domingo, 16 de março de 2014

Primavera antecipada em Paris?

Desde a semana passada as temperaturas aumentaram bastante por aqui e batem recordes para essa época do ano. Se em 2013 o inverno não queria ir embora de jeito nenhum, esse ano praticamente não tivemos inverno rigoroso.

E quando a meteorologia anuncia que o dia será ensolarado e com temperaturas agradáveis, todo mundo vai para a rua. Foi o que aconteceu no final de semana passado:


Após a festinha de aniversário do sábado, eu queria mesmo era passar o domingo quietinha, mas até parece pecado ficar em casa quando o tão esperado amigo Rei Sol está brilhando lá fora e não precisamos de casacão.

Não fizemos nada muito elaborado, apenas um passeio pelas margens do Rio Sena, proximo à Catedral Notre-Dame, um dos meus locais favoritos na cidade. Nunca me canso de passar por ali.



A única coisa que me deixa triste são esses cadeados dos infernos que estão tomando conta de muitas cidade européias. Quer saber? Acho A MAIOR FALTA DE RESPEITO COM O PATRIMÔNIO HISTORICO E ARQUITETÔNICO. Pronto, falei!
As pessoas chegam ali como ovelhinhas (hoje estou com a língua afiada) e querem provar/eternizar o seu amor, já que está cheio de cadeados, todo mundo fazendo, "por quê não eu"?  Mas será que não tem uma forma melhor sem estragar a casa/patrimônio dos outros?
Os vendedores ambulantes estão ali para vender (e até fotografar o turista), e quem compra o cadeado ainda está incentivando esse tipo de comércio ilegal. E ainda por cima, ninguém pensa que pode não ser bom para o Rio Sena aqueles milhares de cadeados que são diariamente jogados nas suas águas?
Gostaria de saber a porcentagem daqueles casais que colocam cadeados que continuam juntos!

(Pense bem antes de fazer uma coisa dessas!)

Dali fomos ao Jardin du Luxembourg, um dos jardins mais bonitos de Paris, mas desta vez a procura de uma moradora ilustre que pouca gente sabe que reside ali:



Existem 4 exemplares da estátua em Paris. Vocês provavelmente sabem que a Estátua da Liberdade ("a liberdade iluminando o mundo") em tamanho gigante que é cartão postal de Nova Iorque foi um presente da França aos EUA e a sua realização foi acordada ao artista francês Auguste Bartholdi. Para chegar ao seu tamanho XXL, o escultor trabalhou inicialmente em tamanho pequeno. Essa do Jardin du Luxembourg fica na parte menos turística dos jardins, mais frequentada por moradores do bairro, por isso muita gente passa e não vê. Uma outra estátua pode ser vista perto da Torre Eiffel (a maior e mais conhecida de Paris), uma terceira no Museu des Arts et Métiers (as vezes nos jardins, às vezes dentro do museu) e uma quarta (presente dos EUA à França) no Museu d'Orsay.
Acima a parte mais turística dos jardins e abaixo a parte que é mais ocupada pelos locais.

P.S.1: Apesar do calorzinho, cedo pela manhã e à noite as temperaturas baixam nessa época do ano. Melhor não sair sem um casaco e uma "écharpe" para proteger o pescoço!
P.S.2: Essa onda de calor e ausência de ventos ocasionou, segundo os especialistas, um grave pico de poluição na cidade. As autoridades colocaram em vigor diversas medidas de urgência para tentar melhorar a situação. Apesar das imagens horríveis que estão nos mostrando na TV e jornais, não percebi nenhuma diferença no ar que respiramos todos os dias, mas é bom mesmo que eles façam alguma coisa antes que não dê para fazer mais nada. Dê prioridade às pernas para se visitar a cidade, bicicleta e transportes públicos. Evite de se locomover em veículo próprio, alugado ou táxis se o número de passageiros for inferior a 3. Pense no meio ambiente, no bem-estar de TODOS ao invés do seu conforto individual em detrimento dos outros.

10 comentários:

Camilla disse...

Que delícia! Minha irmã acabou de voltar e disse mesmo que as temperaturas estão agradáveis. Estou passada com essa onda de poluição. Espero que de alguma forma, passe logo.

Beijos,
http://www.mademoiselleparis.com.br/

Sissym Mascarenhas disse...


