segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Quanto custa morar na França?

Não existe uma resposta única para essa pergunta, pois tudo vai depender do padrão de vida de cada um e do grau de consumo individual.

Uma diferença fundamental com o Brasil é que aqui as pessoas não costumam pagar tudo em prestação. Quem quer trocar o sofá, comprar um Iphone, uma bolsa de marca cara ou sair de férias vai economizar um pouco e pagar tudo à vista. Cartão de crédito também é usado raramente, as compras são pagas no débito. Outra diferença é que os franceses não costumam ir ao banco pagar contas: as contas são pagas em débito automatico ou então enviando um cheque pelos correios ao credor. 

Muitas pessoas me escrevem perguntando sobre quais seriam os gastos básicos, então vou tentar responder com base nas minhas contas, que ilustram um casal sem filhos de classe média na França:

1. Moradia:
As despesas com moradia são as mais altas aqui na França, principalmente para quem mora em Paris e sua região. O ideal é que o aluguel ou prestação da casa propria não ultrapasse 1/3 (33%) da renda mensal.
O valor exato é muito pessoal, pode ser de 300 € por mês por um "quarto de empregada" ou de 800€ por um estudio em Paris. Porém com 500€ por mês, em uma cidade do interior é possivel encontrar um casarão com um jardim enorme! Temos amigos que pagam mais de 2 mil euros por mês na prestação da casa. Tudo depende da localização e da superficie, como em qualquer país do mundo.

2. Condomínio:
Como moramos em apartamento e somos proprietários, temos que pagar o condomínio. Essa taxa nos é cobrada a cada trimestre e atualmente é de cerca de 705€, ou seja, uma média de 235€ por mês. Particularmente eu acho que pagamos muito caro (em comparação com amigos que pagam muito menos), mas encarece pois o aquecimento central está incluso nesse valor, assim como água e a manutenção do elevador. 

3. Eletricidade: 41,84€ por mês (antes pagavamos mais, nosso consumo baixou). Vale lembrar que nossos equipamentos de cozinha são elétricos, como forno e fogão, a água da torneira e chuveiro também é aquecida pela energia elétrica, mas não temos despesas com ar condicionado e usamos um pouco de ventilador no verão (esse ano fez mais calor que nos verões anteriores e usamos mais)
Essa despesa aumenta bastante se o tipo de aquecimento da residência for elétrico.

4. Seguro do apartamento: 16,41€ por mês para um apartamento de 2 quartos em uma zona que não é livre de risco (pois na França existem roubos de casa).

5. Transporte: 70€ por mês (140€ para os dois). Recentemente os preços baixaram para incentivar ainda mais deixar o carro em casa. Esse valor nos autoriza a utilizar de forma ilimitada os transportes de Paris e região (trens, metrô, ônibus e mesmo os ônibus noturnos). E ainda por cima o empregador reembolsa a METADE na folha de pagamento. 

6. Telefone Fixo + Internet + pacote basico de canais de TV (que a gente não usa): 28,90€. Lembrando que o fixo inclui ligações ilimitadas para telefones fixos da França inteira e mais diversos países, dentre eles o Brasil. 

7. Telefone celularMeu marido paga 18,29€ por mês para 1G de internet e 2 horas de comunicação, e eu tinha um plano de 2€ para o mesmo tempo de comunicação, mas praticamente sem internet (pois não queria passar meu tempo conectada). Esse mês acabei cedendo à tentação de trocar de telefone e assim pagarei 6,99€ por mês por um contrato de 2 anos sem poder trocar de operadora. Em todos esses casos, SMS ilimitado. Existem planos um pouco mais caros para comunicação ilimitada, alguns para o exterior também.

8. Saúde: O sistema de saúde pública na França é muito bom, mas é muito importante ter o equivalente a um plano de saúde (Mutuelle). Como funciona? As consultas e procedimentos básicos custam muito barato (23€ uma consulta com médico generalista, por exemplo) e a saúde publica reembolsa o usuario em 70% desse valor (mais ainda para quem mora na região da Alsace). Ou seja, ninguém vai se arruinar tendo que arcar do próprio bolso a diferença. Porém a coisa complica quando se trata de procedimentos mais caros, hospitalizações, diária em UTI... Quem não tem uma Mutuelle pode sair do hospital com uma dívida de mais de 20 mil euros!  Melhor se prevenir! 
No nosso caso usamos a Mutuelle da minha empresa (que é excelente) e pago 49,45€ descontado em folha de pagamento. A empresa do meu marido reembolsa em 200€ por ano.

