quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Casamento na França

Existem muitas formas de se "casar" na França e comemorar esse momento. Gostaria de compartilhar o que tenho experienciado por aqui nesses últimos anos. Não é a única forma de festejar, pode variar de acordo com a região do país, tradições de família e outros detalhes, mas algumas coisas se repetem, ou seja, podemos falar de tendências.

Um casamento completo é geralmente composto por: casamento no civil, seguido pelo casamento religioso, vin d'honneur, uma pequena pausa relax e depois o jantar com a festa. Em partes:

Na França o casamento geralmente começa no início da tarde ou no final da manhã do sábado. 
Nós e a minha afilhada sábado passado

Cerimônia Civil:
No último casamento para o qual fui convidada, o casamento civil estava marcado para as 14h. Na França, o casamento civil é realizado na mairie, o nosso equivalente no Brasil à Prefeitura e é realizado pelo prefeito ou seu substituto. Não existe cartório na França e nem nada parecido na minha opinião. Para registrar os filhos também se deve ir à mairie, assim como para fazer a identidade francesa ou passaporte francês. 
Pode ser mais ou menos longo, mas na minha opinião é mais interessante que o casamento no cartório no Brasil. Existe geralmente uma sala específica para casamentos, espaço para vários convidados. O prefeito lê os artigos pertinentes do código civil que diz respeito ao casamento, a vida de casal e a criação dos filhos.
No meu casamento (que foi só no civil), teve música para a entrada dos noivos (marcha nupcial), troca de alianças e tempo para fotos.
Quando o prefeito nos declara casados, recebemos o livret de famille (livro de família), que é como um caderninho, com as informações de estado civil sobre os conjuges e é nesse livro que são registrados os filhos.

Quando o casal não quer fazer grandes festas e não vai casar no religioso, pode optar pelo ato civil no final da manhã e receber os convidados para um almoço.

Casamento Religioso:
Acredito que seja como no Brasil, tudo vai depender da religião. Porém vale lembrar que a França "tradicional" é católica. Os judeus estão presentes há tempos no país mas sempre foram minoria. Protestantes também fazem parte de uma pequena minoria. Com a imigração intensa da Africa do Norte existem muitos casamentos muçulmanos. Porém, mesmo se tradicionalmente a França é (ou foi) católica, uma parte considerável da população atualmente se declara sem religião. 

Vin d'honneur:
Tia do meu marido, grande amiga de facebook!

Os convidados são recebidos para um brinde, com bebidas e algumas coisas para beliscar. O brinde dura horas e horas, os convidados geralmente ficam em pé e existe uma boa interação. Pelo que percebi nas festas francesas, os convidados têm a "obrigação" de cumprimentar e se apresentar para todo mundo, caso contrário é visto como muita falta de educação. Mesmo se a gente chega para uma recepção de 100 convidados, é necessário se apresentar e cumprimentar os 100 e se despedir dos 100, mesmo pessoas que a gente nunca mais vai ver na vida...

Carreata:
Quando as pessoas começam a ficar dispersas, geralmente tem uma carreata... Os noivos saem na frente, com um carro geralmente decorado de flores, seguido pelos demais convidados (que receberam decorações discretas para decorar os espelhos ou antenas), e quem finaliza a carreata é o carro "vassoura".

O carro "vassoura" (voiture balai) é normalmente decorado de forma bem brega, com vassouras e imagens que representam os noivos.

Pausa: 
Se ainda é muito cedo para o aperitivo, costuma-se ir a um lugar bonito para tirar fotos e/ou fazer uma caminhada. Adoro caminhar, mas confesso que detesto essa parte de subir colina de salto alto!!!
Começamos o passeio lá embaixo do rechedo e fizemos toda a volta.

Jantar e festa propriamente dita:
No convite de casamento geralmente chega um anexo somente para quem está convidado para a festa, a elite, pois os demais mortais só são convidados para o vin d'honneur. Sempre me juraram que quem não é convidado para o jantar aceita tranquilamente, que ninguém fica brabinho ou "de cara".

A recepção começa com o aperitivo, onde mais uma vez os convidados bebem, comem e interagem em pé... durante horas. 
As vezes não aguento mais, não tenho mais vontade de falar com ninguém, quero sentar (os pés me matando após subir a colina), mas ninguém senta... Desta vez comentei com uma cunhada que concordou comigo que aperitivo de casamento era muito longo e que mesmo se ninguém se sentava eu poderia ir para o meu lugar e sentar (jamais sentar no lugar marcado de um outro!). Ela acrescentou que as pessoas ficam em pé pois o jantar mais tarde é sempre interminável e ficamos sentados por horas.

Alguns casamentos podem até propor lista de presentes em alguma loja, mas o que é mais comum é que o convidado deixe seu presente na forma de um cheque com uma mensagem em um envelope.