Milena,

Que bom que está esquentado um pouco mais por aí. Aqui, o verão não quer ir embora, mesmo com o Outono batendo na porta para entrar. Andar na praia a tardinha, já dá para sentir uma boa brisa, mas o resto... affff...

Sobre os cadeados: que horror mesmo! Outro dia usei uma imagem no meu blog que aparecia um cadeado em forma de coração, foi tirada por um amigo alemão que é fotografo. Ele ficou todo feliz e me mandou o complemento de onde retirou! aiiii... então vi "o todo", nem respondi dizendo o que pensava a respeito.

Bjs

naterradaluavirada disse...

Em algum lugar a primavera tem que chegar, né? Aqui em Montréal, hoje amanheceu fazendo -16... Eu amo o inverno, curto demais as atividades que podemos fazer na neve, mas depois de tanto tempo cansa... Bem que a primavera podia vir dar umas voltinhas aqui deste lado do oceano.

Quanto as cadeados... Que coisa, não? Eu NUNCA havia pensado por esse lado, sempre dizia ao Rafael que iríamos um dia prender um cadeado em uma ponte de Paris, super romântico. Quanta ignorância a minha!! Isso não tem nada de romântico, fica feio pra caramba, além de claro, poluir o rio... E a prefeitura? Não faz nada para retirar esse bando de cadeao horroroso das pontes?!

Beijos,
Lidia.

Sandra disse...

Milena, aqui também está precisando chover, embora os indíces de poluição ainda estejam sobre controle.
Quando aos cadeados, no início até achava "bonitinho", mas depois com a infestação deles por todos os lugares, acabei pensando mesmo nos danos que causam ao patrimônio. Nunca vou colocar cadeado em ponte nenhuma para declarar o meu amor! Boa semana!!!

Helena disse...

Eu também acho um grande desrespeito essa onda de cadeados. Se só disso dependesse um amor... fora que a estrutura da ponte (e de vários outros patrimônios públicos) não é feita para sustentar esse peso extra.

Beth Blue disse...

Sei bem como é isso...aqui em Amsterdam a primavera também resolveu dar as caras. Hoje mesmo foi um dia muito lindo, 20 graus e sol...eu fiu passear num dos meus parques preferidos atualmente e vi muita gente na rua, nos cafés, etc.

Primavera na Europa é sempre muito especial...gossto até mais do que verão, sabia?!! beijos e boa primavera pra nós :-)

Renata Inforzato disse...

Oi Milena,

Concordo em gênero, número e grau com essa do cadeado. Uma baita ignorância....
A estátua do Luxemburgo voltou? Ela ainda estava em restauração na última vez q fui lá.
Quanto à poluição, eu senti sim. Tive uma asma violenta, até fui parar na emergência e estou em tratamento...
Beijos

M. M. disse...

Nossa, acredita que já me deu saudades de Paris?

Cheguei ontem ao Brasil e já estou tendo pequenas crises internas para voltar à Europa, rsrs! Por outro lado, gosto da sensação de "meu cantinho no mundo" que sinto nesse momento, aqui em casa.

Achei muito engraçado ver as pessoas tomando sol nas cidades quando o inverno foi passando, pois em Recife nós fugimos do sol (saudades tb do friozinho).

Muito interessante sua observação sobre os cadeados, eu, romântica que sou, considerava lindo que tantos apaixonados colocassem seus cadeados... mas, bem, temos que analisar o outro lado que vc citou e há outras formas mais ecológicas de demonstrar amor, rsrsrs!

Beijooooos!

http://caseicomomundo.blogspot.com.br

Anônimo disse...

Oi Milena!!!

Que bom que você expressou sua opinião sobre os cadeados! Também acho uma poluição visual aquilo. Um desrespeito ao patrimônio da cidade mais linda do mundo... O pior é que começou na ponte das artes e agora estao colocando (poluindo) em outras pontes também. Um dia encontrei uma trava de bicicleta numa estatua da ponte Alexandre lll. Achei o fim....

Beijos. Vivian Renart.

Anônimo disse...

Oi Milena! parece que muita gente tbm acha um horror isso de poluir as pontes e o rio.. Olha que legal essa iniciativa:
http://www.theguardian.com/travel/2014/mar/31/campaign-paris-love-locks-banned?CMP=fb_gu

tem até pag no face:
https://www.facebook.com/NoLoveLocks
Pelo que tenho lido, o mal costume tem se espalhado por outras pontes das europa =( já pensou que absurdo?
bjitos