Eh importante ler bem as condições de cada mutuelle (os preços variam muito). As que reembolsam melhor e TUDO incluem tratamentos dentários caros, oculos, obséquios e até mesmo funcionam como seguro de vida em caso de falecimento. Geralmente sai mais em conta optar pela Mutuelle da empresa, pois a mesma paga uma parte importante da mensalidade.
Com o Sistema de Saúde Pública + Mutuelle, nossas despesas com medicamentos são praticamente ZERO.

9. Taxas bancárias: 21,20€ por mês. Temos uma conta conjunta, com dois cartões Visa, um normal e outro Premier, que usamos para compras de passagens e outras despesas do tipo para estarmos assegurados. Aqui na França não é comum os bancos oferecerem cartão sem anuidade nem conta de graça, somente para jovens/estudantes já vi algumas vantagens.
O Banco dos Correios (La Banque Postale) oferece serviços bem mais em conta e com menos burocracia (por isso muitos estrangeiros em situação irregular optam por ela), mas geralmente existe limite no uso do cartão (por semana ou por mês), limites de saque, ou as vezes conta sem cartão, o que não é nada prático.

10. Alimentação: há alguns anos escrevi um texto aqui no blog dizendo que gastava em média 250€ por mês em supermercado, o que muitas pessoas achavam impossível, mas era a pura verdade. De lá para ca nossos hábitos de compras mudaram e infelizmente não consegui ainda fazer uma estimativa. Antes eu comprava para o mês em hipermercados, procurando pelas promoções mas há cerca de 1 ano vou mais nos pequenos comerciantes de bairro ou supermercados de médio porte (desde que mudei de local de trabalho). Faço as compras para o dia ou no máximo para a semana. Sem ficar paranoica pelos preços mais baixos, para mim é natural e meus olhos são hipnotizados pelas promoções, mesmo comprando com qualidade (excelente carne bovina direto no açougue, peixe fresco e legumes e frutas orgânicos. Continuamos gastando pouco em alimentação pois detestamos desperdício então nada aqui em casa vai fora. Também quase nunca compramos refrigerante e vinho e outras bebidas alcoolicas somente quando recebemos visitas. Mesmo o meu marido diminuiu bastante o consumo de chocolate e porcarias, pensando na saúde.

11. Imposto de Renda
Na França o Imposto de Renda não é descontado em folha de pagamento, como é o caso para quem é assalariado no Brasil. A declaração é feita anualmente em relação ao ano anterior. Por exemplo, em abril/maio de 2015 entregamos a declaração relativa ao ano de 2014, e em setembro recebemos a cartinha dizendo quanto temos que pagar. Algumas pessoas preferem pagar tudo de uma vez (uma parcela geralmente em outubro), em 3 parcelas (outubro, novembro e dezembro), mas outras pessoas, como é o nosso caso, preferem pagar antecipadamente desde janeiro. Para isso basta fazer uma estimativa e mensalizar o pagamento.
Então em setembro recebemos o documento oficial que calculou direitinho se pagamos demais (e nesse caso recebemos a diferença de volta) ou não o suficiente (e assim a diferença pode ser paga nos 3 meses que faltam para terminar o ano).

12. Outros impostos e taxas
Taxe d'habitation: essa taxa é paga por quem mora no local (locatario ou proprietario). A taxa vai ser emitida no nome da pessoa que ocupou o imovel no dia 1o. de Janeiro do ano em questão. O valor vai depender do tamanho da moradia, da localização e da renda dos usuarios. Pode ser para em parcela unica ou em mensalidades, seguindo a regra da estimativa explicada acima no Imposto de Renda.
Contribution à l'audiovisuel public (redevance télé): essa taxa é atualmente de 136€ por ano para todos que possuem uma televisão (ou aparelho semelhante) no dia 1o. de Janeiro do ano em questão. Paga-se jun o com a Taxe d'habitation.

Taxe foncière: taxa paga pelos proprietarios de imoveis. Depende do tamanho e localização, sem interferência com a renda. Assim como a taxe d'habitation, pode ser paga em uma unica parcela ou dividindo em mensalidades.

13. Lazer: os nossos gastos são importantes em atividades de lazer, foi a escolha que fizemos. Nossa vida é rica em atividades culturais, encontro com amigos e viagens. Ainda assim custa muito mais barato ir a um show internacional ou opera na França do que no Brasil. A entrada individual ao cinema custa caro, mas existem cartões de uso ilimitado (pagando 20€ por mês), cartões para 5 sessões e as empresas vendem ingressos mais baratos (entre 3 e 6 euros).