As classes médias francesas não costumam se endividar para festejar o casamento nem gastam fortunas. cada um com o seu budget, tem gente que aluga uma propriedade (mesmo um château, tem para todos os bolsos), outros reservam um salão de festas. Na França a decoração de qualquer jantarzinho é importante e para um casamento não é diferente, mas mais uma vez nas classes médias eles não gastam fortunas em decoração e privilegiam tudo que é feito por eles mesmos, em todos os detalhes.

Nesse exemplo os noivos escolheram bordô e prata na decoração.

Enfim os convidados são convidados a se sentar e são servidas as entradas. 

Nas festas de tradição normanda geralmente é servido um sorvete de maça com um digestivo em opção (Calvados) entre uma etapa e outra da refeição.
O "trou normand"
Após é servido o prato.

Seguido pelos queijos e a salada. Tudo está escrito no cardápio que os convidados têm à disposição, pois francês não come se não souber o que está comendo... Terminando pela sobremesa, o bolo de casamento que não é como nos casamentos no Brasil.
Nesse caso os noivos escolheram um fraisier (que vem de fraise=morango), uma sobremesa leve que combina com o verão e que dificilmente alguém não gosta aqui na França.

Depois o casal abre o "baile" com uma música a dançar à dois. Em seguida as músicas são mais agitadas, mas inicialmente meio bregas para o meu gosto, mas vai se animando conforme as horas vão avançando, e às 5 horas da manhã temos direito até a Gustavo Lima e Michel Teló.

Fim de festa é com direito à tradicional sopa de cebola.

Os convidados têm direito à algumas horas de sono, mas geralmente estão convidados para o almoço do dia seguinte... Que começa com o aperitivo, seguido pelo almoço propriamente dito (entrada, prato, queijos e sobremesa)... E termina passado das 18 horas...

E onde você mora, como são os casamentos?

18 comentários:

Cris Goiatá disse...

Milena, achei muito interessante!!
Diferente do nosso casório por aqui.
Obrigada pela visita!
Bjos
http://criscriacoisas.blogspot.com.br

Fernanda Agut-Miraille disse...

Ola Milena,
Aqui na Franche-Comté tem uma tradição inusitada: la virée des mariés. No meio da noite, quando os noivos ja foram dormir, os convidados entram no quarto para acorda-los e fazem o maior circo. ALém disso, os noivos devem tomar uma gororoba num pot de chambre (penico). O conteudo da gororoba vai da criatividade dos convidados: na minha tinha champanhe, cerveja e pedaços de chocolate.
Beijinhos!

Ana disse...

As fotos são super bonitinhas! Mas a duração do casamento é assustadora... tudo de pé e de salto alto, depois um jantar e um almoço intermináveis? Socorro! Ainda sou solteira e isso me intimida um pouquinho, rs...

Os equivalentes aos cartórios na França são os notaires, não? Se bem que é bem diferente, e todo mundo fica surpreso quando conto que as pessoas casam na prefeitura por aqui.

Jorge Fortunato disse...

Milena
Vcs estão chiquérrimos nas fotos. Até pensei que a segunda foto fosse do teu casamento. Ou será que é?
Beijos

Milena F. disse...

Fernanda, aqui tb tem isso de acordar os noivos, mas nesse último casamento os noivos aguentaram até o fim quando os convidados já estavam dormindo pelos cantos!!!

Ana, é diferente, o "notaire" da França é o equivalente ao notário do Brasil... que cuida dos direitos de sucessão (heranças), compra e venda de imóveis, escrituras... No Brasil existem diversos tipos de cartório: o cartório notarial, o de protestos, o de registro civil...

Jorge, a segunda foto foi do nosso casamento sim!!! :D

Karla Gê disse...

Uau! Que festa enorme! Mais de 24 horas de festança! Não sei se eu teria paciência para tanto, mas é cultural, né...Achei bacana essa ideia de não se gastar fortunas com o casamento, já que aqui no Brasil é bem diferente, o povo gasta o que não tem!
Muito bom esse post! Adoro acompanhar seu blog e ficar sabendo desses costumes que só quem vive em outro país pode saber!
beijos

Anônimo disse...

aprendi tudo isso assistindo ao "4 mariages por 1 lune de miel", hahahah. acho eles meio bregas na decoração e nos vestidos, mas adoro a simplicidade de tudo. aquele negocio da coreografia pra abrir o baile, pelo que vejo na tv, tb é uoh!

Mirelle

Eliana disse...

Oh só, não é muito diferente aqui na Holanda, não. Casamento é praticamente um dia de maratona. Se segue o modelo mesmo, começa bem cedinho, com o noivo indo buscar a noiva na casa dela pra irem pra prefeitura e depois todo o dia de comemorações que podem durar até de noite. O nosso foi bem simples: prefeitura de manhã cedinho e depois seguimos pra um café da manhã em família num hotel que durou até perto da hora do almoço.

