouco mais de cansaço e vontade de comer algumas coisas outras não, tudo pareceria igual.

Tenho me sentido tão "zen", antes coisas que me preocupavam sobre a gravidez ou ter filhos agora nem me passam pela cabeça ou então eu penso "isso não é tão importante". Tenho a impressão que estou vivendo o momento presente, não consigo ainda me projetar para o futuro e nem quero que as pessoas me apressem.

Tudo no seu tempo.
Parece que de novo tenho todo o tempo do mundo...

16 comentários:

Kenia disse...

Parabéns!! Muita saude e paz pra vcs!

Bjs

Viagens e Beleza disse...

Parabéns Milena, é exatamente assim, as pessoas fazem tanta pressão quando a gente casa para se ter filhos logo como se fosse uma obrigação. E não levam em conta outras prioridades e intimidades do casal. Imagine se um dos dois não pode ter filhos e não quer expôr para os outros e aí vem alguém e fica cobrando. Muito desagradável.
Tenho uma irmã que engravidou aos 40 pela primeira vez, naturalmente, sem tratamento, teve uma gravidez super tranquila e o filho nasceu perfeito, saudável e é uma criança linda.
Mas é como você falou, um filho muda tudo e daqui pra frente, vocês vão aproveitar a vida de outra maneira. Tudo à seu tempo e agora era a hora de vocês serem pais.
Te desejo toda a felicidade do mundo.
Beijão,
Ana

Luciana Saunders Hutchings disse...

Que legal! Parabéns! Gostei da sua maturidade de lidar com tudo, ao seu tempo, quero ser assim rs

Dani disse...

Parabéns, Milena! Mas eu já imaginava, tava só esperando vc aparecer contar a novidade. Saquei num comentário seu no blog da Debi abelha....ahhh, eu sou das leitoras que aparece sempre mas nunca comenta. Essa notícia me fez sair da moita. Que seja tudo lindo. Beijos

Liza disse...

Parabéns, Milena!
Acho tão feio (chega a ser indelicado) pessoas perguntando: Quando é que vcs terão um filho? No meu caso perguntam sobre o terceirinho, perguntam quando é que eu vou fazer uma menina. Oh povo sem noção! Mas enfim, não quero perder o foco do meu comentário, quero mesmo te dar os parabéns, desejar que sua gravidez continue tranquila e que você tenha uma boa hora (falta muito ainda, né? Rs)

Beijo grande!

Karla Gê disse...

Milena!
Super concordo com vc. Essa tem de ser uma decisão do casal e as cobranças são muito desagradáveis mesmo.
Fico feliz de ver que vc está bem e feliz com a decisão que vcs tomaram e Tomara que eu possa conhecer o baby da próxima vez que eu for a Paris. :)
Acho que a vida de vcs vai mudar um pouco, mas a vida muda, com ou sem bebês e estar de bem com a ela é o que importa.
Parabéns! E que o bb venha com muita saúde para alegrar a vida de vcs!
beijos

Flávia Donohoe disse...

Parabéns Milena, muitas felicidades pra essa nova etapa <3

Rodrigo disse...

Parabéns Milena pela gestação !! Que seu filho venha com muita luz e saúde !!

Gostaria de tirar uma dúvida que tenho, relativa a um antigo post. Até comentei nele há uns dias atrás, mas por ser muito antiga a publicação, não sei se você iria ver.

Eu sou brasileiro com cidadania portuguesa e minha noiva é 100% brasileira. Pretendemos nos mudar para Paris ou Lyon em Agosto ou Setembro. Gostaria de saber qual o caminho para ela poder ficar lá comigo legalmente, pois estou indo por vontade própria para a França e não com emprego garantido, pois se tivesse por transferência, sei que ela conseguiria algum tipo de permissão também.

Enfim, desejo muito ir morar aí, mas não posso abandonar tudo aqui se ela não tiver a segurança de que poderá ficar legalmente no país e trabalhando.

Agradeço desde já e parabéns pelo excelente blog !! Abraços. Rodrigo.

Flávia Jorlane disse...

Parabéns ao casal! Estão certíssimos, pois aproveitaram bem a vida a dois para amadurecerem antes dessa decisão. Agora é que vai começar uma grande viagem, a viagem de gerar, zelar e amar uma nova vida. E que venham muitos posts!

Eliana disse...

Ohhh Milena, que legal! Parabéns! Olha, não é porque um casal não tem filhos, que eles realmente não querem ter. Tem os que planejam, os que desejam, os que não querem de jeito algum e mesmo assim se tornam pais.
Tenho certeza de que vocês serão ótimos pais. Parabéns e aproveite o barrigão e curta muito este seu momento! Bjs

Fernanda AGUT- MIRAILLE disse...

Parabéns Milena!

Wilma Santos disse...

Oi Milena Parabens, mais uma blogueira gravida, sáo muitas, que venha com saude e que voce continue bem ate a boa hora. Essa eh de fato a grande viagem, gerar e criar um filho. Tudo de Bom pra voces.

Nira Lima disse...

Meus parabéns Milena.Que o baby venha com muita saúde bjs

Natalia Itabayana disse...

Temos algo em comum: minha ficha "putz, quero muito ter um filho" nunca caiu. A vontade maluca que muita gente sente, eu não senti, mas claro que o Vic foi planejado e desejado. Meu discurso hoje não mudou: ele não veio me completar, ou completar a família, ele veio complementar. É um amor que cresce a cada dia, muito gostoso de viver, e acho que o tempo que demos foi importante pra gente curtir com mais serenidade essa novidade que vira de ponta cabeça nossas vidas.

Berço do Mundo disse...

Parabéns Milena, se calhar até já teve o bebé, já que recebo a notícia com muitos meses de atraso.
É verdade que a vida muda do avesso quando os filhos chegam, mas tudo vale a pena. A nossa forma de viajar também muda, estou muito mais adepta do slow travel agora. Mas é maravilhoso "ver" o mundo pelos olhos mágicos de uma criança.
Agora prepare-se porque, daqui a algum tempo, vai começar a ouvir outra pergunta. Se teve um rapaz, vão perguntar "quando manda vir a menina?" e vice-versa. Prepare-se para ser grossa novamente, haha.
Abraço, que continue a correr tudo em estado zen
Ruthia d'O Berço do Mundo

Fernanda S disse...

Parabéns, Milena! Muitas felicidades e bençãos nessa nova fase! :)