terça-feira, 28 de dezembro de 2010

31 de dezembro: onde ir?

           Festejar o reveillon em Paris é caro... Seja uma discoteca para os mais descolados, seja um jantar para os mais tranquilos, os preços sobrem de forma absurda, e é dificílimo conseguir um lugar de última hora sem reservar com uma (boa) antecedência.
          Mas por que todo mundo sonha em passar a virada do ano em Paris? Talvez sonhem com a torre Eiffeil e com a Champs-Elysées iluminadas e com fogos de artifício... Vale lembrar que isso só mesmo em sonho! Dezenas e dezenas de pessoas que foram para as ruas nesta data me contaram que não houve fogos...  Parece que por aqui é proibido dentro das cidades (também não se encontra para vender e queimar fogos no jardim de casa! Outra medida de segurança)
          No meu primeiro reveillon aqui, eu tinha a intenção de jantar em casa e depois ir à Paris "ver o movimento", mas as temperaturas negativas me tiraram rapidinho essa idéia da cabeça. Foi aí que começaram a me contar que na verdade não tem fogos, apenas milhares e milhares de pessoas aglomeradas nas ruas, boa parte delas bêbadas, transportes lotados, estações fechadas por questão de segurança, e muito roubo, pois muita gente desonesta aproveita a ocasião para roubar bolsas e carteiras de turistas e outros desavisados no meio da multidão. Tô fora!!!
          Mas para quem está aqui na data, a minha dica é conseguir um convite para uma legítima ceia de Natal na casa de alguém. A comida geralmente não vai decepcionar, mas outros quesitos podem deixar a desejar... Para quem não teve essa sorte, o jeito é "garimpar" um restaurante de acordo com seu bolso e expectativas.
          Sugestões:
Le Calife: jantar e cruzeiro no Sena. Menu à 98 euros, sem as bebidas, com festa Rock após o jantar. Estive neste restaurante em 2009 e adorei o serviço e a comida! Uma decoração simples, mas a magia de Paris iluminada faz o resto!!!
Les Ministères: jantar à 135 euros, com festa dançante até o amanhecer. Inclui vinho durante as refeições e uma garrafa de champagne para duas pessoas. Já estive nesse restaurante a muitas reprises, adorei igualmente o serviço e a comida. Decoração requintada do início do século (passado).

          O dia 1º de janeiro é infelizmente dia também para fazer o balanço de quantos carros foram queimados e outros atos de vandalismo foram realizados na virada do ano. Meus anos e anos de estudos ainda não me fizeram compreender (muito menos aceitar!) esse fenômeno. Mas o que faço é esperar que 2011 seja diferente!

3 comentários:

L.M. disse...

Milena, vi seu comentário no meu blog. Vi que a senhorita é mais uma refugiada em terras frias...hehehehe

vou consultar teu blog com muito carinho!Mas pelo q já comecei a ler adorei!!!

grande bjo
luiza
www.oguiadeparis.blogspot.com

Milena disse...

Obrigada! Teu blog já está entre os meus favoritos!

Enaldo disse...

Eu detesto multidões em datas comemorativas. Não consigo entender coisas como ir para Copacabana ver fogos, tomando chuva, tumulto, lama, e o assalto do estacionamento a cento e cinquenta reais.