quarta-feira, 4 de maio de 2011

Filmes da semana

E como não só de viagens e passeios é feita a vida, vim aqui falar rapidinho dos últimos filmes aos quais assisti no cinema.
O primeiro foi "Detective Dee, le mystère de la flamme fântome" (Di renjie zhi tongtian diguo) um filme chinês de Tsui Hark. Sempre me interessei pelos de filmes asiáticos de ação, mas esse eu queria assitir pois a história se passa justamente na época da imperatriz WU, e eu li há alguns meses uma história que se passava na mesma época, então queria ver se materializar diante dos meus olhos toda a beleza das paisagens e arquiteturas da China nos meados do ano 690 d.C. Quando vi o trailler, gostei muito e então fomos. Gostei muito do filme, fiquei de boca aberta com a reconstituição da China antiga e passei um bom momento. As intrigas são fascinantes! Como ponto negativo são alguns (d)efeitos especiais!


O segundo filme que eu vi foi "La fille du Puisatier" (A filha do poceiro). A história, ao ler o resumo, parecia um pouco banal, mas aqui na França é impossível perder um filme inspirado de uma obra do escritor Pagnol, que retrata em seus recitos a região da Provence como ninguém. E o segundo motivo é a atuação e direção do filme pelo ator francês Daniel Auteuil. Bem menos conhecido que Gérard Depardieu ao redor do mundo, deparei-me pela primeira vez com Daniel Auteuil no filme The Closet ("Le placard", que conta igualmente com a presença em cena de Depardieu!) e virei fã. Ator consagrado há X anos em outra obra cinematográfica de Pagnol, um clássico do cinema francês Jean de Florette, Excelente comediante, ele interpreta personagens dramáticos com uma tal força de expressão que é impossível não sentir as emoções do personagem.
E o filme se mostrou realmente emocianante! E a trilha sonora então... A altura das expectativas do público, que se deslocou em massa aos cinemas, fazendo do filme o segundo colocado em numero de entradas nas suas duas semanas até então em cartaz!


O terceiro filme assisti por acaso: Sucker Punch.  Dos 20 que estavam em cartaz, era aquele cuja sessão começava mais cedo (ou seja, para os outros teriamos que esperar muito tempo, e como já estávamos o dia inteiro na rua, não queriamos voltar para casa muito tarde no domingo à noite). Além disso, estava marcado bem grande que o filme estava na sua quinta semana em cartaz, o que é raro por aqui. Com a afluência de filmes de todos os países (com especial atenção aos filmes americanos e franceses, claro), a maioria dos filmes ficam em cartaz por uma ou duas semanas... Quando a gente viu, já passou. Então, indiretamente significa que o filme está sendo (muito) apreciado pelo público. E outra razão foi o fato de Sylvain ler no resumo que se trata de um filme de Snyder (eu sou uma negação para realizadores de filmes, já tinha ouvido falar desse nome mas não conseguia saber de jeito nenhum o que ele já tinha feito antes). E como a minha cunhada que estava junto queria ver também, acabei perdendo (2 contra um) e fomos assistir. Olha, confesso que tive muita dificuldade em ficar sentada quase 2 horas olhando o filme. Desde os primeiros 15 minutos o mesmo se mostrou completamente desistentessante para mim. E a história? Se podemos dizer que tem uma história, é uma história sem pé nem cabeça, com uma heroína que se chama Babydoll, loirinha falsa com um blush bem rosadinho. Além das lindas meninas suas companheiras "loucas de hospicio ou prostitutas de cabaré ou combatentes de guerra", todos os outros personagens são feios, com alguma coisa realmente para chocar o público. Personagens com roupas sujas e ambientes feios jogam com outras cenas de excelente reconstituição, como os cenários de guerra e a paisagem asiática de neve, extremamente complexos. E além disso, essas meninas seminuas que "dansam"... Sem contar a interpretação que julguei horrível do personagem responsavel do hospicio (ou do cabaré). Para mim foi uma tortura dar 2 horas da minha vida a esse filme e saí realmente muito indignada (varias pessoas deixaram a sala no meio do filme). Mas para a minha surpresa... Sylvain e sua irmã gostaram do filme!!! Eles falavam "é bem o universo de Snyder!" Eles justificavam que cada cena era de uma perfeição incrível, que cada segundo de imagem foi trabalhado à exaustão... Nesse ponto até concordo, como eles concordaram que a história era muito ridícula, assim como os atores interpretavam muito mal. Então, EU não vou ao cinema para ver imagens! Se é para ver imagens vou a um museu, mas para mim cinema tem que ter uma boa história e atores que interpretem bem (ou então alguma comediazinha bem leve para passar um momento agradavel e rir muito, sem esquentar muito a cabeça). Visões e definições bem diferentes da sétima arte.

Em casa, procurando criticas sobre o filme, encontrei os elogios às cenas, decoração, paisagens, que realmente cada segundo foi "dirigido"... Mas em relação à historia fraca e à interpretação mais que insuficiente dos atores, a maioria estava de acordo.

A vocês de julgarem!!!

7 comentários:

Rosely disse...

Milena, não sei se percebe isso mas a maioria dos franceses amam a sétima arte e tem a convicção de que o cinema frances é o melhor do mundo!! Apreciam, conhecem os diretores, eu diria que são cinéfilos de carteirinha!Gostei do post. Abraços fraternos e até.

Angela disse...

Olá Milena querida, tudo bem?
Ótimas dicas de filmes, vou repassar para a minha filha. É ela que seleciona os nossos filmes. Uma verdadeira "crítica" de cinema.
Beijos e um ótimo dia.

Milena Fischborn disse...

Rosely, de uma forma geral franceses amam cinema mesmo! Para ter uma idéia, podemos comprar um passe ilimitado de cinemapor menos de 20 euros por mês! E no mesmo cinema (UGC) uma única entrada já custa 10 euros!!! Nosos colegas e amigos assistem muitos filmes mesmo por semana, e de tudo que é tipo!
Mas não sei se eles preferem filmes franceses... Filmes americanos fazem um sucesso imenso, e ao contrario do que dizem, aqui em Paris os filmes estrangeiros são sempre em versão original.
Mas francês adora assistir filmes de outros países, para tentar conhecer um pouco de outras culturas... Então chega muito filme vietnamita, japonês, iraniano, turco, indiano, chinês, libanês, etc... Filmes aos quais dificilmente temos acesso no Brasil. E não só no Brasil, pois esses filmes dificilmente são comercializados ou vistos na maioria dos países.

Milena Fischborn disse...

Angela, se ela tiver dicas para passar, agradeço!!!

Mi disse...

Nós assistimos bastante a filmes franceses e tinha uma época que de cada 3 filmes q víamos 2 eram com o Daniel A. então eu sei como ele é uma baita figurinha carimbada hahahaha gostei das dicas, mais esse pra lista :-). Bjos!!!

Milena Fischborn disse...

Mi, se vc vê muito filme francês, então certamente conhece bem a figura! Ele está em praticamente todas! hehehe

Mulher de Fases disse...

Eu vi trailler de Sucker Punch. Na hora disse: Que filme mais sem pé nem cabeca. Não senti a menor vontade de assistir e agora lendo a sua opnião a minha vontade sumiu totalmente.

Bjs e Bom fim de semana