Clar disse...

oie...namoro um francês e pretendo em abril ir morar com ele em Lyon. Mas sei que a minha permanencia só pode ser por 3 meses nem visto e nao farei um curso longo. nossa ideia é casar o quanto antes pra que eu posso ficar permanente mais rápido. Isso procede, em quanto tempo estaremos aptos a casar? quais são os documentos que eu preciso levar aqui do Brasil? acho informações desencontradas, cada site fala uma coisa. me ajuda? meu email, caso queira me responder mais fácil é claramos@gmail.com

Milena F. disse...

Clar,

Melhor pedir as informações na "mairie" onde vocês pretendem casar, pois pode variar de um lugar para outro.
Em linhas gerais, você vai precisar de uma certidão de nascimento datada de menos de 6 meses (solicitada no cartorio), traduzida em francês por um tradutor assermentado, um "certificat de coutume" que você pede no consulado do Brasil na França e um atestado de solteira (no meu caso eu pedi no cartorio e eles me fizeram um documento atestando que até aquela data não constava casamento no meu nome).
Seu noivo vai precisar igualmente de uma certidão de nascimento recente (3 meses se for francês), mais um comprovante de domicicio, copia de identidade das testemunhas.
Com esses papéis vocês podem dar entrada na papelada na "mairie", com a data desejada para o casamento. Eles podem chamarpara uma entrevista ou então fazer uma visita em casa. No meu caso disseram isso, mas em menos de uma semana disseram que os documentos tinham sido aceitos e que poderiamos nos casar na data desejada. A partir desse momento, os "bans" são publicados, o equivalente à publicação no diario oficial no Brasil. O casamento pode ser celebrado 11 dias depois (pois os bans ficam publicados 10 dias).

Anônimo disse...

Olá Milena,
Namoro um francês e pretendemos nos casar e morar na França a princípio, mas com relação a facilitar um pouco a burocracia seria mais viável se casar na França ou no Brasil?

Milena F. disse...

Anônima, nos dois casos existem vantagens e desvantagens:
- Se casar no Brasil: vai precisar traduzir todos os documentos, validar o casamento no consulado da França no Brasil, mas jah sai do Brasil com o visto;
- Se casar na França, não precisa traduzir nada, mas vai precisar voltar ao Brasil para pedir o visto (que é fornecido no pais de residência) ou então esperar 6 meses de vida em comum (ou seja, 6 meses vivendo na França de forma "irregular") para solicitar seus papéis na França.

Boa sorte!

Henriqu disse...

Olá Milena, ótima matéria. Estou em processo de expatriacao para a França e gostaria de saber se minha noiva necessita de um visto específico para morar comigo no futuro por ai?

Milena F. disse...

Oi Henrique
Se você estah em processo de expatriação, tem que ver com a empresa que estah se ocupando da sua papelada se você pode levar um acompanhante. Quando se trata de esposa (casamento legal), geralmente não tem nenhum problema. Mas se vocês não pretendem se casar, somente como noiva não existe nenhum vinculo legal entre vocês que possa conceder algum tipo de visto para ela. Muitos casais nesse caso optam ou pelo casamento (as vezes no civil, para acelerar o processo legal), ou então um visto de estudante, que a pessoa possa fazer uma especiliação ou algo do tipo. Nesse caso, tudo é feito pelo portal "campus france".

Boa sorte!

Monique disse...

Olá, Milena,
Minha irmã vai casar na França. Eu gostaria de saber mais sobre o envelope de presente (dinheiro).
As pessoas costumam entregar em jm envelope especial? Entregam cartão? Quanto geralmente as pessoas dão nestas ocasiões?

Milena F. disse...

Oi Monique,
Eh mais elegante colocar em um envelope com um cartão. Jah vi alguns casamentos em que tem uma espécie de "urna" onde os convidados colocam os envelopes. Se não tiver, se deixa o envelope discretamente, no momento de cumprimentar. Como moramos aqui e temos conta aqui, meu marido (e a maioria dos convidados) preferem deixar fazer um cheque ao invés de deixar o dinheiro, pois em festas, nunca se sabe se pode ser perdido!
Pelo que eu tenho visto, convidados "normais" deixam entre 40 et 100 euros, não é como no Brasil que tem que dar presentão (fogão-maquina de lavar-televisão). Falo de casamentos de classe média, para a "alta sociedade" não tenho nem idéia!
Boa festa!

Maysa Biscesto disse...

Olá Milena... vou me casar em breve na França Vienne....quantos documentos devo levar....sou divorciada....o noivo é francês. Tantas informações fico confusa.
Obgd Maysa

Milena F. disse...

Maysa, o melhor é vocês se informarem diretamente na mairie onde pretendem casar, pois os documentos podem mudar de um lugar para outro. Porém o que é certo que você vai precisar é de uma certidão de nascimento (nova) e os documentos do seu divorcio, ambos precisarão ser traduzidos por um tradutor juramentado (melhor fawer aqui). Eles também pede um certificado de "coutume" que é solicitado no consulado do Brasil na França. Bons preparativos!!!