domingo, 26 de dezembro de 2010

Experiências de Natal

           O Natal chegou e foi embora com uma rapidez inacreditável! Todo ano é assim, nada mudou, mas eu esqueço! Tanta expectativa, tanta programação, tanta correria... Para algumas horas que passam tão rapidamente e deixam na boca um gostinho de "quero mais". Mais um motivo para aguardar com impaciência o próximo final de ano!
          Mas aqui em casa já é o terceiro ano que se repete o mesmo problema: sonhamos com uma linda árvore de natal, queremos enviar cartões aos amigos e familiares, mas o tempo passa tão rápido, estamos tão absorvidos no trabalho, atividades mil e em correrias administrativas que acabamos deixando de lado esses detalhes simples da vida (que fazem a diferença), como montar a árvore de Natal e reservar um tempo para escrever palavras de carinho aos próximos (então, se você não recebeu a sua cartinha de Natal, o problema não é com você, mas conosco aqui do outro lado!)
          O que tem mudado ao longo dos últimos anos é a forma de festejar o Natal (e todas as festas, enfim). No meu primeiro ano, tudo era novo, e fomos festejar a data com a familia do Sylvain* na Normandia. Foi minha primeira vez lá, apaixonei-me pela região, pelas pessoas e pelos costumes. Mas um detalhe não me escapa: não é a minha família, e mesmo agora, ao fio dos anos, não vejo como tal. Passamos o Natal na casa de Nicolas e Elodie, respectivamente irmão e cunhada do Sylvain. O jantar estava impecável, como poderíamos imaginar, pois Nicolas é cozinheiro! Como previsto, meu presente de natal a todas as mulheres foram écharpes confeccionadas por mim mesma. Todas ficaram muito contentes, algumas usaram no mesmo dia, outras preferiram vestir o acessório no dia seguinte.
          Para combinar com meu vestido simplezinho que comprei na Zara (único elemento que consegui comprar na Zara até então), fiz uma écharpe especialmente para a ocasião... Na minha opinião, foi o acessório que faltava!
Ops!!! Esse outro acessório foi fundamental!!!

No ano seguinte não teve festa na família do Sylvain, já que um ano eles comemoram em familia, no ano seguinte na belle famille (família do companheiro). Como ficava um pouco longe e caro passar a noite de Natal com a minha família, resolvemos ficar em casa e fizemos um pequeno jantar para nós dois.

Desta vez eu queria que fosse diferente! Tinhamos a possíbilidade de ir novamente à Normandia, mas como eu trabalhava até o último minuto do segundo tempo, decidimos não correr para pegar o último trem e chegar supertarde na ceia de Natal. E fizemos uma excelente escolha, pois fomos convidados para passar o Natal com amigos brasileiros, um ambiente bem descontraído que me lembrou um pouco os Natais de outros tempos... Mas com um toque francês, é claro!

* Sylvain = meu chéri, para quem ainda não conhece!

6 comentários:

Anônimo disse...

Oi Milena, também gostamos muito de termos passado o Natal na companhia de vocês, da familia da Ana e dos outros brasileiros. Beijao!

Luciana

Milena disse...

Estava ótimo! E a comida, então? depois me passa a receita daquele bacalhau!

Ana Paula disse...

Faltou a foto do guaranà pra mostrar o quanto brasileiro estava, hehe

Milena disse...

Mas na hora da sobremesa os brasileiros já tinham terminado com o guaraná! hahahaha

Anônimo disse...

Depois te mando sim a receita, é facil facil, o chatinho é tirar a casca e as espinhas !!
bjs!!

Catia disse...

arroz doce com canela? ai meu Deus, tudo de bom.