14. Carro: para quem tem carro as despesas sobem consideravelmente. Como moramos em cidade grande não vemos necessidade de ter um veículo e em nenhum momento ele nos faz falta. Se necessário, podemos usar um Autolib (carro elétrico disponibilizado pelas prefeituras e pagamos pelo tempo de uso) que inclusive o mais perto fica a menos de 10 minutos à pé da minha casa. Podemos igualmente alugar um carro para uso mais longo (final de semana, férias), ou optar por um taxi para um deslocamento pontual.
Os preços dos carros na França são bem baratos, mas o que custa relativamente caro é o seguro (obrigatorio) e depois temos que ficar perdendo tempo procurando estacionamento e pagando por ele. E se o carro for usado (por mil euros você compra um carrinho usado!), qualquer despesa com oficina custa uma fortuna!

15. Crianças
Vocês podem dizer que as despesas com crianças aumentariam muito. Eu não compartilho dessa opinião, pois em primeiro lugar aqui na França mesmo as pessoas de boa condição financeira colocam os filhos em escolas públicas. As atividades extra-escolares como esporte, música e lazer também são muito baratas. E em tudo que é consumo, é possivel encontrar roupas de boa qualidade (e até de "marca") por preços muito atrativos. Quanto ao material escolar, aqui não se costuma comprar cadernos e outros acessórios caríssimos. Acho inclusive que nunca se passou pela cabeça de um francês que um caderno pudesse custar uma fortuna (como no Brasil).
Quanto às Universidades, elas são todas gratuitas (paga-se somente a taxa de inscrição anual). O que custa caro são as Grandes Escolas Especializadas (mesmo se existem bolsas e financiamentos).


Ficou claro?
Caso vocês tenham pensado em alguma despesa não colocada aqui, fiquem à vontade para perguntar que tentarei atualizar o texto. 
Contribuam igualmente trazendo exemplos de despesas nos locais onde vocês moram!

6 comentários:

Ana disse...

Achei o forfait (internet + tv + telefone) baratissimo, aqui no Canada pago $150,00 e as ligaçoes sao locais, a gente paga as ligaçoes recebidas, nao faz chamada internacional. Celular (chip + 4G) eu nem uso, me recuso, boicoto até, porque acho muito caro.

Debbie Abelha disse...

Esse post foi muito completo. Super educativo também. Perfeito para quem está querendo mudar para Paris, aliás, muitas dicas dá para aplicar para a Europa de uma forma geral.

Eliana disse...

Acho que o que é mais puxado é o condomínio de vcs. Mas também vcs tem elevador...aí realmente tem gastos.
Aqui o carro é usado pra passeios, visitas, viagens e quando fazemos supermercado. Tb varia porque se vc mora em Amsterdam, carro também é dispensavel. Se for comparar o preço das passagens de trem, sai mais barato ir de carro. Eventualmente uso o trem sozinha ou quando achamos promoções vamos os dois e deixamos o carro em casa.
Eventos vou em tudo quanto é coisa grátis! rs
No mais a internet aqui é mais cara...aí é mais barato o pacote completo.
Nós só temos a conexão de internet que sai por 30 euros por mês. TV é satélite e temos muitos canais abertos de vários países.
Acho que o supermercado fica na mesma margem. Aqui também compramos o essencial pra não jogar nada fora.
Celular eu tenho um plano de 240 min por 3,50 por mês. SMS à parte mas tb quase não uso e é 7 centavos. Sem internet pq não tenho necessidade.
Temos apenas um cartão de crédito que não tinha anuidade, mas a partir deste ano nos cobraram 20 euros.
No Brasil eu ainda tenho um cartão que todo ano eu ligo pra negociar a anuidade porque é um valor absurdo. Quase 200 reais.
Convênio médico é pago por ano, mas agora não tenho o valor exato de cabeça. Não vou chutar pq posso errar feio rs
Mas foi o que vc falou: depende muito. Tem gente que ganha bem e gasta tudo o que tem e ainda falta. Tem gente que ganha um salário médio e vive muito bem.
Boa semana!

Natalia V disse...

Achei o post interessantissimo. Aproveitei o tema para fazer as mesmas observações para a cidade de Clermont-Ferrand, onde vivo. :) Adoro o seu blog, Milena!

Amanda Costa disse...

Olá! Tudo bem?
Preciso muito de uma ajudinha... Ganhando 5000 euros e pagando 1200 de moradia, é possivel pagar todas as contas? 1 casal com 1 filha de 10 anos. Pq tem que pagar o social charges e guardar o $ do imposto de renda...

Milena F. disse...

Amanda Costa, 5 mil euros é considerado um salario muito bom aqui, bem acima da média!