domingo, 11 de janeiro de 2015

Ataque terrorista na França: de vitima a vilão

Vocês sabem qual era a pauta da reunião do dia em que os jornalistas/ caricaturistas de Paris foram assassinados? "COMO COMBATER O RACISMO".


Fico chocada com os comentarios odiosos dos BRASILEIROS que tenho ouvido em relação ao jornal de satiras Charlie Hebdo. Fico realmente revoltada.
Anda circulando por ai uma caricatura de uma ministra francesa em macaco. A charge foi realmente realizada pelo Charb, MAS o que parece que os brasileiros não entenderam, por pegarem o bonde andando, é que ela foi uma RESPOSTA a uma publicação da extrema direita, essa sim considerada racista. Para quem vê a charge isolada, sem contexto, não entende a mensagem que ela passou na época. Ai estah o problema de pegar o bonde andando e querer sentar na janela!!! Não sou leitora da Charlie Hebdo (não tenho senso de humor nenhum, nem consigo entender direito humor francês), mas não acho justo sair julgando sem conhecimento de causa. Essa revista defende a liberdade e denuncia todos os extremismos, dentre eles o ISLAMISMO RADICAL.

Os brasileiros andam confundindo "denunciar os extremistos, os fanatismos" com "rir do oprimido". Se fosse um problema com a interpretação de um texto, eu diria que se trata de analfabetismo funcional, mas como se trata de charges, eu chamo de analfabetismo cultural.

Em uma entrevista logo apos a caricatura, Charb respondeu (a tradução é minha): "Quando "Minute" associa Taubira à imagem do macaco e da banana, nos caricaturamos Taubira para denunciar o racismo de "Minute". Alguns levavam o nosso desenho ao pé da letra. Minute é claramente de extrema-direita com toda a ideologia que vai com isso. Charlie Hebdo é um jornal engajado em ações anti-racistas. Para denunciar o racismo, é necessario as vezes representa-lo, ou pelo menos representar a imagem chocante que ele quer denunciar". (fonte: http://medialibre.info/face-a-faces/?tag=charb) .

Provavelmente os negros brasileiros que não vivenciaram o contexto se sentem ofendidos ao verem a charge nesse momento, mas vale lembrar que o contexto em que ela foi publicada na França era outro.

Como bem explicou o Luis Fernando Verissimo:
"O 'Charlie Hebdo'e outros, como o “Canard Enchainé”, pertencem a uma tradição de imprensa malcriada que vem desde antes da Revolução Francesa. É uma imprensa que não reconhece limites nem de alvos para o seu humor corrosivo nem de coisas vagas como 'bom gosto'. Jornais como o 'Charlie', impensáveis em qualquer outro lugar, se beneficiam de outra tradição francesa, a da tolerância com a contestação política e respeito à liberdade de expressão. "

Seu alvo principal é a direita cristã francesa, mas tem falado muito de outros assuntos, de todos os extremismos e fanatismos.

Morando aqui na França desde 2008, acompanhei de perto toda a polêmica na época. E sofri muito com os atos terroristas dos ultimos dias, inclusive o local onde o cumplice entrou e fez mais de 16 réfens (matando 4) na sexta-feira foi pertinho do meu local de trabalho e passei uma tarde de sexta horrivel, sem poder sair, sem saber o que poderia acontecer. Das 13h às 17h. Recebi centenas de telefonemas e mensagens de colegas franceses perguntando como eu estava e mostrando que "estavam comigo" naquele momento de sofrimento, mas NENHUM BRASILEIRO, nem do Brasil nem da França fizeram nenhum movimento nesse sentido. Parece que jah estavam mais preocupados em cumpabilizar as vitimas do que com a continuação dos atentados.  Muito triste.

Entendo que para a população brasileira esse tipo de publicação possa parecer chocante, pois no Brasil não se brinca com religião.

Mas o que esperar de uma sociedade que acredita que mulher com roupa provocante "merece" ser estuprada?

5 comentários:

Renata Inforzato disse...

Oi Mi,

Concordo com vc no texto, que está ótimo. E queria te pedir desculpas por não ter te telefonado. A gente soube do sequestro na faculdade, nós estávamos em exame e tinha uma menina chorando porque mora ali e o namorado estava em casa. Juro que na hora me esqueci que vc trabalha em Vincennes. Desculpa mesmo. Um beijo

Anônimo disse...

Mto triste isso que aconteceu! Espero que os ânimos estejam melhorando. To indo para Paris em fev. Alguém pode me indicar um bom seguro viagem? Bjs, Lívia.

Anônimo disse...

Saiba que nem todos os Brasileiros são iguais, peço desculpas e acredite, mesmo não morando nesse país cujo o sonho é conhece-lo (estarei realizando em Março), tenho grande respeito e admiração,por esse povo carregado de traição.

Nira Lima disse...

Milena li tanta msgm absurda nas redes socias que me sentia impotente em nada fazer.Coloquei uma foto na rede social e senti que mesmo pessoas que moram na Europa correndo os mesmo "riscos" que aqui de um atentado jogavam indiretas como se fosse exagero.Como assim exagero??Eu me sinto parte daqui,moro aqui e senti e nao poderia ficar sem fazer nada.Fui pras ruas no domingo e me sentia na "obrigação" de retribui,participar e "gritei" nao somente pelos 17 mais por vários ufa desculpas e parabéns por também desabar bjos

Anônimo disse...

Mto bom o seu texto! Desejo mta força para que o povo francês supere isso td e que ñ ocorram mais atentados como este. Lívia, esse seguro é bom: www.touristcard.com.br E eles ainda dão um desconto. Esse é o cupom da promo: tourist15. Bjs, Alessandro.