terça-feira, 4 de junho de 2013

Bem-vindo a Xangai!

Nossa última etapa pela China foi Shanghai, essa cidade moderna, vitrine do país. Psicodélica. Os jovens chineses costumam dizer que para ver mil anos de história é necessário ir em Pequim (Beijing), mas que para conhecer a China atual temos que ir a Shanghai.
Aquela cidade mítica do início do século XX? Desapareceu. Mas podemos encontrar alguns vestígios espalhados em todos os cantos, basta procurar.

Uma pequena cidade pesqueira até o século XVIII, o destino de Xangai mudou com a guerra do Opio da metade do século XIX. Os navios britânicos rodavam e queriam entrar no mercado e vender o seu ópio (que era proibido na Inglaterra, claro), mas o imperador chinês não aceitava de jeito nenhum que essa "droga" invadisse o país. 20 caixas foram queimadas e jogadas ao mar como "exemplo", o que irritou enormemente os ingleses que vieram  com canhões e outras armas, prontos para tudo. Diante da destruição de algumas de suas cidades costeiras, o imperador acabou aceitando o Tratado de Nankin e abrindo 5 portos aos estrangeiros, dentre eles Shanghai. Os primeiros que chegaram foram os britânicos em 1848, e 2 anos após franceses e americanos. A cidade foi dividida em concessões (onde os estrangeiros poderiam fazer o que quisessem), a divisão final sendo em 3 partes: a velha cidade chinesa (reservado aos chineses), a concessão internacional (dos britânicos, americanos e japoneses) e a concessão francesa.

Em 1900 a cidade já contava com mais de 1 milhão de habitantes, dentre eles 350 mil estrangeiros.  Já era na ocasião uma das cidades mais cosmopolitas do mundo. Seu apogeu remonta aos anos 1920/1930, até que os japoneses invadiram e ocuparam a cidade de 1941 a 1945. Foi logo após que a cidade se tornou o berço do comunismo, onde as novas idéias começaram a ser testadas e colocadas em prática.

Com a morte do presidente MAO e o fim do comunismo como se conhecia até então, nos anos 80, Shanghai nada mais era do que uma cidade triste, poluída e superpovoada, com suas ruas sem carros tomadas por bicicletas e seus habitantes no típico uniforme azul. Dois antigos prefeitos decidem de mudar e tirar a cidade do seu marasmo, abrindo-a às empresas estrangeiras e criando o novo centro econômico de Pudong, em 1990. Mais de 3 mil arranhas-céus viram o dia desde então. O sonho de um jovem chinês atualmente é de ser contratado por uma empresa estrangeira e alcançar o nível de status e salário que vem junto com essa conquista, o que exige muita competição nas universidades e mercado de trabalho, já que menos de 5% da população de Shanghai tem acesso a um salário "correto" em uma cidade que se torna cada vez mais cara.

Acima o lado Bund da cidade, sua orla de prédios que fizeram de Xangai a mais européia das cidades do oriente nos anos 30. Nessa parte da cidade encontram-se a Velha Cidade Chinesa, as Concessões, mas para conhecer o futurístico bairro de Pundong é necessário atravessar o rio (de barco, ferry, metrô ou tunel).
 Aqui o cartão postal de Xangai: Pudong, a parte mais nova da cidade, construida do outro lado do Rio Huangpu.Até 1990 era uma área agrícola, o campo dentro da cidade. Hoje é o coração do "novo capitalismo estatal chinês".
Quem disse queo céu é sempre cinza em Xangai?

 Preferimos atravessar pela primeira vez até Pudong pelo ferry, para vermos o Bund se afastar lentamente e lentamente Pudong se aproximar. Das outras vezes optamos pelo metrô, bem rápido, barato, mas sem charme.







Tem quem goste e quem não goste. Eu adorei toda essa diversidade! E acredito que Shanghai seja uma das cidades chinesas mais fáceis de adaptação a um estrangeiroque deseja se instalar.

5 comentários:

Suzyy - Vaidades Femininas disse...

Adorei as fotos da cidade. Lá deve ser uma cultura muito diferente da nossa. Quem sabe um dia conheça lá.
www.blogdasuzyy.blogspot.com

Beth Blue disse...

Eu também adorei! E as fotos, pra variar estão maravilhosas. Agora vou contar um segredo, posso parecer louca mas tenho muito mais vontade de conhecer Xanghai (e Toquio, HongKong) do que a China em geral. Tenho paixão por estas metrópoles pulsantes!

E me lembrei de um livro ótimo que li ano passado chamado Shanghai Girls de Lisa See, Ele conta a estória de duas irmãs que moram em Shanghai nos anos 30 e realizam o sonho de emigrar para os EUA. Eu recomendo a leitura, ainda mais pra você que acaba de visitar Shanghai!

beijos

Jenny disse...

Parece ser lindo

Casar é assim... disse...

Oi!

Que lindas fotos! me passou uam outra ideia dessa cidade que eu imaginava ser cinzenta!! rsrs..

Beijos e prazer em conhecer seu blog =)

Gábi

Celia na Italia disse...

Lindas fotos de uma cidade em transformação!